quarta-feira, 21 de março de 2012

Você é feliz?


É a pergunta que gostaria de fazer a muitas pessoas. E quando faço a mim mesma, geralmente a resposta é a mesma: não. Acho que ser feliz é uma espécie de vocação que a gente traz quando nasce. Poderia dizer que está ligada ao espírito, a vidas passadas, mas prefiro achar que é uma tendência, uma característica, como tantas que temos. Querer explicar o porquê de alguém se sentir infeliz ou feliz, é a mesma coisa de tentar explicar o motivo de umas pessoas serem tímidas e outras extrovertidas. Parece que aquilo faz parte da pessoa desde seu nascimento.

Ninguém me convence que o que falta da nossa vida é o motivo de sermos infelizes. O mal-estar por não ter ou não conseguir conquistar algo se chama tristeza, que é diferente de infelicidade. Todos nós temos nossos momentos alegres e momentos tristes. E quantidade de um ou outro não te faz mais ou menos feliz, apenas te faz mais ou menos alegre.

Felicidade é uma definição meio utópica se a gente parar para pensar friamente. No entanto, conheço e convivo com pessoas que são felizes, que tem esse bem-estar constante, mesmo tendo vidas cheias de dificuldade e outras que são o inverso, estão sempre se lamentando de tudo mesmo que a vida viva esteja oferecendo coisas legais.

Aí as pessoas podem pensar que estou afirmando mesmo que quem é alegre, é feliz e vice-versa. Não é bem isso! O que estou dizendo é que tem gente que mesmo nas horas tristes, se você perguntar a ela se é feliz, certamente dará um sorriso e dirá que sim. E o vice-versa vale também.

Não são as alegrias e tristezas, as conquistas e derrotas que fazem alguém se sentir bem ou mal a maior parte do tempo. Acho que o que faz a pessoa ser feliz ou infeliz é algo inexplicado que reside dentro de cada um. Como disse acima, uma espécie de vocação/tendência.

Aí eu digo que não me sinto feliz e as pessoas logo vão achar que sou uma dessas pessoas com tendência ao pessimismo e tristeza constante. Às vezes sim e outras não! Não nego, nem afirmo isso! Conquistei muita coisa da minha vida, mas parece que essas conquistas ficaram restritas a certos setores da minha vida, em outros eu simplesmente me sinto "morrendo na praia". Então não saberia dizer, com certeza, se todos os setores estivessem equilibrados, eu seria mais feliz. Talvez fosse mais alegre, mas habita em mim um vazio que dificilmente seria preenchido por algo que conquistasse. Essa é a impressão que sempre tenho de mim. Mas existe um outro lado em mim que gosto muito e faz a balança meio que se equilibrar. Que é a minha determinação e persistência para sair de situações em que me sinto desconfortável. Chato só é que nem tudo na vida depende só da gente, mas o que depende de mim, estou sempre tentando mudar o que não me agrada.

Resumindo, me descrevo como uma infeliz alegre, ou uma feliz triste! Me sinto meio que um paradoxo ambulante. E sigo sem nunca saber me descrever totalmente nesse sentido. No entanto uma coisa é certa, acho que é bem possível que nunca bata no peito e diga que sou uma pessoa feliz, ou infeliz. Prefiro apenas dizer que não me sinto feliz, por hoje. Amanhã já é outro dia, outras sensações, outras experiências...

48 comentários:

  1. Sempre acreditei que a felicidade é feita de momentos.... e quando colocamos na balança os momentos felizes ou infelizes da vida, o lado da felicidade sempre pesa mais. Tinha dificuldade em distinguir os momentos alegres dos felizes e hoje, com um pouco de mais maturidade consigo ver a felicidade em uma xícara fumegante de café, ao sentir a brisa do mar, ao abraçar meus pais, ao reencontrar um amigo, ao conquistar um emprego, ao receber elogios, em um dia de feriado, ao fazer uma viagem.... bjs

    ResponderExcluir
  2. Não existe felicidade, o que existe são momentos felizes(aposto que ninguém conhece essa frase-rs).

    Concordo com vc, Dama, a felicidade é uma espécie de dom, que parece nascer com a pessoa. Conheço muita gente, mas muita, que tem uma vida bem pior que a minha e se sente feliz. Já conheci um tanto de gente, que tenho até pena, que me faz pensar coisas tipo: eu não queria ter a vida que essa pessoa tem; eu não queria ser como ela, no entanto, eles parecem felizes, sempre alegres e dizendo que a vida é muito boa.

    Eu não sou feliz, embora reconheça que em muitos pontos, tive sorte, que a vida sorriu para mim em algumas coisas. Podem me chamar de maluco, egocêntrico, recalcado, mas minha vida melhorou muito e me senti mais feliz, depois que me isolei; há três anos que moro sozinho, e isso é muito bom. E quando não temos expectativas, o sofrimento é menor. Porém minha situação é preocupante, já que tenho vivido como um doente terminal: daqui há um ano e meio, tenho três opções: passar a viver de favor, morar numa espécie de asilo ou me tornar mendigo. Ainda assim, como saber o dia de amanhã? Neste ínterim muita coisa pode acontecer...

    ResponderExcluir
  3. Concordo, acho que um dos determinantes da felicidade a longo prazo é a química cerebral, que não se altera com o tempo. Já a programação neurolinguística, ou as pequenas coisas que trazem alegria, é determinante da felicidade a curto prazo, mas no longo prazo a característica individual do próprio ser domina.

    Uma solução seria fazer constantemente as pequenas coisas que trazem felicidade temporária, mas não dá pra parar, senão a roda que estava girando para e cai.

    ResponderExcluir
  4. Ora bem, eu vou repetir uma coisa que disse sobre este assunto, logo num de meus posts mais recentes que pode ler Aqui.
    Não encaro a felicidade como um estado constante. Uma pessoa não é todos os dias feliz nem todos os dias triste. há dias em que estou miseravelmente infeliz por coisas más que acontecem, mas depois passa, e também há dias em que estou muito feliz e animado, que eventualmente também passam xD
    Se tiver que escolher em que estado estou mais vezes, acho que sou mais feliz que infeliz, mas é uma coisa meio que equilibrada.
    Gosto da sua perspectiva das coisas tipo como característica intrínseca de cada pessoa.acho que nunca tinha visto a coisa por esse prisma. abreijos rs

    ResponderExcluir
  5. Buenas!

    Eu penso que a felicidade completa é utopia mesmo, talvez eu esteja sendo pessimista, pois é...talvez...

    ResponderExcluir
  6. Concordo com vc, tem gente que nasce assim com um tipo de marca na alma, minha mãe costuma dizer que eu fui uma criança melancólica... Só não sei se é de outras vidas, eu prefiro acreditar que Deus tem um plano e que preciso ser assim por algum motivo Karma

    E sim se vc me fizesse a pergunta: "Você é feliz?" Eu diria: "não sou infeliz quanto a ser feliz, ai já é mais quinhentos kkk..."

    Não quero me tornar uma pessoa pesada, amarga e dura demais e luto para não ser assim, não me permito ser infeliz e não quero me isolar em meu próprio mundo... Por isso me cerco de pessoas, pinto o blog de azul e não de preto como da vontade as vezes, falo do que sinto, me misturo com as pessoas... Mas tem coisas das quais não da para fugir, nós mesmo e nossas tendencias é uma dessas coisas!!!

    E sim, amei esse fim de post: "Amanhã já é outro dia, outras sensações, outras experiências..."

    Isso me lembra o mito da Pandora e a Esperança, as pessoas geralmente pensam que a Pandora guardou a esperança na Caixa, mas não ela guardou na caixa a presciência, o dom de saber o futuro, e é por isso que podemos ter Esperança, porque não sabemos qual será nosso futuro... Tenhamos fé... talvez a felicidade esteja na próxima esquina!!! Quem sabe?!?!?

    ResponderExcluir
  7. É difícil definir a felicidade, para mim tão difícil quanto definir o amor...
    Mas acho que ser feliz é, principalmente, se aceitar, estar bem com quem você é e estar ciente de que faz o possível para alcançar seus objetivos.
    Sim, eu sou feliz, mas de vez em quando fico triste com o mundo... ou com algum probleminha. Mas eu sei que eu procuro realizar meus sonhos e muitas vezes consigo e assim sou feliz porque cresço a cada dia!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Sempre achei que felicidade é um sentimento de momento e não um sentimento constante, se você me perguntar se sou feliz eu responderei que não. Eu nunca me considerei totalmente feliz, sempre falta algo, sempre uma parte não está completa, vejo a vida passando e penso poderia ser diferente, mas também não me mexo para fazer a diferença. Dizem que a grama do vizinho é sempre mais verde, será?

    ResponderExcluir
  9. Muita saudade de ler seu blog e alguns outros que eu seguia quando estava em terra... Estou gastando internet em dolar dentro do navio so pra ter o prazer de fazer isso um pouquinho... Sobre o post... Acho que tenho essa "vocaçao" pra felicidade e mesmo com todas as dores vividas ainda me sinto feliz... Quando vim embora trabalhar em navio a 7 meses atras eu estava triste, sofrendo muito e parecia mesmo que nunca acabaria... Bobagem, quando a coisa da felicidade esta mesmo dentro da gente nao tem jeito, o perrengue passa e tudo continua como sempre.

    Amo vc e amo seu blog

    Muita saudade

    Juju

    ResponderExcluir
  10. Sei que tenho muitos motivos para ser feliz, mas tem dias em que estou, outros nem tanto, outros nem um pouco. Deixo as amarguras, as insatisfações e tudo que não vai bem e que a gente insiste em empurrar para debaixo do tapete, sair.

    Tenho me permitido mais aparentar minha infelicidade, quando ela se manifestar. É mais fácil de achar a cura se soubermos aonde e porque dói. Tentar esconder isso, não vejo em que pode melhorar.

    Agora, por outro lado, li um texto domingo passado, no jornal O Globo, da cronista Martha Medeiros - que por sinal sou fã - falando sobre uma pesquisa feita onde o Brasil é apontado como um dos povos mais felizes do mundo. E ela levanta a questão de que pode-se ser feliz vendo as miudezas do cotidiano e aproveitando a simplicidade da vida ou pode-se viver em eterno estado de felicidade por alienação ao que de fato, deveria nos deixar tristes. E é de propósito, virar as costas!

    À essa lista, acrescento a minha opinião de dissimulação. Não de pessoa dissimulada, mas de infelicidade dissimulada em TPM, dias ruins, falta de grana e o pensamento de que é passageiro. E, para o mundo, guardar td a insatisfação e mostrar apenas o lado, as fotos, os comentários e a vida cor de rosa que nem de perto é tão rosa, tds os dias...

    Extenso, mas acho que consegui me expressar, ufa!!!! rsrsrsrsrs

    Adorei o tema. Como sempre, acertou em cheio!

    Bjokas

    ResponderExcluir
  11. Acho que ninguém é feliz 24 horas por dia 7 dias por semana. Felicidade é como uma sensação, dependendo do momento vc pode se sentir feliz ou não. Já houve época em que eu era sozinha, tinha falta de grana mas me sentia feliz e existe de vez em quando momentos em que me sinto infeliz, fora que já tive uma crise de depressão braba...não dá pra acreditar nas pessoas que demonstram estar sempre felizes, todo o tempo. Ninguém É feliz, mas sim ESTÁ feliz. Tudo muda o tempo todo...

    ResponderExcluir
  12. Engraçado ler esse post pois coincidentemente eu ia escrever um post mais ou menos com o mesmo tema.
    Lá vou eu com minha opinião, sempre destoante das outras...rs: acho que não existe ninguém feliz. Essa vida aqui não é de felicidade. É de aprendizado, luta, cabeçadas mesmo. Claro que em alguns momentos, talvez até muitos, possamos estar felizes. Estranhamente estou feliz hoje, rs... Seria muita pretensão humana dizer: "sou feliz" e ao mesmo tempo destruir o mundo com fazemos. Ou viver no nível altíssimo de alienação em que vivemos. Seria ridículo. Seria muita ironia balançar a bandeira da felicidade sabendo que todos somos corruptíveis, até mesmo homicidas em potencial (ai ai ai não me interpretem mal!!! mas quem está livre de uma legítima defesa por exemplo?). Enfim, há muita energia negativa, instabilidade, primitividade. Me desculpem os felizes mas pra mim é uma total falta de percepção da realidade. Mesmo assim hoje estou feliz, haha, bicho louco o homem.

    ResponderExcluir
  13. Acho que felicidade e afins é um estado de espírito, é momentâneo na maioria das vezes.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Gostei do post, acho que felicidade é estado de espirito, não acredito em felicidade plena aquela de 24 horas no dia, acho que todos passamos por altos e baixos , e depois da tempestade vem a bonancia rsrs bjs

    ResponderExcluir
  15. Eu acordo em dias que tudo está melhor, consigo sorrir facilmente assim como chorar. Acordo na maioria dos dias nervoso, estressado, e a maior parte me sinto infeliz, mas não trite de todo, insatisfeito talvez. Feliz, assim como vejo muita gente , não. Eu queria sentir, mas não é uma tendência pra mim, não por enquanto.

    ResponderExcluir
  16. Parece que é mesmo uma vocação. Infelizmente, eu não tenho. Acho que me sinto bem como vc. Considerando o qt sou instável, é a melhor descrição.
    BJs.

    ResponderExcluir
  17. Eu já encaro que a felicidade é algo que a gente busca constantemente... mas ser feliz o tempo todo ai... só em propaganda de margarina!

    ResponderExcluir
  18. Nao sei se isso vem de nascimento Dama, eu acho que eu p ex., tinha tudo pra ser infeliz, se for contar tudo o que se passou de fato, na minha infancia, e eu era até bem triste e retraída... mas acho que existiu um momento em mim que me desliguei dessas coisas. Nao sei explicar exatamente qd foi que houve esse clique. Mas engracado é que mesmo nos momentos dificeis, eu me sentia feliz. Mt feliz. Acho que tem algo em mim que me ajuda a ver o mundo um pouco mais cor de rosa, que é a gratidao. Sou mt grata, mesmo nos momentos complicados, eu consigo ver coisas boas e sempre vejo, porque na verdade, sempre tem. Entao isso me auxilia a ver a vida melhor. Mas isso tbm só veio mt tempo depois da adolescência, p ex, que pra mim foi meio tristona.

    Acho que vc se "classificou" mt corretamente e tem mt gente que vai se identificar, porque acho tbm que mt gente é assim. O que acho importante frisar é que como vc mesma mencionou, alegria é diferente de felicidade.

    Teve outro dia uma pesquisa que apresentou a brasileira como a mulher mais feliz do mundo: desculpa dizer isso mas acho que essa mulher pesquisa mentiu :-/

    Um beijo Dama
    Espero ler de ti coisas mais felizes, to te sentindo meio baixo astral ultimamente :-(

    ResponderExcluir
  19. Felicidade completa e contínua, não existe.

    Beijo da Nita.

    ResponderExcluir
  20. Mesmo não sendo uma pessoa feliz, acho que devemos procurar momentos de felicidade. São eles que movem as pessoas e acho que a maioria.
    Hoje em dia existem tantos padroes para ser feliz que acho impossivel em uma encarnação só conseguir ser 100% em tudo. Vamos buscar o melhor e do que conseguir achar a felicidade ali, temos mania de achar que só seremos felizes se abtiermo o que nao temos... mas e o que temos? Não conta nada?!

    Bjos Dama!

    ResponderExcluir
  21. Eu acho que quem diz que é feliz, tem dois motivos para tal - Ou não parou para pensar direito, ou está na "paz do senhor". Nada contra as religiões, mas até Jesus demonstrou uma certa insatisfação.
    Ser feliz é estar satisfeito. Você pode fracionar a felicidade (estou feliz no trabalho, na família, no amor, no dinheiro, nas amizades, comigo mesma?) ou pensar que ela depende somente do nosso humor. A fração é uma armadilha, porque relacionamos a felicidade com "estar bem", daí caímos novamente na questão do humor.
    A conclusão é: Se você é otimista tem mais chances de ser feliz!!
    Como sou uma eterna insatisfeita, não sou feliz, mas também não sou triste. Prefiro oscilar no meio termo, até para preservar a minha sanidade mental! :)
    Beijus,

    ResponderExcluir
  22. Pois é, eu acredito que felicidade plena não existe, apenas podemos nos embebecer de alguns momentos felizes, e a alegria então, mais momentânea ainda, apesar de que até que apareça algo para mexer com nossa estrutura mental, permanecemos um estado agradável, a tristeza é sempre a mais contínua, principalmente por conta de nossa atual sociedade, que nos instiga a sermos felizes e nessa onde só produz cada vez mais pessoas infelizes por não serem felizes.

    bj. ana karoline.

    ResponderExcluir
  23. Olá Dama... ^^
    Esse é um assunto que discuto bastante em meus monólogos. Acredito que a felicidade vai além das nossas mãos. Não temos o controle de tudo, infelizmente. O que podemos fazer para sermos 'mais felizes' é evitar que nossas frustrações se destaquem em nossa vida, abrindo assim, um espaço para os bons momentos da vida.
    A teoria até que é fácil de entender, o problema sempre está na prática... mas é isso aí, sempre em busca de complementos para saciarmos nossa eterna busca da felicidade. Até mais Dama, e a propósito... ótimo post. Beijos ;)

    ResponderExcluir
  24. Ótimo post!! Aliás, eles estão cada vez melhores!! :D

    Eu acho que não há caminho para a felicidade, pois ela é o próprio caminho. É claro que nem sempre estamos felizes, pois se a vida só fosse "colorida", não se chamaria "vida", e sim, "fantasia" rs

    Acho que ninguém É feliz. Apenas ESTÁ feliz. A vida é efêmera, relativa e complicada demais pra uma alegria ou uma tristeza ser eterna

    Beijão, Dama!!!! E te desejo muitas felicidades, mesmo que essas durem pouco. Te adoro.

    ResponderExcluir
  25. Acho que sou uma pessoa alegre surtada...
    Até nos meus momentos tristes sou engraçada...
    Enfim...
    Belo texto!!!
    Gostei do cantinho...
    Voltarei mais vezes...

    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  26. Minha querida! Pra variar seu post está simplesmente fantástico! Bem, eu não tenho muitas coisas em minha vida, tenho uma vida totalmente diferente, por enquanto, da que sempre sonhei, mas mesmo assim eu sou feliz. Tenho momentos de tristeza como qualquer ser humano, mas me considero uma pessoa feliz sim. Excelente final de semana! ;)
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  27. Dama, dizem os sabios que a nossa maior tristeza e desgraca esta justamente em buscarmos de forma tao cega e incessante a felicidade do lado de fora de nos mesmos.
    E justamente esta ideia de que se.......seria entao feliz que nos distancia mais e mais da verdadeira felicidade.

    ResponderExcluir
  28. Tenho lutado o tempo todo para ser feliz, abdiquei e refiz minha vida várias vezes para entender esse "feeling" espero estar no caminho certo, emobra as decepções me angustiem todos os dias, vou achar a felicidade em alguma hora dessas.

    ResponderExcluir
  29. É, acredito que a felicidade seja um estado transitório; um dia se é feliz, no outro não.
    E tem mais: ser feliz dá um trabalhão! É preciso se esforçar muito, sabe?
    Beijos

    ResponderExcluir
  30. Deus, para a felicidade do homem, inventou a fé e o amor. O Diabo, invejoso, fez o homem confundir fé com religião e amor com casamento.
    Machado de Assis

    Oi Dama!
    Essa última semana que passou foi terrível pra mim, pra minha família. A minha filha caçula de apenas 13 anos de idade foi diagnosticada com cistos multisseptados e uma deeformação no útero.

    Setes dias de agonia com ela sofrendo com dores pavorosas no hospital, com medicação fortíssimas que a deixava totalmente desacordada, é, isso pq ela estava no hospital maravilhoso aqui em São Paulo... hospital da cruz azul.

    Vc deve está se perguntando: pq será que está criatura está me contando isto agora? Pois bem, foram os dias mais infelizes da minha vida!!!!!!! A gente fica sem chão, sem saber o que fazer diante daquela situação...

    Hoje eu entrei na net... vi tanta gente feliz cheias de amor pra dar, parece até que não existem problemas, doenças, fome, enfim, eu fiquei com raiva com muita raiva! Depois eu parei e pensei ah, tem que ser assim mesmo!!!Temos que fingir pra doer menos, pra não desistir, pra não chutar o balde...

    Sabe Dama! Eu acho que a felicidade é aquilo que está dando certo, quando dar erradso pronto somos infelizes demais da conta1

    Na verdade ninguém é merecedor de felicidade plena nessa vida, não merecemos mesmo! Somos inacabados e injustos com a grandesa das coisas que a natureza nos dar...DEUS nos oferece tudo de mais perfeito, mesmo assim a gente ainda não ver a menoor graça nas pequenas coisas simples sempre queremos mais o mais que nem a gente sabe o que é de fato esse talde mais...

    Dama quem sabe um dia a gente lá... fazendo o bem ao nosso modo sem ser boazinha demais! Eu odeio uns bonzinhos demais,os intedidos demais, os felizes demais! Gosto de pessoas como vc meio termo, nem lá ,nem cá, inperfeita e imcompleta, acima de tudo humana que se aproxima mais da realidade.

    Beijo! Me desculpa pelo o desabafo nada a ver com nada, mas precisava muito falar algo hoje, e foi aqui que eu achei mais calmo e tranquilo.

    ResponderExcluir
  31. Oi, Dama!
    Faz tempo que não comento aqui, mas sempre leio e aprecio seus posts. Eu acredito que ninguém é feliz o tempo todo... Cada um tem os seus momentos, uns tendem a considerar mais os bons, outros os ruins. Tudo depende da quantidade de momentos bons e ruins vividos e da percepção de cada pessoa. É isso. Ótimo post! Bjos

    ResponderExcluir
  32. Olá, gostei muito do seu blog tanto que já me tornei uma seguidora...quanto a esse post ontem assisti uma palestra do Dr.Wanderley Pires que diz que ninguém é feliz 24hs por dia, isso é impossivel, mas quem acumula mais momentos felizes na vida pode se considerar que tem "qualidade de vida".

    Eu desejo um pouco de cada coisa.

    Venha me visitar e se gostar será bem vinda sempre.

    Um ótimo fim de semana!!

    http://rosangelabrilhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Infelizmente Não! Ainda falta muitas realizações para eu me sentir feliz comigo mesma.

    Eu tenho momentos alegres, ultimamente, mas há muito perdi o brilho da felicidade, esperança.

    Adorei o seu post, realmento têm pessoas com o dom da felicidades, ela estão sempre felizes e nada de grandes problemas as abalam, geralmente!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  34. Dama, a neurociência explica hoje muitas coisas que antes eram consideradas aleatórias. Hoje questiona-se a existência do livre-arbítrio, uma vez que cada vez mais os neurocientistas descobrem que nossas emoções e reações estão meio que programadas em nosso cérebro e não temos muito co o escapar disso. Haverá um congresso em São Paulo, agora em maio, sobre neurociência, eu me inscrevi pois estou escrevendo sobre a repercussão dessas descobertas no âmbito jurídico. depois te conto qual é a explicação dos médicos e cientistas do mundo todo a respeito do nosso funcionamento mental, ok? ;)

    ResponderExcluir
  35. Olha Dama, eu era uma pessoa muito intensa. Do tipo que sempre estava muito feliz, mas muito feliz mesmo em determinados momentos e depois muito mal, mas muito mal mesmo em outros momentos. Desde pequena era acompanhada de um pessimismo e negativismo profundos. Por dá cá aquela palha já achava que o que estava dando certo não ia dar certo mesmo.

    A felicidade para mim é um estado pleno de satisfação contínua e acho impossível conseguir isso no mundo em que vivemos, pelo menos neste plano físico.

    Eu tenho momentos de alegria e acredito nisso em momentos alegres e também tenho momentos de tristeza.

    E sou uma pessoa que quero realmente me curar do pessimismo e do negativismo. Há pouco tempo me forçaram a ser um Polyana, mas eu não consigo e acho que jamais vou conseguir pois ser Polyana é o outro extremo do pessimismo. Prefiro o equilíbrio.

    Agora, focar no positivo, ver o que de bom se conseguiu na vida, pensar mais nas coisas boas que se conseguiu acho que ajuda a viver melhor, mas felicidade acho que é algo tão sublime e incapaz de ser atingida pelo ser humano, um ser eternamente insatisfeito.

    Sempre quando digo, hoje estou feliz, é porque estou alegre. Felicidade para mim é outra coisa.

    Uma vez vi uma moça escrevendo sobre uma frase que Chico Xavier tinha no quarto dele "Isso Também Passará" para lembrá-lo de que tanto momentos ruins quanto bons passam. Então onde está a felicidade? Não está neste plano.

    Não sou feliz, não. Tento é me equilibrar no realismo para não despencar no pessimismo e nem alçar vôo no positivismo exagerado para que o "tombo" não seja tão grande.

    Hoje ando assim. Se tudo está bom vou agradecendo e vivendo e se não está paro para pensar no que incomoda e tento consertar e assim vou indo. Sou alegre sim, mas quando sou triste sou bem triste e assim vou indo.

    Ah, dama querida, vou é parar por aqui pois até me esqueço que estou comentando e fico divagando em torno do tema falando comigo mesma.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  36. Continuo acreditando na velha e surrada frase :" O que existe na vida são momentos felizes".
    Felicidade tem a ver com maturidade serenidade e desapego.
    Vi uma definição do Hitchcock, até coloquei no facebook, que se aproxima muito sobre o que penso a respeito da felicidade : "Um horizonte limpo. Nada com o que se preocupar, no seu prato. Somente coisas que são criativas, e não destrutivas. Isso dentro de você, dentro de mim…"
    É isso. Preciso de tranquilidade para criar. Quando crio , estou num momento sublime da minha vida.
    Quando estou na praia olhando o mar, sentada numa cadeira, é um momento de grande felicidade dentro de mim.
    Transar com o homem do momento, é fantástico. Comer algo que eu gosto. Beber com os amigos. Ler um bom livro. Tudo representa felicidade.
    Posso dizer que sou uma pessoa tranquila. Feliz. Mas que passo por frustrações, decepções, como qualquer pessoa. Aceitar que nem tudo será como queremos já é um passo para a felicidade.
    Saber que além dessa vida, existe uma vida espiritual, também é motivo de grande contentamento...
    Apreciar as coisas boas da vida, Dama, é saber ser feliz.
    Tá aí. Felicidade é uma conquista. Aprender a a amar o que se tem, é ser feliz. Simples assim.

    Beijos

    Beijos

    ResponderExcluir
  37. Cris querida.
    Eu adorei esse teu post, é um tema que sempre me deixa indagando.
    Será que só fatores externos são responsaveis para nossa felicidade? Será que alguns já nascem com um certo dom em encontrar a felicidade em pequenas coisas? Por que ins sim outros näo? Muito bom post.
    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  38. tdo é melhor q apatia
    nao sou feliz e nem busco mais eu curto meus momentos de alegria

    ResponderExcluir
  39. Posso perguntar uma coisa?
    Pelo sim e pelo não, pergunto assim mesmo... Qual seu signo?

    (é que a descrição do penúltimo parágrafo me fez pensar sobre isso... se seria típico do signo dao qual faço parte...)

    ResponderExcluir
  40. Penso que a sensação subjetiva de felicidade tem muito a ver com a forma como encaramos nossas vitórias e fracassos, assim como a forma como enxergamos as fases de estagnação porque passamos.

    ResponderExcluir
  41. Acho que esse negócio de felicidade está ligado às nossas ambições, nossos desejos. Não adianta termos muita coisa boa se não temos aquilo que realmente queremos.
    Eu, particularmente, apesar de minha rotina estressante e cansativa, considero-me uma pessoa feliz. Usufruo de boa saúde (paesar de brincar com ela, já que ainda não consegui me livrar do cigarro), trabalho em uma empresa boa, que me paga um bom dinheiro, o que me possibilita comprar meus livros e mais ouras coisas materiais e estudo em uma faculdade pública, em uma curso que preenche as necessidades de minha personalidade. Isso, para mim, é felicidade.

    Mas só para mim.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  42. Oi Dama!
    Já me atormentei muito com esse negócio de felicidade. Não poderia me definir como uma pessoa feliz, não o sou, nunca fui. Isso se entendermos felicidade como a capacidade de estar sempre de bem com a vida, apesar de tudo. Tenho uma vizinha cujo filho se acidentou com moto e ficou tetraplégico aos 20 anos, então, além da tragédia em si,ela ainda tem o fardo de ter que cuidar desse filho para sempre,ou enquanto durar a vida de um dos dois (isso pareceu horrível, eu sei, mas fatos são fatos); apesar disso ela está sempre sorrindo e rindo.Eu não sei como eu reagiria no lugar dela e espero nuca vir a descobrir. Acho que sou meio como você, no sentido de ser um paradoxo: sou do tipo pessimista, mas quando tenho um problema, vou logo pensando que com certeza existe um jeito de resolvê-lo, no que depender de mim. Aliás, se ainda não sucumbi à minha depressão crônica é justamente por me recusar a deixá-la me levar.E muitas vezes me pego pensando que de verdade, de verdade mesmo, não existe essa tal felicidade, como estado constante. Penso que desejar esse estado, ou procurar demonstrá-lo, é mais uma espécie de fuga das pessoas, uma vez que se contraponha os poucos momentos de felicidade diante das dores da vida. Esses momentos são tão bons, pelo contraste e por si mesmos que a tendência é procurar eternizá-los. Mas, isso é só minha teoria de bolso nº 3 milhões e tanto...
    Um abraço e bons momentos!

    ResponderExcluir
  43. muito bom o post! eu não acredito em felicidade 24 horas, acho que a vida é uma mistura de momentos felizes e outros não. mas sinto que é uma virtude saber não depender de determinados fatores para se sentir feliz.

    não gosto mto da felicidade forçada, aquela falsa do tipo "ah sou feliz o dia todooooooo, pq tenho isso e aquiloooooooooooo", sabe, aquela felicidade forjada em determinadas igrejas, seitas, ou pura alienação mesmo. mta gente tá no inferno mas tá num teatro de feliz que cansa.

    bjs bom dia pra vc, querida Dama

    ResponderExcluir
  44. "A vida é uma causa perdida e a felicidade uma ideia velha" Ciro de Lopes e Barbuda

    ResponderExcluir
  45. Estou chegando tarde nesse post e depois de tantos comentários, algumas abobrinhas e coisas que não concordo muito, não sei se soa muito repetitivo, mas sou contra essa idéia que se propaga por aí que temos que ser felizes o tempo todo. Eu me considero uma pessoa feliz e no momento estou passando por um momento de profunda insatisfação e frustração com a minha vida pessoal. É bem diferente!
    Eu fico um pouco chateada quando tento dividir algum problema meu com algumas pessoas e em vez de ouvirem o que tenho a dizer, elas respondem com algum problema que elas estão passando, que segundo elas é bem pior do que o meu. As pessoas são muito egoistas. Elas não querem compartilhar o sentimento! Estão sempre com o foco voltado pra si mesmas e muitas vezes me sinto abandonada aos meus próprios recursos... Acho que agora, toda vez que eu quiser conversar sobre algum problema que me assola, que tira meu sono, vou ter que pagar um psicólogo!
    Uns anos atrás eu passava pela angústia da separação e procurei um amigo pra falar. Ele contra-argumentou que já tinha passado 6 meses e que eu não deveria mais estar triste. E depois contou sobre um namoro de 3 meses da escola que não deu certo, que segundo ele, foi algo muito mais terrível do que eu estava passando e sobre como ele se saiu bem daquela triste separação. Foi alí que eu vi que além dele fazer comparações estúpidas, ninguém quer saber o que o outro realmente sente. No final, não estávamos trocando idéias, mas falando só soobre ele. Eu não me sinto mal por não ter um delete na cabeça! O meu erro foi ter tentado conversar com alguém que acha que um namoro de escola de 3 meses pode ser comparado a um relacionamento com a convivencia diária, sonhos e expectativas de mais de 6 anos. É foda isso!
    Por fim, tenho notado nos seus últimos posts que você anda um pouco pra baixo. A forma como você aborda os temas que escolhe discutir por aqui revelam que você anda passando por um momento de solidão.
    Espero que isso passe! Pra nós duas!
    Beijos

    ResponderExcluir
  46. Es difícil, pero cada hay que poner de nuestra parte y podemos ser un poquito más feliz cada día.

    ResponderExcluir
  47. Quando eu descobrir o que realmente significa a felicidade, te responderei.

    Por ora, não sei te dizer!

    Beijos

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html