domingo, 11 de dezembro de 2011

Como passei nos concursos públicos... (PARTE 1)


A LALY me escreveu sugerindo que eu contasse minha história de como passei nos concursos públicos. Achei a idéia super legal, porque queiram ou não, esse ainda é um caminho profissional seguro e que muitas vezes oferece salários que não ganharíamos na iniciativa privada.

Bem, tudo começou com meu primeiro emprego, que como já contei aqui era um lugar onde não me respeitavam, não gostavam de mim e muito menos eu deles. Era um trabalho que me fazia muito mal, me levava à depressão constantemente porque as tarefas realizadas eram idiotas, as pessoas mal humoradas, o chefe tinha preferências escancaradas e eu não fazia parte delas. Muito pelo contrário, houve uma época que todas as pessoas com a mesma função que eu receberam um aumento gordo e fui a única que recebi uns trocados, uma quantia quase que simbólica, que me deixou com muita raiva ao ponto de começar a forçar uma demissão.

Comecei a chegar atrasada, a não fazer o trabalho porque queria de verdade que me mandassem embora. E foi o que aconteceu, com o fundo de garantia pude me manter por uns meses procurando outro emprego.

Mas a coisa foi bem mais difícil do que imaginava, não fiz faculdade, até tentei umas cinco vezes (quatro vezes depois que passei no concurso público), em três carreiras diferentes, mas como meu sonho sempre foi medicina ou algo na área e nunca pude fazer, porque precisava trabalhar para me sustentar, acho que acabei não conseguindo me animar a levar as outras carreiras nada a ver com área da saúde.

Bem, sem uma faculdade, sem saber línguas e sem um curso profissionalizante, o que me aguardava no campo profissional era sombrio. Havia dias que chorava muito por não saber o que fazer, tanto da minha vida pessoal, que estava um completo caos, como da minha vida profissional. Vivia em um processo autodestrutivo brabo.

Comecei a buscar emprego de forma obssessiva. Mas o que conseguia, era sempre bem ruim, pagando pouco e exigindo muito. E ia me desmotivando por perceber que não tinha futuro, isso me desanimava e entrava em deprê. Virou um ciclo vicioso de desânimo, depressão, vícios, empregos ruins, salários péssimos e uma alta rotatividade em empresas pequenas sem nenhum futuro.

Um dia uma amiga me mostrou um anúncio de jornal que informava sobre um concurso para o TRE. Na mesma hora algo clicou dentro de mim. Vi o salário que era bom, vi a possibilidade de uma carreira segura. Senti intimamente que aquilo era o que queria tentar de verdade.

(CONTINUA NO PRÓXIMO POST. Parte 2 na terça, parte final na quinta)

22 comentários:

  1. Pode-se dizer que passei por tudo o que vc passou, no campo profissional.
    Exceto que acabei não vencendo, perdi mesmo!
    Interessante, é que quando fui buscar o diploma de segundo grau, a secretária perguntou se eu pensava em fazer vestibular. Respondi que não. Ela falou: "essas notas, que vc tirou, são raras, raras mesmo!".

    Falta de ambição, falta de objetivo, meus eternos companheiros...

    ResponderExcluir
  2. ...e ainda duvidas que não seja pra você ? como todos os outros, afinal é de quem vier quem quiser no caso foi você.
    Este post mostra todo teu valor como mulher independente, o duro caminho que tanto homem ou mulher tem para cavar sua sobrevivência.

    beijo

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu sempre quis ter a certeza de que queria fazer alguma coisa. NAsci para isso e pronto. Mas comigo não foi assim. E, embora tenha uma proifssião que me agrada e uma carreira, digamos, interessante, sempre fica aquele gostinho, aquela pergunta e se tivesse feito tudo diferente?

    Achei muito legal sua proposta de post. Acho que pode ajudar a quem está começando e para quem está a fim de dar uma guinada na vida.

    Bjs,

    ResponderExcluir
  4. Você descreveu lindamente minha situação profissional antes do concurso a não ser pelo fato de que eu estava no curso universitario, escolhi minha profissão, professora de história, com muito carinho, sonhei com a universidade, sabia que ia ter que trabalhar e estudar, não sabia que o mundo da educação era tão violento, trabalhava em duas escolas e as duas diretoras eram horriveis, simbolicamente violêntas... Nem precisa falar muito pelo seu chefe vc tira... Ai um dia saiu um concurso para trabalhar na creche, não era o salario dos sonhos, mas era na area de educação que é a que gosto de trabalhar, então minha mãe e minha amiga Aline me convenceram a fazer pq eu estava tão depre que não tinha nem força pra tomar uma atitude, imagina trabalhar das sete da manhã as 5:30 da tarde e ainda encarar a universidade?!?! Foi uma surpresa ter passado, eu não esperava (vc acredita que fiquei 15º lugar e ainda pude escolher a creche para onde ia?!?!? Pois é nem eu!)

    Dou graças a Deus por elas, pelos concurso, se não fosse as duas não teria conseguido esse emprego que me deu estabilidade para terminar meu curso e tentar o mestrado! É inegavel que um emprego público faz toda a diferença!

    ResponderExcluir
  5. Dama,
    boa iniciativa .
    O único emprego que nos deixa respirar é o emprego público.
    Já tentei vários concursos, em alguns passei e não obtive classificação. Em outros, fracasso total.
    Agora tento novamente. Mas não estudo o suficiente. Nem sempre dá tempo. E está cada vez mais concorrido. Todos querem um emprego público. É o único seguro.
    Para quem tem curso superior, pós, mestrado, doutorado e vai por aí.

    Continue contando. Útil

    Beijos e boa semana !

    ResponderExcluir
  6. Buenas!

    Muito interessante essa ideia de contar a tua experiencia...vai ajudar bastante...beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi,pela primeira vez por aqui e achei bastante interessante seu blog e me identifiquei com o post, pois vivo a mesma experiência. Ficarei esperando a "parte 2" com muita ansiedade.
    Uma excelente semana, bjosss
    htttp://blogdmulheres.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Muito boa sua iniciativa, acho que vai ajudar a muitas pessoas , e tambem acho que emprego publico é o que nos garante nesse pais.

    bjs

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho uma certa preguiça de estudar para concursos.
    Gostei do post,vou continuar acompanhando seu relato.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Ei Dama!
    Penso que quem se dispoe a estudar para concurso já é vencedor, pois nãoé fácil!

    Menina, vi sua performace de Amy! Ficou bom demais! Você leva jeito pra coisa, heim?!kkkk.
    Adorei! Já exclui o comentário com o link, ok?

    Beijos e boa semana pra você!
    Fá!

    ResponderExcluir
  11. Adoro saber as coisas.... estou aguardando o restante!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. pois é... eu estou tentando estudar pra passar em algum concurso, porque a iniciativa privada realmente é difícil viu...

    ResponderExcluir
  13. Ahh adorei vc ter acatado a idéia e estar nos passando um pouco da sua trajetória. Pois conheço poucas pessoas que são concursadas e falam sobre a sua trajetória, a maioria se sente superior a todos e diz " ahh eu estudava x hs por dia, e talz", não entra muito no assunto, não gosta muito de dar dicas ou falar da realidade...
    Esse é o caminho que eu muito desejo alcançar e por vezes me sinto desmotivada, qd não passo em algum concurso, ou qd passo e acontece alguma coisa e eu não entro... E nem sempre dá pra pagar um bom cursinho.
    Mas estou com água na boca... quero ver logo os outros posts... kkkkkk

    Bjks

    ResponderExcluir
  14. E depois, e depois?

    Quero continuação imediata! Adoro a parte e que as coisas começam a melhorar!

    ResponderExcluir
  15. Também sou concursada e acho que como tal, sabemos que não é fácil a trajetória até chegar ao concurso que almejamos. E seguimos lutando por nossos objetivos.

    ResponderExcluir
  16. Eu trabalho no setor privado e tenho um bom salário. Mas faço um curso totalmente diferente do que exerço para me sustentar. Hoje em dia o que mais almejo é tornar-me mais uma peça da máquina pública. Não por dinheiro, mas por estabilidade. Essas crises mundiais vivem me atormentando. Hoje estou bem, mas e amanhã? E um cargo público me daria mais liberdade para estudar, que hoje é o que me dá mais prazer.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Hehehe to muito curiosa para saber do restante...
    Bjokas Dama

    ResponderExcluir
  18. Guria de Deus, tu sabe que eu to prestando vestibular por esses dias e tô me sentindo tão mal, péssimo mesmo. É muito bom ouvir histórias de gente que conseguiu se manter d e outras maneiras e mesmo com dificuldades conseguiu conquistar algo próprio.

    No que também tenho pensado é na faxina de blogs e coisas do tipo que você já escreveu por esses dias...

    Tô passando as minhas também...

    ResponderExcluir
  19. Engracado, eu nunca tive interesse em fazer concursos, sei que vou contra a maré do que boa parte dos brasileiros esperam, mas sabe Cris, o que me acontecia? Passar num desses concursos era uma maneira de me sentir presa em algo. É como qd as pessoas da minha familia me cobravam o fato de eu nunca ter tido nem que fosse a vontade de ter uma casa própria. Mas como eu posso ter uma casa se aqui nao é o meu lugar?

    Era isso o que eu pensava. E talvez por isso tbm eu nunca tive interesse em fazer concursos. Minha almma realmente pertencia a outro lugar. E sabe? sou cigana, preciso de mudancas.
    Mas acho que essas tuas postagens podem ser mt úteis a quem sonha com algo assim, de fato, num país incerto como o nosso, um trabalho concursado vale bastante.

    E vc, eu bem sei, mereceu!

    ResponderExcluir
  20. To tentadooo tb! Ai que dificil! Mas olha vida sofrida tem uma recompensa maior!
    Espero que esteja feliz!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  21. Sempre bom ler posts que, por pior que seja o caminho percorrido, mostrou-se a vitória almejada!

    Parabéns..

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html