quarta-feira, 4 de abril de 2012

Pais, velhice e confirmação de comentários.


Vou abordar três assuntos diferentes, porque acho que um deles sozinho não rende um post.

Quem é meu pai?

Essa é uma série que passou no fantástico e que tenho que confessar que me deu uma agonia extrema quando assisti. Ela mostrava basicamente filhos em busca de pais, através de ações na justiça. A vontade que tinha era de entrar dentro do programa e dar uns tapas nos filhos abandonados procurando por pais safados. Teve umas situações bizarras em que o pai nutre uma verdadeira indiferença pelo filho(a) e a criatura tá ali entrando com ação de Investigação de Paternidade, esmolando um nome na certidão de nascimento, como se isso fosse fazer uma grande diferença na vida dela. E olha que não estão em busca de retorno financeiro, só de reconhecimento. Mas buscam atenção de alguém que nunca se importou com eles.

Sinceramente, tenho absoluta certeza que se fosse adotada, ou se um de meus pais me virasse as costas dessa maneira, me abandonando, seguiria em frente na boa e nem olharia pra trás. Tendo meus pais verdadeiros e por eles não aceitarem muito meu jeito de ser, eu meio que me afastei deles. Imagina se eu ia correr atrás de quem não me quis por perto?! Normalmente nunca digo nunca, mas dessa vez acho que vou dizer que tenho uma convicção íntima que nunca faria isso, de sair atrás de alguém que não deu a mínima para mim. Se foi, já foi tarde!


Não se sentir velho

Dia desses vendo o programa "De frente com Gabi", ela perguntava para o cantor Frejat, o motivo deles não sentirem a idade que tinham, ou seja, se sentirem jovens mesmo já tendo idade para se sentirem mais velhos. E a Gabi disse que achava que era porque eles tinham o olhar atento voltado para o presente, para o que está acontecendo agora. Achei fantástica essa sacada. Porque acho que isso pode ter muito a ver. Eu não sinto a idade que tenho, me acho mais jovem por dentro e tenho um traço de personalidade que me faz está muito voltada para o presente e futuro, muito pouco para o passado. Fico pensando se o saudosismo em excesso não traz essa sensação de ter vivido muito, ou de se sentir mais velho. Sei lá. Acho que para mim bate. E para você? Acha que tem fundamento?


Letras de confirmação de comentários



Sinceramente, o que era abominável, conseguiram piorar. E eu vou continuar pedindo a todos que puderem, para que tirem essas letrinhas da sua área de comentário. É uma questão de gentileza com quem te visita e comenta. Use a moderação de comentários para eliminar o spam e faça um visitante de seu blog mais feliz.

Se você não desabilitou manualmente essas letras, elas estão na sua seção de comentários, só que elas não aparecem para você, dono do blog, só para quem vai comentar. Então aqui vai o passo a passo para tirá-las, caso concorde comigo:

Entre na área "Configurações" do Blogger, depois clique em "Comentários", depois role a tela a lá em baixo tem "Exibir uma confirmação de palavras para os comentários", marque NÃO e salve.

48 comentários:

  1. Mandou bem nos três temas, e adorei o da confirmação das letras, sinceramente as vezes deixo de postar comentarios justamente pra evitar essas danadas, que pra mim não serve nada...Já até postei isso no meu blog também...

    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Dama

    Qto ao assunto quem é meu pai, no final vc tem razão, quem nunca te deu importância não vai ser depois de tanto tempo e através de uma ação judicial que vai mudar seus sentimentos.
    Mas esta constatação a criatura que busca desesperadamente por um pai, idealiza (isso acontece com todos nesta situação) só se dá depois. E como tomar um porre por anos e no final ter uma mega ressaca de realidade.
    Bj :)

    ResponderExcluir
  3. Deve ser um drama terrível e humilhante essa busca atrás de si mesmo, descobrir suas origens, acho que só quem vive é que pode dizer de sua dor.
    Para quem está fora do problema é muito fácil dizer o que faria.
    Velhice é velhice e pronto, chegou está chegada, não adianta ficar tergiversando ou se escondendo.
    O sentimento sim é diferente, tem dias que tenho 18 outros 1000 anos, tudo depende do estado de espírito.
    O tempo é uma coisa só, quanto ao passado não há como deixar se sentir saudade do que foi bom, perdi minha mãe há dois anos e não há como passar uma borracha para "sentir-me jovem".
    Ela era a minha juventude, a pessoa mais extraordinária que conheci, como se perdesse meu melhor amigo.
    Tenho muito ainda pra doer.

    beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Dama!!!
    Estou de voltar! =)
    Já vi que tenho milhares de posts para ler, vou lendo aos pouquinhos, tá?!
    Sobre essa questão de procurar os pais, concordo com você: não gosto de dizer "nunca", mas tenho dentro de mim uma quase plena certeza de que não gostaria de procurar uma pessoa que me abandonou...
    Beijooooooookas.

    ResponderExcluir
  5. Tema polêmico, hein?
    Eu devo dizer que concordo e discordo de você na questão do pai, eu passei por isso quase a minha infância e adolência toda, eu vivia correndo atrás do meu pai, mas ele parecia só se importar com a minha meia-irmã, até que um dia eu cansei...
    Eu acho bem triste isso...
    Hoje eu não tenho aquela super ligação com a minha mãe que as meninas geralmente tem, chego a ficar meses sem falar com ela, e não sei te dizer se sinto falta ou não...

    Quanto à sentir velho ou novo, tenho 31, mas não me sinto com 31, sei lá, me sinto bem mais nova, e muitos dizem que eu pareço ser mais nova também...

    E quanto as comentários, te aplaudo de pé, porque isso é chato mesmo! Nunca ativei isso no meu blog...

    Beijos e Feliz Páscoa!

    ResponderExcluir
  6. Oie, Ufa consegui fazer uma pausa pra ler e deixar ainda que curtinho meu comentário, estou sempre lendo mas não ando comentando, fico de voltar e acabo não voltando

    Mas quero falar sobre o lance da investigação de Paternidade, enfrentei essa questão dentro de casa, o programa despertou na minha filha o desejo do nome do dito cujo na certidão dela.
    E fiz assim como você disse ai no post, caraca vai ficar mendigando atenção se nem é financeira a questão.
    amor não se cobra ele acontece, e não aconteceu , é dura de dizer , mas é real, de tempo ao tempo mas não fique esperando nada de ninguém corra atrás voCê, viva sua vida sabendo que foi amada e desejada porque tem te carregou o resto é resto, ele teve oportunidade e fez exatamente como estes manés fazem no programa, se fez de dificil, culpou , enfim, fizemos o DNA e só pra ele ficar com o EGO cheio sabendo que fez alguem no mundo e nada mais...
    E assim ela entendeu e desistiu e passou a ver por este lado mesmo que quem ama, ama e pronto!
    Sabemos que é direto dela e tal e toda essa conversa mas direito e sentimento não andam ligados assim que penso e assim que ensino, quero que ela cresça sabendo como é a vida de verdade, sem ilusoes.

    ResponderExcluir
  7. Também assisti a esse quadro do Fantástico e tenho a mesma opinião, eu ficava puta com esses filhos que foram rejeitados, ignorados e ficavam mendigando carinho. Porra se teu pai não te quis, não quis te dar um nome, não deu carinho, depois de criado isso vai fazer diferença, um pedaço de papel vai fazer diferença....Sinceramente acho que não.
    --------------------------------------------

    Fiquei pensando nesse comentário da Gabi, acho que sinto ter mais idade do que tenho exatamente por isso, me apego demais ao passado.
    -----------------------------------------

    Já deixei de visitar vários blogs por causa dessa P#@*& de verificação de letras.

    ResponderExcluir
  8. a busca pelo pai as vezes é uma questão de orgulho mesmo, é como esfregar: Por mais que vc não queria terá que me aceitar!!! Já vi acontecer!!!

    Sobre ficar velho... bem espero só ter que falar disso quando passar dos 35!!

    sobre comentários... como odeio essas malditas letrinhas!!!!

    ResponderExcluir
  9. ahhhh também concordo com a confirmação de comentários. Desativei desde que criei o blog.
    quando se sentir velho. Eu tenho 34, já vivi muuuuuuita coisa que muita gente de 45 nunca viveu e sou muito nostálgica, ao relembrar meu passado, sou vidrada em fotos e vídeos e nem por isso me sinto velha. Muita gente mais nova d que eu se sente velho, acho que isso varia de pessoa pra pessoa, de mentalidade para mentalidade, entende...

    E o pior tema. Pai.
    O pai da minha filha não a procura há 4 anos, se quer liga, realmente a abandonou. já mandei recado por amigos em comum e até pelo pai dele que ela gostaria de ve-lo, que ela chora as vezes e não entende porque ele não quer ve-la. Deixei claro que ele não estaria comigo se aceitasse ve-la, o pai dele a levaria ao encontro dele e bla bla bla mas ele não quis. A minha vontade é de xinga-lo, gritar que o odeio e falar pra ela esquece-lo pois ele é um merda mas não posso fazer isso com ela, não seria justo. E me dói muito ve-la chorando por causa dele, é um sentimento de rejeição muito grande. Espero que quando ela estiver maior, mais madura, não entre numa de ir atrás dele porque ele é um filho da puta e não merece essa atitude dela mas se ela fizer, eu entenderei pois eu convivo com isso. Uma vez a psicóloga (ela fez 2 meses de análise por conta disso tudo)me falou que essa relação pra ela ficou em aberto e que ela sente a necessidade de ve-lo, nem que seja para um desfecho, e que provavelmente depois de ve-lo ela iria se dar conta de que ele nao era tudo aquilo que ela imaginava (pq esses filhos ficam imaginando um pai, idealizando) e talvez fique em paz e pare de querer ve-lo definitivamente.
    não dá pra condenar esses filhos, dá é pena. e o pior pra mim é que eu sinto pena dela, pena da minha própria filha...

    ResponderExcluir
  10. Lindona, pensava um pouco como vc sobre a busca de pais que abandonaram seus filhos. Só depois que comecei a lecionar é que pude perceber a angustia dos alunos que não sabem quem são seus pais ou que a mãe pinta um monstro para que eles possam esquecer e ter raiva. Não saber suas origens, ter que explicar a falta de um nome na certidão é pior do que a sensação humilhante do reconhecimento de paternidade.
    Sobre a velhice, tudo é estado de espírito, mas confesso que o saudosismo muitas vezes me envelhece. Verificação de palavras? vontade de cortar os pulsos ou simplesmente deixar de comentar, aliás o blogger de vez em quando desconfigura essa opção, se nos meus estiver a verificação se palavras me avise! bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá dama,
    primeiramente quero agradecer sua visita, volte sempre e esteja a vontade. Embora eu não seja alienada, devo confessar que concordo em gênero, número e grau com os três temas postados, e à proposito, especialmente o último, acabei de postar um texto sobre minhas dificuldades e dúvidas a respeito se cometo também ou não o erro de configurar aquilo que nem eu gosto, por eu ser quase totalmente 'analfabyte', termo que criei prá minha 'ignorância cibernética'. Bela observação a sua, já estou indo verificar se fiz errado e claro, seguindo sua dica.
    Beijo grande
    Cris

    ResponderExcluir
  12. Eu te dou razão no sentido correr atrás do pai, eu queria ter assistido essa série, mas meu pai rsrss monopoliza a tv e ele curte Silvio Santos!!!

    E sim, concordo com a Gabi e talvez por isso é que eu me sinta velha, vivo entre o passado e o presente e as vezes isso envelhece!!!

    E as letras realmente são uma tortura!!!

    ResponderExcluir
  13. Oi Daminha!
    acho que vc nao consegue aceitar o lance dos filhos que procuram os pais, porque nao passou por isso, sabe? Entendo mt o teu ponto de vista, e acho legal qd encontro alguem que pensa assim, gente desancanada e tudo de bom.
    Mas meu, a dor de um filho que sofre por indiferenca pode ser mt foda. Tu nao tem esse problema, parece mt desencanada, mas caraca, tem mt gente que sofre Dama. Tenho por ex, uma meio irma, que sofreu anos direto por ser a unica filha do meu pai (somos so dele, mais de 10 filhos, de um pai que foi mt mulherengo em vida), que nao tem o sobrenome dele. Ela sofre ate hj, porque se sentiu rejeitada esses anos todos. Mesmo que a gente diga pra ela milhoes de vezes, que ela é nossa irma e que nome nao é tao importante assim, ela sofre. Nao consegue se ver irma completa da gente. É mt dificil pra ela aceitar isso.
    Parece que parou no tempo? Que nao consegue se desvincular de um erro? Nao perdoou? Nao cresceu? Sim, é o que parece a todos que estamos de fora, mas na cabeca dela, é apenas rejeicao do pai e isso doi mt, profundamente na sua alma.

    E claro que concordo com a Gabi, é isso aí mesmo, olhar pro agora nos faz nao nos sentir velhos. Corretissima a observacao dela. Vou passar a usar pra mim essa otima desculpa. Nao sou velha, eu sou moderna, atual, vivo o presente...
    :-)
    Beijos querida Cris e sim, odeio tbm as benditas letrinhas.. mas parece que ja nao é tao facil se livrar delas como antes no novo layout...

    ResponderExcluir
  14. Oi Dama!

    Nem sei meu comentário vai ser bom...tem dias que a cabeça parece meio anestesiada (hoje estou assim). mas vamos lá!
    Penso um pouco como você, também não sei se ia querer saber de um pai que não estivesse interessado em mim, mas tenho uma "afilhada" que foi atrás de um pai que nem queria saber dela, pediu dna deu positivo e ela teve o direito de passar a usar o sobrenome dele. Já faz muito tempo tudo isso, ela ainda era menor de idade, mas lembro que ela não se sentia bem de ver "pai desconhecido" na sua certidão; o pai era conhecido só não era reconhecido. Depois do processo todo ela não se aproximou dele, mas sentiu-se melhor com o nome completo.
    Quanto a sentir-se velho...não me sinto, mas sou super saudosista! Não melancólica, mas gosto demais de lembrar das coisas boas que curti. Hoje ando muito mole e não aproveito nada! rsrsrs
    E as tais letrinhas, realmente são um saco! E olha que não é só blogueira nova não, tem algumas mais antigas que mantêm essas odiosas letrinhas. Sempre que posso dou um toque, mas nem sempre elas gostam...

    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
  15. Olá Dama

    mandou benzasso! Primeiro, o meu pai foi embora e nunca mais voltou e tbm me dava agonia quando eu via o fantastico,como vc. Segundo, eu tenho 37 anos mas não me sinto nem a pau com essa idade,nem no corpo nem na alma kkk e por ultimo a verificaçao de palavras eh algo pela saco mesmo

    adorei tudo.bjus.

    ResponderExcluir
  16. Dama

    Concordo com os dois pontos de vista. Quanto ao primeiro, acho que nem deve ser chamado de pai uma criatura que abandona um filho.
    Sobre idade, conheço pessoas com quase noventa anos (como meu avô, por exemplo) e que são super ágeis, lúcidas e felizes.

    Um beijo e boa quinta

    ResponderExcluir
  17. Foi por isso que eu amei esse blog!
    Poderia fazer minhas as suas palavras sem tirar nadinha.
    Mandou muito bem mais uma vez.
    Super abraço e parabéns!

    ResponderExcluir
  18. Olá.

    Penso que ser pai,
    é cuidar de outra vida
    com amor.
    Se um homem renuncia
    a este amor,
    também se faz indigno
    de recebê-lo.

    Quanto a verificação
    de comentários,
    penso que o irritar,
    conseguiu mais um instrumento.


    Que haja sempre perfume
    de sonhos em tua vida.

    ResponderExcluir
  19. Demorei, mas cheguei!

    Achei bacana esse estilo 3 em 1! ahahah

    Concordo contigo no primeiro assunto. Nem com meu pai me reconhecendo, eu corro atrás, o que dirá se ele não me reconhecesse. E sabe aquela frase que diz que quem some não é confiável? Então... Aplico ela a isso tbm. Só acho que a pessoa deve correr atrás do pai que não a reconheceu, se ele foi o Eike Batista ou outro ainda mais rico. O que é bem difícil, né?! kkk

    Quanto a não se sentir velho, acho isso muito curioso, pois eu sinto o meu corpo como o de um velho e uma mente sei lá, meio nãi sei explicar direito rs

    Ah, quanto às palavrinahs chatas.. Já fui verificar isso no meu blog, mas pra mim, sempre aparece que isso tá ativado. Quando vc for no meu comentar, vc me avisa se essa merda está ativada ou não? rs Obrigado!

    Beijão!!

    ResponderExcluir
  20. Oi, adoro seus posts, antes de mais nada. Sobre a primeira questão do fantástico,nunca assisti e nem posso dar opinião.Sobre não se sentir velho, é isso mesmo, as pessoas saudosistas, lembram muito do passado e esquecem o agora, eu tenho uma cabeça legal e me sinto um pouco meninona. E a verificação de palavras é um horror e apoio a campanha!!
    beijos e boa páscoa!
    Sheyla.

    ResponderExcluir
  21. Não entendo o que leva as pessoas a quererem o reconhecimento de alguém que não liga a mínima para elas... Afastei-me de meu pai, quando era vivo, porque ele não era nada que um pai deveria ser... acho que nunca iria atrás de um pai que me renegou...

    Sobre as palavras de confirmação de comentários... NO COMMENTS! ODEIO!

    ResponderExcluir
  22. Para o primeiro tema, só digo uma coisa: sociedade patriarcal.
    Segundo: andar com pessoas mais novas, porém com mentes maduras, ajuda.
    E último: puxa vida, e eu achando que no meu blog não acontecia isso. Tá desabilitadíssimo! Mil desculpas.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  23. Oi Dama
    Tema estimulante esse dos filhos procurando pais. Do ponto de vista do meu jeito de ser, concordo com você: sou muito assim, se alguém me sacaneia, pra mim tá morto, ponto final, seja quem for. E um pai que dá as costas pra um filho é a coisa mais sacana que tem.O meu pai foi um pai de filme de terror enquanto pôde; depois que eu e uma irmã pusemos um ponto final nisso,todos da família meio que passaram a ignorá-lo.Quando ele adoeceu e estava morrendo, implorou que fôssemos vê-lo, queria pedir perdão. Todos foram, menos eu. Me acusaram de rancorosa, mas não vi assim, vi como coerência. O cara nunca foi um pai, foi um tirano sádico e depois quando tá morrendo se arrepende? Fizesse isso antes, oportunidade teve. Mas por outro lado, as pessoas têm cada um seu jeito de sentir as coisas e idealizam muito; mesmo pensando (e eu penso...risos)que o povo gosta de se enganar porque é mais fácil que aceitar as coisas como são, faço um esforço pra ser compreensiva. Menos em se tratando de crianças, claro, que as pobrezinhas nem têm como racionalizar uma tristeza dessas. Mas te falo, se tivesse acontecido com um filho meu, eu diria quantas vezes fossem necessárias que o problema não seria com o filho, seria com a falta de caráter do pilantra do pai.
    Sobre isso de se sentir velha(o)antes do tempo,eu não me sinto, ao contrário, na minha cabeça eu ainda sou muito jovem...
    Aproveito pra comentar seu comentário no meu canto: de fato, não vivi minha adolescência (nem a infância, aliás), por razões que não vêm ao caso agora e depois tive que ser uma pessoa mais dura e madura do que minha idade, sou a mais velha da minha casa e o marido é o caçula da família, além disso ele elevou á enésima potência a arte de se transformar em parede sempre que tínhamos (temos)uma situação de crise ou conflito com os filhos. De toda forma, fiz o que tinha que fazer, não me arrependo, valeu a pena e ainda estou em tempo de recuperar algumas vivências, com a vantagem que alguma sabedoria decorrente da idade traz. Mas eu vivo no presente e para o futuro.
    Sobre a verificação de letras, perdi a conta das vezes que ia comentar algum post interessante e desisti. Configurei meu blog pra aceitar comentários direto, mas vou lá conferir se ainda está assim.
    Nossa, fiz um jornal aqui e se você achar melhor, nem publica, tá, mas é que gosto de 'conversar' com você.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  24. Vim te desejar uma excelente Páscoa e agradecer os parabéns no meu blog. Beijinhos

    ResponderExcluir
  25. Concordo plenamente com o que vc disse a respeito dos pais.

    Desde adolescente, sou um moço velho, assim como o da música do Roberto Carlos.Mas me sinto velho mesmo quando me olho no espelho e vejo a barba branca.rs

    As letras são um saco. Pior é que eu , às vezes, nem enxergo direito, daí, erro e tenho que começar tudo de novo...

    ResponderExcluir
  26. Dama,

    Eu não refleti muito ao te responder sobre sua opinião , referente aos pais. Depois de ler os comentários, cheguei a conclusão que os filhos rejeitados, não deixam de ter um pouco de razão em procurar seus pais. Uma opinante falou até em idealização, o que achei muito correto. Criamos a ilusão que ao procurarmos um pai que nos rejeitou, ele poderá nos amar, ficar com a gente. E ainda, para aqueles que não conheceram seu pai, existe curiosidade em saber quem ele é.

    Meu pai foi um pai ausente e autoritário, uma pessoa difícil de se lidar. Nós não nos entendiamos . Curioso, é que a maioria dos sonhos que tenho com ele , estamos numa boa.Penso que meu sub consciente gostaria que a gente se desse bem.

    ResponderExcluir
  27. é tarde, é tarde, é tarde é tarde é tarde...

    Feliz Páscoa Dama, um bom feriado pra você! \O

    ResponderExcluir
  28. Dama, desculpe discordar, mas e facil dizer que voce tem certeza de como se sentiria se fosse adotada ous e tivesse sido rejeitada, nao tendo sido.

    Meus pais nao sao adotivos, nao me rejeitaram e eu nao consigo imaginar como me sentiria se tivesse sido "abandonada". Acho que faria o que vc diz, mas saber, saber, so se sabe calcando os sapatos.

    Fiz 40 anos em dezembro. Acho engracado as pessoas me acharem "velha". velho na minha opiniao e sempre o outro. Eu tenho 40, velho e o de 60, que acha que velho mesmo e o de 80 ( e esse talvez concorde, pq nao tem muitos zanzando por ai aos 100).

    E eu tb detesto a verificacao de palavras!

    ResponderExcluir
  29. Isso Cris....vou ver se faço um post de novo sobre essas letrinhas desgraçadas também....o coisa chata demais!!!
    Essa do pai é complicado, de repente quem nunca teve fica querendo saber como seria, mesmo sabendo que foi abandonado.Também não sou de correr atras de quem não me quer, mas acho que pagaria pra ver...rs...sou curiosa e turrona!!!
    Adorei os temas....também me acho jovem....idade??? Que???
    Cris...quer dizer que a sua cadela tambem apronta...rs??? Sao umas figuras...
    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  30. Mendigar amor não é legal, mas acho que ali é um acúmulo de mágoa que deseja reversão. Não a mágoa dos pais, mas da sociedade. Imagina a situação ao preencher cadastros, entre outras coisas e não constar o nome do pai? "Nome do pai", "não tenho".
    Do lado sentimental é complicado analisar, pois não sabemos os detalhes e os detalhes fazem a diferença.
    Fiquei orfã muito cedo e preferia ter meu pai brigando comigo, assim sentiria o negativo palpável. Do que imaginar como é ter um pai acompanhando a sua vida, mesmo que dessa forma negativa. Nunca senti falta do meu pai e fui sentir somente quando fiquei orfã de mãe. Mas daí os nomes constam nos documentos, mas você não tem. Ninguém te olha atravessado ou conjectura sobre a sua existência.

    As letrinhas? Caso perdido, fia!! Até os emails estão com elas! Ah, e tem outra: Quem faz a modificação, tem que atualizar o cache do navegador, pois só assim aparece a modificação. Antes disso dá a falsa impressão que as mudanças não foram feitas e isso, para quem não sabe o básico de navegação na internet, torna-se um trabalho complicado.
    Por outro lado, quem não quer a moderação, adota as letrinhas. Não é preferível não aceitar "anônimo" comentando? Eu prefiro assim. Afinal, a maioria que comenta tem perfil em alguma ferramenta.
    Feliz Páscoa!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  31. Eu não vi a reportagem, mas pelo que contou deve ser realmente angustiante. Fico pensando tbm nas mães dessas pessoas, o que devem ter dito a elas quando foram perguntadas sobre quem seriam seus pais, como deveria ser na escola vendo seus coleguinhas tendo pais, comemorando e dando presentes nos dias dos pais e afins... Imagina como uma pessoa que cresce passando por isso deve ter sua autoestima afetada por não ter um pai!
    Agora, não sei se o que eles fazem buscando reconhecimento é em vão. Acho que o reconhecimento da paternidade, ainda que através das vias judiciais, é uma forma de chamar aquela pessoa à sua responsabilidade. Botar um filho no mundo e largá-lo à sua própria sorte é muita crueldade com alguém que não pediu pra nascer!
    Não se trata apenas de sustentá-lo, mas de dar-lhe uma referência importante!
    Acho que dizer que seria indiferente a isso sem saber o que é não ter um pai um pouco complicado viu!

    E sobre envelhecer, nossa, eu conheço várias pessoas com mais de 50 anos que se sentem super jovens! E de fato são pessoas que tem um papo prafrentex, são ativas, que se vestem com roupas mais joviais, cheias de energia e eu curto muito. E, infelizmente, elas sofrem com o preconceito de quem não entende isso. Quando eu saia com meu ex, minhas amigas ficavam inconformadas pela diferença de idade, pelos cabelos brancos dele, quando eu não percebia nada disso. A experiencia de vida e a maturidade dele, sem os vacilos dos bocozões da minha idade me atraiam taaaannnto!
    O mesmo da mae de uma amiga minha que tinha um namorado novinho e ninguém aceitava, porque as pessoas eram incapazes de ver o que um sentia pelo outro. Tinham como argumento a diferença na aparencia. Acho que ela não soube lidar com isso, porque ela passou a usar vestidinhos, fazer plásticas e falar que nem uma menininha de 10 anos. Ela tirou tanto o excesso de pele nas pálpebras, que agora, quando ela pisca, o olho não fecha!!! No meu caso, eu parei de pintar os cabelos e deixar meus cabelos brancos à mostra...
    Sei lá, eu ainda quero entender isso. O peso é muito grande e eu não pude suportar. Eu queria tanto que ele assumisse abertamente!!! =(
    E ainda lamento muito que tudo tenha acabado assim. =(

    ResponderExcluir
  32. Eu nunca consigo escrever a palavra certa na 1 vez...

    Quando aos pais, o meu nao dava muita bola e eu corria atrás quando era criança. Depois desencanei e aconteceu o que aconteceu...

    ResponderExcluir
  33. Os assuntos que você abordou são muito bons. Também acho que não correria atrás de pais que não tem nenhum apreço por mim, apesar de comparar idiotamente isto a relações amorosas.. rs. Quanto à idade, também achei genial o ponto de vista do presente. Eu não havia pensando nisso quando as pessoas comentam coisas do tipo: "Ele não tem a idade que aparenta ter." Muito legal. Quanto aos comentários, isso me desanima muito. Perder tempo decifrando esses códigos e muito chato e desanima os comentários.

    Bom feriado, beijo! Ótimo blog.

    ResponderExcluir
  34. Passei aqui para te desejar uma feliz Páscoa e agradecer a visita no meu blog, vc será sempre bem vinda.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  35. Eu também não iria atras dos meus pais se eu tivesse sido abandonada por eles.
    Esses dias tbm vendo o fantástico, falei com a minha mãe, que se eu fosse adotada, eu continuaria com ela. Tbm não costumo correr atrás de ninguém, especialmente se esse alguém me rejeitar.

    Essas verificações de palavras são mesmo uma "merdinha".
    Bom seria que todo mundo tirasse elas ne?

    Beijos, bom final de semana pra vc.
    http://maisqueumsimplesdiario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  36. Não gosto da tv mostrando reencontros. Me dá uma forte impressão de manipulação pelo programa de tv. E o negócio de digitar códigos nos comentários, é chato mesmo. Abraços, boa páscoa. ...Carlos Medeiros...http://grandeonda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  37. Quanto à primeira parte: eu também sinto a mesma coisa.
    Quanto à segunda parte: não acho que relembrar o passado possa te fazer sentir velho. Para mim é o contrário. O que traz a sensação de velho é olhar para frente e ver que não há mais nada a fazer. Para mim ser velho é desistir da vida, achar que há pouco tempo.
    Quanto à terceira: ah, isso é uma chatice mesmo!!! Moderação de comentários tá aí para ser usada!

    Beijos

    ResponderExcluir
  38. Olá!!!
    Voltei! :D

    Concordo plenamente!! Se meus pais biológicos tivessem me abandonado não ia querer nem saber. Mesmo que tivesse sido por total falta de condições e não por maldade... acho que deve haver consideração e respeito àqueles que criaram a pessoa.

    É o mesmo que dizer: você me acolheu e me criou até hoje, mas você não é suficiente pra mim.

    Posso até estar sendo radical, mas é assim que penso!

    :**

    ResponderExcluir
  39. Concordo com vc em gênero, nº e grau. Deixaria esses pais indiferentes demonstando a mesma indiferença. Q diferença faz, afinal?
    A sacada fi mesmo demais. Tenho tentado me voltar mais pro presente.
    Fala sério, essas letrinhas q deixam a gente quase cego, não dá!!! Tb ODEIO.
    BJs.

    ResponderExcluir
  40. 1ª Trabalhei numa instituição que presta assistência a crianças em situação de risco. Das 70 atendidas, apenas por volta de 10 sabem quem é o pai. Dessas, só 7 tinham alguma assistência do cara. Acho que é bem ilustrativo.

    2ª Eu tenho 29 anos? Não acrediiiiiiito rs

    3ª Assino embaixo... ô coisinha chata essas letrinhas, viu?

    Bjs!

    ResponderExcluir
  41. eu tb, se meu pai me largasse eu nem ia querer saber dele, muito menos carregar o nome dele, afff. se perigar, fazia até plástica pra não ficar nada parecido com um pai desses rs.

    idade tá na mente, tenho a certeza disso. vejo aqui, velhinhos "bem velhinhos" com uma vitalidade, fazendo tantas coisas, curtindo a vida. tb gostei do insight da Marilia Gabriela.

    moderação de comentários já existe, pra que ainda exigir letrinhas? é requisito demais para simples blogues. e geralmente é tanta burocracia pra ler "oi, eu comi arroz e feijão"rs

    bjs Dama, boa semana pra vc!

    ResponderExcluir
  42. Ninguém merece essa confirmação de letras. E muita gente não sabe que seu blog tem. Geralmente, aviso educadamente os blogs que visito, acerca delas.
    Concordo com seu ponto de vista quanto a estar voltado para o presente, para o agora. Também me sinto assim.
    Quanto aos pais... melhor nem comentar.

    ResponderExcluir
  43. Penso como vc. Por que eu iria perder meu tempo indo atrás de alguém que não me quis? Mas talvez eu pense assim porque tive meus pais presentes. O ser humano é complexo demais, egocêntrico, orgulhoso, cheio de traumas e sentimentos mal resolvidos.
    Quanto à envelhecer, eu também me sinto mais jovem do que sou, apesar de ser uma pessoa saudosista. Mas quanto mais me lembro do passado mais tenho a sensação de que tudo foi "apenas ontem". Sei lá, apenas não me sinto velha.
    E quanto às letrinhas insuportáveis, bem , elas são insuportáveis.
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  44. Bom quanto ao envelhecer penso como meu avô , velho é trapo e não me sinto um rrsrs mto pelo contrário ....,não levo jeit pra me sentir ''passada'' , estou sempre a corda toda rsrsrs, sei la acho que pelo meu ritmo de vida , por eu não parar , acho que não consigo me sentir velha .
    Tenho uma familia presente , cheia de pontos fracos , mas presente nem que seja aquela italianada falando todos ao mesmo tempo rsrs mas presente , adoro meu pai , nos damos super bem e nao me imagino sem ele , mas acho que se ele tivesse me renegado eu nao iria busca lo não, se nao me quis enm eu te quero , sou assim ...Já sobre as letra eu retirei as minha s rsrrs voce me ensinou rsrs e é super chgato aquilo mesmo bjs

    ResponderExcluir
  45. Eu nunca corri atrás do pai biológico da minha filha para que ele a registrasse. E foi bom porque ela não dá a mínima importância a ele e é mais radical; não dá importância nem a família dele. Fico com dó é depois que ele foi embora casou e teve um filho. Eu soube que está criança considera minha filha como irmã. Fui falar isso a ela e ela disse que não tem irmão nenhum, pois o pai dela é meu marido que a registrou e a criou.
    Eu concordo com ela. Só acho que ela jogou todo mundo no mesmo saco e ignorou geral. Aí eu fiquei com pena.

    Quando a sentir-se velha. Para umas coisas me sinto uma anciã e para outras um bebê. Sou dos extremos.

    Letrinhas... Aimeudeus... Acho que o povo não tá sabendo que está com as letrinhas. Eu acho que letrinhas só é bom para aqueles bloggers que nem leem os comentários de tanto que tem. Do contrário não entendo o motivo delas. Só estão discriminando os robôs, mas eu só vejo eles em sites de notícias.

    Beijos... Estou no celular e por isso... Aí, já to me explicando... Rsrsrs

    ResponderExcluir
  46. Não sei se essas pessoas acham que ter o reconhecimento do pai irá, de alguma forma, diminuir a lacuna que ficou... o que eu penso é que pode aumentar o sofrimento ainda mais... mas não sei como eu agiria numa situação como essas, provavelmente não gostaria de conhecê-lo.

    ResponderExcluir
  47. Eu fecho total com você! Saber de quem nunca me quis? Pra quê? Não nasci pra ser masoquista nem pra sofrer além do que me é imposto. Bjo!

    ResponderExcluir
  48. Referente ao primeiro e terceiro assunto, concordo em gênero, número e grau.

    Assisti o programa Fantástico, e fiquei me perguntando, por quê do menino correr atrás do pai dele, que estava estampado na cara, que era indiferente ele ser pai ou não. Fiquei com vergonha pelo rapazinho!

    Agora, sobre a confirmação das letrinhas, antes o meu blog era habilitado, mas depois da sua dica, tirei essa idiotice do meu espaço... E, foi você quem me ajudou! Rs!!

    Beijos

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html