quarta-feira, 9 de abril de 2008

Mulher Gato

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz,

Com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama)

E que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou mulher da sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuida de você e,


Principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim

Para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando,

Mas quem estava procurando por você!!!"

(Mário Quintana)


Quando passa o filme "Batmam - O Retorno" na TV, sempre paro para assistir até a cena em que a atriz Michelle Pfeiffer se transforma na Mulher Gato. Acho que no decorrer desses anos já vi e revi essa cena umas dezenas de vezes. A secretária Celina, moça cheia de sonhos, romântica e até com o tom de ingenuidade, entra em casa, dá leite para o gato, liga a secretária eletrônica ouve os recados e é lembrada por um recado dela mesma que precisa voltar ao escritório. Chegando lá, o chefe vilão descobre que ela sabe demais e a atira pela janela. Um monte de gatos fazem ela retornar a vida como Mulher Gato. Aí entra a cena que eu gosto. Ela repete toda a cena anterior da entrada em seu apartamento, só que totalmente transtornada, já na personalidade da vilã. E quebra tuuuudo, coloca os bichinhos de pelúcia no triturador da pia, saí destruindo todo o apartamento até fazer a roupa da Mulher Gato e terminar vestida com ela.

Eu vou explicar esse parágrafo enooooorme! Eu era uma mulher muito romântica, sonhadora, ingênua e que via o mundo atráves de um prisma cor de rosa! Acreditava demais nas pessoas, em quase tudo que os homens me falavam quando queriam me seduzir e me apaixonava com muita facilidade! Vivia atrás da minha outra metade, do príncipe encantado que tinha certeza estar reservado para mim.

Até aí tudo bem, não há mal em alguém ser assim, o problema que isso em mim era demaaaais. Todas essas características podiam ser multiplicadas por mil e eu sofria muito com as minhas decepções. Decepções causadas pela minha insistência em enxergar o mundo de um jeito que ele não era. Eu via as pessoas e os relacionamentos não como eles existiam de verdade, via o que projetava neles. Como dei cabeçada nessa vida!! Fui enganada das maneiras mais infantis, fui usada das maneiras mais sujas! Por culpa de quem? Dos outros? Dos homens? Nããããão, minha e somente minha culpa!

Sempre que via essa cena da Mulher Gato, era uma catarse! Eu me satisfazia em ver aquela mulher quebrar todo seu apartamento, que na verdade significava um rompimento com aquela pessoa anterior, doce e que não estava funcionando. Eu sentia que não estava sendo legal comigo mesma, mas não sabia como mudar. E fui assistindo a cena no decorrer dos anos!

Entre 2003 e 2004, vivi uma paixão daquelas arrebatadoras, que não deu certo em nada. Tivemos momentos bons, mas o sofrimento que ela me causou foi muito maior. Exatamente porque, novamente, projetei possibilidades onde só havia impossibilidades. Sofri igual uma cadela de rua!

Quando enfim decidi terminar com aquilo, aos poucos foi ocorrendo o mesmo que na cena com a secretária Celina. Não precisei quebrar todo meu apartamento (uffa!), mas a forma como via o mundo foi se quebrando dentro de mim rapidamente. Tornei-me mais lúcida, mais prática, mais objetiva e principalmente percebi que primeiro precisava olhar pra mim mesma, precisava cultivar o amor próprio, sem ele não há nada para você oferecer a quem quer que seja. Como mudei internamente!!! Pode ser que só os mais chegados percebam isso, mas eu percebo de uma forma absurda e isso me dá um prazer enorme! Tá certo que é bom sonhar bastante, se apaixonar fácil, mas melhor ainda é ter o controle da sua vida! Sentir que tem as rédeas na mão!

Domingo vi "Batmam - Retorno" e novamente parei para assistir até a cena da Mulher Gato. Toda minha vida passou como um filme na minha mente, conversei com meu namorado, contei o que aquela cena representava. Uma imensa satisfação me dominou...

Procure a Mulher Gato (ou o "Homem Gato") que existe dentro de você, não precisa se tornar uma pessoa amarga, apenas cultivar o amor próprio, esse não depende da outra metade, apenas de você...

24 comentários:

  1. Hummm
    Também adoro perfumes! O que eu uso mesmo é o próprio Chanel N° 5! E o seu? Qual o seu preferido?

    Adoro o Quintana! São lindos esses versos, principalmente quando ele diz: "Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) ... E que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou mulher da sua vida. " Pior que isso é verdade, mas a gente só vai aprender isso depois de sofrer mt com os falsos amores...pra depois encontrar o "amor verdadeiro"...ainda bem que eu já encontrei o meu! =P

    ...

    Essa cena da mulher gato é fantástica, mesmo! Adoro! Sou fã dela! Ah, e também já assisti essa mesma cena milhaaaaares de vezes! =P

    Gostei quando você disse que precisamos encontrar a "mulher gato" em nós ... também concordo com isso, afinal, romper, quebrar paradigmas, cortar alguns laços ... é extremamente importante .. e tb sofri como uma cadela de rua rs até entender tudo isso ... o amor próprio é essencial ... lembro que logo no início do meu namoro ... a pessoa chegou e falou assim pra mim: "ana, eu não posso te amar se vc nem se ama..." aí foi um dos meus momentos epifânicos, pois eu tive que me amar mesmo... pra deixar ser amada, saca? E nunca uma pessoa antes teve a ousadia de dizer isso pra mim ... aí eu pensei.."putz, essa pessoa é o amor da minha vida... se eu não mudar agora por mim e por ela... essa oportunidade vai passar..."

    =)

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Essas palavras do Sr. Mário e o complemento com as suas são uma daquelas verdades indiscutíveis.
    Procuro ser assim, um "homem gato" ou coisa que o valha.
    Venho aprendendo que a auto-estima, o amor-próprio é mesmo a chave para a minha felicidade e para sentir-me apto a estar ao lado de quem amo.
    Sábias as suas palavras, amei isso..



    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. "Verdades" costumam ser relativas, e não absolutas, principalmente para que usa sua cabeça para pensar...

    Mas...

    ... eu diria que essa verdade é quase absoluta: Não dá para amar ninguém verdadeiramente, enquanto não nos amarmos, e portanto, não formos inteiros... Precisamos de um "suplemento" e não de um "complemento"...

    E, segue um conselho (que se fosse bom eu vendia, não dava): não confunda Paixão com Amor... Principalmente em relacionamentos...

    Aliás, Dama de Cinzas, isto não seria uma tema pra você? ^_~

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca olhei o mundo pelo prisma cor de rosa. Sei lá, já nasceu comigo essa coisa meio realista.

    Eu nunca quis saber de príncipe encantado nem de filhos lindos nem de nada disso. Daí fiquei assim até os 17 anos, que foi quando meu atual namorado apareceu e conseguiu mudar muita coisa em mim.
    Idealizo muitas coisas, mas no fundo no fundo, não consigo tirar meus pés na realidade.
    É que eu já nasci com medo. Só que agora ele está bem mais ameno.

    Mudar pra melhor é ótimo né?

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Rsrs, se preocupa não.

    Mas é que aquele antigo, ai, tava me dando nos nervos.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Essa cena sempre me atraiu também, sempre quis ser como os gatos, não é à toa que gosto muito deles... independentes e cheios de amor próprio!!

    Mas assim como vc já sofri muito e fui aprendendo, e hoje tenho o cuidado de não me tornar amargurada, porque há uma linha muito tênue que separa o amor-próprio da indiferença quanto a novos relacionamentos.

    E concordo com Lee, não devemos confundir amor com paixão!!

    Ótimo post Dama!!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  7. AMEEEEEEEEEI...digo que toda mulher tem um pouco de mulher gato,
    as vezes assim internamente....
    abraços!!!

    ResponderExcluir
  8. Também adoro os seus comentários!
    Aliás, desde que eu conheci o seu blog, já percebi que tinhamos afinidades!
    ;)
    Acqua Di Gio é mt bom, também!
    =)

    bjs

    ResponderExcluir
  9. sofrer, chorar... amar sem sentir isso não tem graça. rs

    vc acaba se acostumando.

    faz "paLte"

    bjs

    ResponderExcluir
  10. Poxa, isso é animador, né?
    Hahahaha

    ResponderExcluir
  11. Nossa, achei esse texto magnífico! O melhor que você já escreveu desde que eu leio o seu blog. Mas acho que é porque me identifiquei muito. Eu estou passando por essa fase de desmitificação do meu universo paralelo, se é que você me entende. Eu idealizo as pessoas, sou extremamente platônica e tenho sofrido muito com isso. No início da minha mutação, eu me mostrava fria demais, seca e intolerante com o mundo, mas agora estou me adaptando, revendo valores e esse seu texto para mim foi bem "esclarecedor".

    Obrigada pelas pelavras no meu blog, você é muito querida.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. É exatamente isso, precisamos encontrar a mulher-gato em nós. Eu já fui muito bobinha, hoje tento ser um pouco mais esperta, mas ainda posso melhorar.



    :*

    ResponderExcluir
  13. Translúcida10/04/2008 11:32

    Só meio tarde eu fui descobrir que era uma Quixote investindo contra moinhos de vento. Procurando nos outros (?) salvação para os meus problemas, e ao mesmo tempo fugindo de mim sem perceber. Ser-humano, ser relativo. Por que acha que o "outro" vai ser absoluto? Minha grande dúvida, porém: por que depois de cada erro e tropeção eu começo de novo, certa de que não vou errar, mas erro novamente?
    Valeu, amei.

    ResponderExcluir
  14. Acho que a minha "mulher gato" resolveu tirar umas férias por esses dias e saiu sem avisar! =( E nem Batman me salva dessa...

    Dama, obrigada pelo carinho de sempre! Acho de "ácidas" você só tem mesmo as palavras! =) Pois vc parece ser um doce ...

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  15. Estava lendo algumas frases da Virginia Woolf, não sei se você gosta dela, mas me lembrei de você, aliás, daquele seu post "Eu sempre gostei de mulher..."
    A frase diz o seguinte:

    "A verdade é que eu sempre gosto das mulheres. Gosto da falta de convencionalismo delas. Gosto da integridade delas. Gosto do anonimato delas." [Virginia Woolf]

    ;)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. "Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz,
    Com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela. " Quando li esta parte comecei a rir, porque a mais ou menos umas duas semanas atrás eu estava me sentindo muito carente (acredito que o que ajudou isto acontecer foi a maldita tpm) e fiquei numa dependência de ter alguém comigo...Fiquei a pensar numa pessoa que não iria nem acrescentar, nem retirar algo de mim. Te juro: tava gostando dela. Aí desabafei com uma amiga e ela me disse: "Não é amor, é dependência." Aí fiquei matutando nesta frase e vi que era verdade. Tento muito não me apegar a alguém, assim fico feliz, mesmo se não der certo ;] Belo blog, beijos.
    PS: Te adicionei nos links! ;*

    ResponderExcluir
  17. Estou quebrando meu apartamento, jogando os ursinhos na pia...

    sim.. estou virando a mulher gato...

    uma arrebatadora paixao toda errda que me fez sofrer mais que sorrir? Sim! Ela mesmo!

    Me identifiquei demais com o texto.. vou te linkar.. impossivel nao querer isso!

    Beijos e parabens pelos textos!

    ResponderExcluir
  18. Gatonaaaa,
    Eu tô mesmo é precisando liberar a mulher LEOA, PANTERA, quebrar um prédio inteiro (um apto é pouco).
    Voucê ainda via só pelo prisma um mundo cor de rosa, a tonmta aqui vui com olho nu mesmo.
    Fantástico seu modo de criar a analogia dessa cena com a nossa vida real.
    Não poderia ser diferente a qualidade do seu post, a elegância das transformação.
    Eu ando numa fase tão estranha na vida, que só tenho um medo danado de não virar MULHER GATO, e sim uma Taty Quebra Barraco (risos).
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. isso !!! depende só de vc !!!
    bjs

    ResponderExcluir
  20. nossa adorei o texto!!!ás vezes o egoísmo faz bem nessas horas.

    ResponderExcluir
  21. Eu concordo sabe... com o que vc comentou lá no blog...
    as crises vão e vem...
    bom é quando a gente ve que foram e a gente cresceu...

    beijos!

    ResponderExcluir
  22. Ótimo texto! Tb adoro essa cena do filme, é uma tranformação mesmo estimulantes. Mas eu acho q passei nos limites de tal formula, ou nem cheguei lá...Ando tão desinteressada em terceiros ultimamente. Deve ser esta cidade q naum colabora. Acho q vou esperar o batman chamar pela janela. :*

    ResponderExcluir
  23. Olá, bela Dama-Mulher-Gato! =)

    Excelente seu relato, sua reflexão! Parabéns!
    A prova viva de que ser feliz não é viver em contos de fadas, não é?

    Belo texto, belo blog!
    Espero que muitos mais possam conhecê-lo e desfrutá-lo. E pode contar comigo na divulgação.

    Carpe diem!! ;-)
    Pierre

    ResponderExcluir
  24. Não recebo por email as notificações. Vou procurar saber como se faz isto. Comecei escrevendo este meu blog com temas ligados a minha área DIREITO. reflexões minhas. Posicioanmento meus ..etc...etc...
    Mas percebi que com o tempo comecei a escrever coisas da vida.
    Nos ultimos dias resolvi "navegar" para conhecer outros Blog e para entender para o que ele serve.
    Descobri que estou "boiando"..rsrsr

    Uma coisa que percebi é a troca de experiencias, e istoeu sempre gostei de fazer.


    Li seu texto "Mulher Gato". Uma espécie de desabafo. Tambem tive minhas desilusões amorosas , com os amigos... Acho que a dos amigos doeu mais. Confio demais nas pessoas e por causa disso me fechei.
    Entristeci...
    Descobri que a alegria de viver não estava lá fora!
    Estava dentro de mim.
    Determinei que o mundo não iria controlar meu modo de agir.
    Sai lá fora e disse parar mim:
    - Não vou perder minha essencia.
    Continuei apanhando do mundo, me decepconando...
    Mas valeu a pena. Amadoreci.
    E acima de tudo encontrei alguém emk quem confiar: Minha Esposa!!!

    Não deixe o mundo ditar como deve ser o seu caminhar.
    Esteja preparada para a vitória. PÔ, ela tem que chegar.... Se não a vida não tem sentido!!!

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html