quinta-feira, 24 de março de 2011

O caso Casey e comentando sobre bullying...

A extensão do caso do menino Casey, que sofria bullying durante anos e um dia explode revidando de uma maneira que parece cruel, tomou toda essa proporção exatamente pela identificação de todos nós que sofremos bullying tivemos com o tal vídeo.

Quantos de nós que fomos torturados durante anos, com chacotas, piadas, sendo expostos ao rídiculo e até sofrendo agressões físicas de turminhas de alunos e alunas sem nenhuma noção de humanidade, quando vimos o vídeo, nos sentimos meio que vingados?

Não me venha com essa história de que violência não tem que ser combatidas com violência! Quando a situação é na nossa pele, sabemos o quanto doi. E sofrer bullying de uma forma pesada, é uma dor tamanha que faz a gente até pensar em suicídio, ou nunca mais voltar ao colégio.

Nota-se que Casey é um menino pacífico, ele jamais teria reagido de tal forma se não estivesse completamente esgotado emocionalmente de tantos abusos!

Eu como sofri bullying de uma maneira que me marcou negativamente. Quando assisti o Casey revidando e atirando aquele menino no chão, meu desejo era que todos os ossos do corpo dele tivessem sido quebrados. Ok, poderia ser politicamente correta e dizer que o Casey não precisava revidar de forma tão brusca. Mas como não gosto de enfeitar palavras, achei o máximo ver aquele infeliz todo troncho, mancando pra lá e pra cá... Quantas vezes quis fazer isso com as e os líderes das turmas que me perseguiam e não pude, não deu, ou não tive coragem. Sei lá...

Vale a pena ver a entrevista:


41 comentários:

  1. É, Dama. Lembro-me que em outro posto você comentou sobre este tema. Olha, ao assistir esse vídeo pude me sentir vingada, e meus olhos encheram de lágrimas. Sinceramente, não sou a favor de brigas, mas ele fez certíssimo em revidar. No lugar dele, se eu tivesse tido a coragem que ele tem, a anos atrás faria a mesma coisa. Ele é um guerreiro, por enfrentar não apenas seus agressores, mas principalmente por enfrentar seus medos.
    Além disso, que amigos - os 8 -, filho da P; para mim, eles não eram amigos bosta nenhuma, pois amigos não abandonam assim.
    A maldade das crianças ainda me assusta, e parece que a cada dia isso se torna maior. Então, algo tem que ser feito. No entanto, ainda penso que temos que avançar MUITO nessa discussão, pois saber como lidar com o Bullying ainda é estremamente complexo.
    Ótimo vídeo, ótimo post!
    Bju,
    K.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Dama

    é estranho, um lado meu (o hipócrita provavelmente) queria poder dizer que está errado, mas, a verdade é que todo o resto de mim se emociona e é isso mesmo. Doeu tanto quando ele disse que as pessoas só precisam aguentar firme porque a escola não dura para sempre. Não deveria ser assim... É triste demais.
    Sabe quem precisava de uns bons tapas? Os pais dos meninos que agridem aos outros. Meninos precisam ser "adestrados", e isso é responsabilidade dos pais. Fico muito brava quando vejo crianças e adolescentes mal educados e cruéis... Enfim, se os pais não educam a vida o faz... Que bom que ele resolveu se defender, ninguém merece viver tão triste.
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  3. Ao ver o vídeo fiquei impressionada com a força do Casey, com a cara de pau do molequinho que o atentava, tendo ficado satisfeita em ver o resultado. Mesmo não sendo violenta, já passei por algumas situações limites em que uma "pancada" verbal funcionou muito bem. "C'est la vie"... Um beijo, Karina.

    ResponderExcluir
  4. repassei o link do seu blog e o video para todas as pessoas da minha cx postal.

    Não sou adepto da violencia, mas o basta que esse menino deu, vale talvez como vingança por milhões de outros garotos que não tem coragem ou força para enfrentar esse problema...

    Espero que não vire uma febre de violencia por aí...seria mais facil pais e educadores prestarem mais atenção nos pequenos..

    Agradeço a quem um dia chamou isso de bullying e fez com que todos soubessem que existe sim essa pratica em qualquer canto desse planeta...

    beijão.

    ResponderExcluir
  5. Revidar é uma consequencia normal da vida,basta saber se temos coragem pra tanto.Eu sofri anos de um tipo de violencia emocional silenciosa,me acomodei achando que era normal,mas nao é.E nao era de uma so pessoa,mas de varias.Quando explodi,chutei o pau da barraca e rompi com tds.E o que é melhor,nao desculpo.A GENTE PRECISA SE IMPOR PRA SER RESPEITADA.Vc é como se conduz.Vivo dizendo,level muito tapa na cara hoje quem da sou eu.Esse garoto foi otimo!BOM FIM DE SEMANA,DAMA,bjk

    ResponderExcluir
  6. Comigo eh toma lá dá cá. Queo nem saber. Se der leva na hora. Mesmo eu sendo uma pessoa calma, tranquila, até fru-fru de vez em quando, meu sangue rock´n´roll me impulsiona e não me deixa levar desaforo pra casa.
    Acho que ele tá certo, só assim vai impor-se perante os outros.
    Bjus

    ResponderExcluir
  7. Oi Dama!

    Eu faço o curso de História e faço um estágio em sala de aula. Confesso que é uma situação muito complicada para o professor, pois, durante as aulas, eu procuro trabalhar o respeito pelo outro, mas, tem gente como o caso desse menino que vem sofrendo durante anos, aí paciência né?! tudo tem limite. Ele estava esgotado, simplesmente estourou. É certo? É errado? Quem sabe! Ninguém tem como medir esse sentimento de revolta e tristeza acumulado durante anos de sofrimento.

    Gostei demais do post!

    ResponderExcluir
  8. Qualquer um que é colocado em um situação de stress extremo tende a reagir de maneira igualmente extremada. Não vi o vídeo porque essas coisas me fazem muito mal. Não entendo o motivo que leva pessoas, nesse caso, crianças a maltratar outras.
    Bem feito para o agressor. Aprendeu uma lição: um dia é da caça e outro do caçador.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Só tu mesmo. Coragem, teu nome é Dama de Cinzas.

    Sabe... na hora que eu vi a cena eu disse: TOMA FILHO DA PUTA!

    E quando a repórter disse que mesmo parecendo uma imagem forte... o menino não teve nada grave... eu disse: UMA PENA! DEVIA TER TIDO O CRÂNIO RACHADO OU A CERVICAL E FICAR TETRAPLÉGICO.

    Esse é o meu lado negro... são aquelas coisas que eu digo na hora... e depois penso melhor... mesmo que eu continue com a mesma opinião... eu fico na minha. A sociedade ainda não está preparada pra isso.

    Eu senti algo do tipo quando o filho da Ciça Guimaraes foi morto por causa de um racha. Toda vez que eu vejo um idiota andando de skate na pista eu penso: se eu mato uma porra dessa quem se fode sou eu.

    Ninguém comentou que o filhinho da atriz não tinha nada que tá de skate assim como o outro não tinha nada que tá fazendo racha.

    Queria ver se fosse o contrário... se fosse o filho da atriz que tivesse matado um menino no skate enquanto fazia racha... ah... isso eu queria ver.

    BeijoZzz

    ResponderExcluir
  10. Eu também senti, porque sabe que estou passando por isso no papel de mae, do meu inocente de 7 anos.
    Mas, conversei muito com ele, fui muito enfática com a direçao da escola, já notei que as atividades (tema de casa) estao sendo trabalhados de forma a dar um toque nos pais sobre diferenças, e eu e a diretora conversamos com ele e intruimos ele a nao iniciar a violencia, mas uma vez agredido se defender. Ontem ele me contou todo feliz, que seu colega do que chamamos : turma do bate-bate, chutou sua canela, ele me disse: eu chutei de volta e ele saiu.
    Tive que ser obrigada a dizer muito bem, mas nunca comece, somente s defenda, fazendo ele sentir o que vc sente....errado, sim, muito errado ter que falar isso para o meu filhote, mas...ele esta mais auto-c0nfiante, sabendo que pode se defender, que estamos do lado dele, agora e a hora dele interromper isso, nao quando tiver 15 anos!! bjssssssssssssss Dama

    ResponderExcluir
  11. Eu deveria ser politicamente correta e dizer que violência não se combate com violência... mas de politicamente correta, não tenho nada. Provavelmente, eu no lugar do garoto teria feito pior (lembrando que certa vez quebrei a costela de uma pessoa que estava, digamos, me provocando com bullying... e teria quebrado outras se não tivessem me parado).

    Concordo com a Juliana: quem merece uns tapas são os pais dos moleques que maltratam os outros. Educação, ou a falta dela, e respeito ao próximo, ou a falta dele, vêm de casa.

    ResponderExcluir
  12. Como em muitas situações de dificuldade precisamos reagir a ela, e neste caso reagir se fez necessário.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Esses dias conversei com uma amiga pedagoga e ela ensina à própria filha que deve defender-se, mas não iniciar uma briga. Quem não se defende acaba virando objeto de chacota do grupo e apanhando mais do que deve. É contra o ensinamento religioso mas é uma questão de autopreservação.
    Beijo
    Adri

    ResponderExcluir
  14. Oi Dama, em primeiro lugar vim agradecer a visita. Já "conhecia" você de "vista", sempre leio seus comentários nos blog PIB e Um pouco de mim e te acho muito atêntica é claro rsrsrs.
    Gostei de mais da sua visita, é uma pessoa de forte personalidade e que traz conteúdo nos seus comentários.
    Quanto ao seu post, ando meio desinformada ultimamente e desconheço o caso Casey, mas procurarei me informar.
    Acredito que em certas situações fica mesmo difícil manter a postura de politicamente incorreto e o que queremos é que a justiça seja feita e que o culpado tenha a lição que merece.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Dama, eu assiti esse vídeo e me comoveu, pois dá pra perceber claramente que o Casey é um menino de coração bom e que só fez se defender e resgatar sua dignidade.
    Que isso sirva de lição pra todos aqueles que praticam o bullyng, pois ninguém é obrigado a ser constrangido seja por sua condição física, social, sexual ou qualquer outra.
    Eu sou contra a violência, mas há casos em que não se tem outra opção, então que cada um exerça o seu direito de ser como é e ser respeitado por isso.
    Com certeza esse menino vai saber direcionar sua vida da melhor forma desde que... não deixe o brilho e a fama subirem á cabeça né?
    Outra coisa que reparei foi o "pai" do menino que estava completamente alheio á tudo que acontecia, e isso se dá pela falta de diálogo, pela falta de intimidade que há no seio das famílias, pela falta de estrutura.
    A irmã sabia de tudo, e graças á ela esse menino não vai passar o resto da vida complexado e cheio de medos.
    Quando será que os pais vão se conscientizar que quando colocam um filho no mundo tem que acompanhar sua trajetória,dialogar e saber como vão as coisas?
    Com ceteza em famílias onde há abertura para se expor sentimentos isso não acontece
    Beijos pra ti!

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Sabe que não sou lá muito fã de violência, mas sou obrigada a admirar mprofundamente esse menino e sua atitude perante os demais.

    Sabe que às vezes penso que se todos os que já sofreram com abusos desse tipo tivessem tido a coragem de enfrentar seus medos, talvez existissem, hoje, menos canalhas adultos...

    Grande beijo!

    PS: Gostei muito do blog!

    Déia

    ResponderExcluir
  17. Eu seria hipócrita se dissesse que nunca tive vontade de fazer o mesmo! Super concordo com vc!
    Bjos

    ResponderExcluir
  18. Eu nao sei o que é, mas esses casos de bulying me deprimem tanto, detesto escutar sobre eles e detesto ve-los nos videos quando aparecem.
    Sinto la dentro,nao sei se piorou depois que tive filhos ou que diabo é...so sei que me entristece saber que as crianças podem ser tao crueis.
    Esse é um assunto constante aqui em casa,nao sei o que é pior, ter um que sofre ou um que faz sofrer.
    Apesar de detestar ver brigas fisicas,tambem adorei ve-lo reagindo,o outro saiu tronchinho...rs.
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  19. Apoio totalmente o Casey. Não importa se é bullying(ô país americanizado este Brasil!), tem q haver o respeito ao seu semelhante. Os q quiseram me fazer de idiota ou de serviçal, levaram o troco, nem sempre só com agressões verbais, alguns com sopapos tb. Na blogosfera, um sujeito, quarentão, me insultou tanto, mas tanto e de graça,q se eu estivesse cara a cara com ele, o encararia. Poderia até resultar em morte, sério. E, no pesamento, sou um assassino em potencial, o q eu já matei de gente. Quem tiver curiosidade, olhe meu post sobre desafetos orkutianos(excremento), no qual relato meu desentendimento com o excremento(rs). beldadedaminhavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Bicho, esse mundo tá mesmo muito estranho!

    ResponderExcluir
  21. Eu já tinha visto o vídeo e achei fantástico, pois é assim que acontece na escola. Os gordos são as primeiras vítimas. Como professores temos que advertir os dois lados, as no fundo dá uma alegria quando a vítima reage. Se mais vítimas reagissem, os "pretensos valentôes" não encheriam tanto o saco.

    Na entrevista na TV, o guri menor disse que foi o grandão que o agrediu primeiro e é sempre assim o que os "pretensos valentões" contam em casa.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Sabe a marca de sobremesas Royal? Tem um mascote chamado Bocão, ou pelo menos tinha, né? Pois esse era o meu apelido na escola por conta, obviamente, da minha "pequena" boca...rs

    Aconteceu há uns 15, 16 anos, nem faz tanto tempo assim, mas ninguém chamava de bullying e o Serviço de Orientação Pedagógica da escola (que era particular, só pra constar) não dedicava tempo nem atenção para o caso, fosse para o meu ou o de qualquer outro aluno que sofresse com isso.

    Se o que faltava era batizar a tortura com um termo em inglês para que as pessoas passassem a se preocupar, agora tem-se um. Tomara que realmente a postura mude.

    * Obrigada pela visita, seja muito bem-vinda ao meu blog.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  23. Tipo assim, o moleque não queria tanto brigar. O Magrela insistiu achando que ele ia se comportar como sempre, porém todos nós temos limites.

    Eu, não muito envergonhado, adorei ver o moleque jogando o outro no chão.

    ResponderExcluir
  24. Oi,minha cara Dama!Nessas horas danem-se os políticamente correntos, eu já tive a oportunidade de me vingar e me vinguei bonito e acabei virando a heroína da escola, isso foi mutio bom,todo mundo passou a me tratar com respeito...
    Tem uma hora que a gente explode ninguém tem sabgue de barata.
    Um ótimo domingo!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  25. O vidio que vi por duas vezes complementa o caso que tenho acompanhado na TV são verdadeira barbaridades que tenho acompanhado.
    Um feliz Domingo beijos carinhosos ,Evanir.
    Te sigo.
    http://.aviagem1.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  26. Vou te contar um segredo Dama, isso não é muito ético, afinal sou educadora, cristã e blá... blá... blá..., mas eu pensei a mesma coisa que a Vaneza quando vi essa cena!

    "TOMA FILHO DA PUTA!"

    Me senti vingada por todos os recreios em que eu fiquei trancada naquele banheiro chorando, tentando não ouvir o que as grandalhonas da minha sala diziam, com medo de que elas arrombassem a porta, contando os minutos para o horario do recreio acabar!!!

    Todo mundo que já foi massacrado na escola, deve ter se sentido vingado \o/

    ResponderExcluir
  27. ººº
    Gostei do texto e do video ;)

    ResponderExcluir
  28. Todos nós de alguma forma sofremos bullyng..so nao juntavamos o nome a pessoa!
    alguns, de forma mais agressiva, sofrem com essa "brincadeirinha" por toda a vida!
    de qualquer forma e bom combater esse mal e evitar!
    BJSSS
    LEO

    ResponderExcluir
  29. Eu não sofri buylling na escola, nem o Gabriel, e eu sempre ensinei a não brigar!
    Mas ele nunca foi de apanhar calado... se alguém se metesse com ele, ele revidava na hora! Eu vivia sendo chamada na escola...
    Chorei vendo essa entrevista, imaginando o que eu sentiria se meu filho passasse por isso...

    ResponderExcluir
  30. bom dia!
    meu filho já passou por isso com u professor;minhavontade sinceramente,foi de perde a linha,e dá uns bons tapas nela mas denunciei a professora ao conselho tutelar.

    ResponderExcluir
  31. Acho um tema tão delicado,e me posicionar sobre esse menino,não posso ser hipócrita em dizer que ele errou ao revidar todas as humilhações vividas!Quem que passou por isso não gostaria de ter feito o mesmo?
    Que atire a primeira pedra...se puder!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  32. Querida Dama,
    Que garoto fantástico esse! E olha o conselho dele: "...as pessoas só precisam aguentar firme porque a escola não dura para sempre".

    Esse garoto é mesmo um herói, ele conseguiu defender-se na medida exata e proporcional à agressão sofrida, o que, convenhamos, seria quase impossível a qualquer um de nós que estivesse aguentando, por anos a fio, agressões gratuitas dessa natureza. Esse garoto nos dá uma lição de vida. E o vídeo, da forma como está, a meu ver, transformou-se num material pedagógico para as escolas, os pais, enfim, para a sociedade. Presta-se a inúmeras reflexões.
    Parabéns pelo post.
    Bjssssss

    ResponderExcluir
  33. o menino colheu o que plantou.
    Certo tá o Casey, paciência tem limite. Eu me pergunto qdo o bullying não empurra a molecada pra marginalidade, imensos problemas com auto estima e etc. Quem comete o bullying pega um gosto pelo sadismo, por judiar e se compensar maltratando alguém. E quem sofre o bullying tem uma barreira imensa a transpor, a auto imagem fica por demais abalada e prejudica a vida da pessoa por muito tempo (ou toda a vida, caso a pessoa "aceite" os motivos do bullying)

    triste demais isso. ponto pro Casey.

    ResponderExcluir
  34. Ao agarrar o menino agressor em seus braços e jogá-lo no chão como um saco de bos... de batatas, Casey tornou-se um ícone do inconformismo de todos nós contra a violência praticada na escola, no trabalho, na rua, e, muitas vezes, em casa. Hoje, ao ler o seu post e ver o vídeo, identifiquei-me plenamente com o seu posicionamento, Dama, apesar de toda a minha profissão de fé no Pacifismo. Um pouco de acidez em meu sangue não me fará mal, não?

    ResponderExcluir
  35. Dama

    ando em uma fase difícil de escrever, está tudo tão confuso e doendo tanto que não tenho conseguido escrever nada, mas, também sinto que preciso colocar o que sinto de alguma forma... E daí que tem sido sempre com música. A verdade é que a música é a coisa mais viva na minha vida, e que legal que você passa lá e compartilha comigo... Poucas pessoas se interessam por videos em posts.
    Beijoca

    ResponderExcluir
  36. Oi Dama

    Sabe o que mais me assusta? O que me machuca muito, de verdade? O fato de os pais serem sempre os últimos a saber. E não é por serem maus pais, ou por não estarem interessados. Não vejo assim. Acho que as crianças e os jovens apenas têm vergonha, medo, tristeza ou qualquer outra coisa que as impede de quebrar esse círculo, ainda que seja contando ao pai ou à mãe. Eu digo que fico triste porque imagino, por exemplo, que algo assim possa acontecer, ter acontecido ou estar acontecendo com a minha filha (embora eu pergunte sempre, converse sempre, e tente me manter próxima). Quem garante? Quando eles não querem falar, eles não falam mesmo. Enfim, não sei se consigo me fazer entender... mas apóio integralmente o Casey, adorei ver o que ele fez, e tenho certeza, ele pode se tornar um excelente exemplo! Não estou incitando a violência, mas acho legítimo o direito das pessoas de se defenderem, do jeito que for.
    Parabéns, Casey!!!

    E... parabéns, Dama, pelo assunto levantado, como sempre.

    Beijos

    Carla

    ResponderExcluir
  37. Dama quando eu vi o video eu chorei...porra chorei mesmo, me vi no lugar do Casey, e quando ele arremessou o moleque no chão chorei e ri ao mesmo tempo, e pensei cá comigo, BEM FEITO, merecia muito mais, como você disse me senti vingada.

    Bj!

    ResponderExcluir
  38. Entendi todo o drama do Casey, dama cinzenta! Porque passei por isso aos 14 anos, e pelo motivo inverso: era magro demais! E os covardes só passaram a me respeitar quando eu fiz como ele. Dei um soco na cara de um pilantrinha que me perseguia.
    Infelizmente, a violência, às vezes, é útil sim.
    Bjoo!!

    ResponderExcluir
  39. Ainda não tinha visto isso, acreditas?

    Grande homem esse garoto!!!

    aplaudo de pé!

    ResponderExcluir
  40. Confesso que vibrei ao ver a reação desse menino. Tenho pavor de covardia, e sei o quanto pode desestabilizar uma pessoa... Sou contra violência, tenho um filho que odeia briga, mas sempre o encorajo para cair de porrada se alguém tentar diminuí-lo e deixo bem claro que a pior atitude que existe é humilhar e magoar covardemente um ser humano. Convivo com uma pessoa que até hoje sofre as dores do bulling, por mais que tente, o sentimento de inferioridade e a insegurança continua. Recomendo cair pesado ao primeiro sinal de bulling.
    Dama de Cinzas, um grande beijo... Meu pai agradece o carinho!
    Gi

    ResponderExcluir
  41. Só quem sabe o que é sofrer Bullying pra entender a reação dele...

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html