domingo, 7 de abril de 2013

A versão verdadeira da questão da minha voz...



É bom poder fazer posts agora que falo de tudo abertamente, parece que tirei um peso virtual das minhas costas... rs. Sei que posts que falam de doença e problemas de saúde são totalmente impopulares, não agradam a maioria e muitos pulam e nem lêem; experiência de blogueira de anos e anos. Mas esse aqui achei que deveria fazer porque muitas pessoas me perguntaram a  respeito assim que abri sobre a transexualidade.

Sim, a cirurgia que fiz na minhas cordas vocais teve tudo a ver com a transexualidade, não foi calo nas cordas vocais, não foi nenhuma doença que apareceu. Apenas eu tinha dois tons de voz, um grave que parecia o Cid Moreira falando e um outro tom mais agudo em falsete, que usava desde da puberdade. O tom grave era forte mas totalmente rejeitado pela minha mente e emoção, aquela voz nunca me traduziu como pessoa. O tom agudo em falsete era aceito pelas minha emoções e mente feminina, mas por ser um tom criado "artificialmente" tinha todos os inconvenientes possíveis, era menos potente, cansava quando falava e com o tempo fui percebendo cada vez mais cansaço ao usá-lo.

Depois de tentar tratamento fonoaudiológico sem sucesso. Descobri um tal médico que todos diziam muito bom num tipo de cirurgia que tornava o tal tom grave, masculino, em um tom agudo, feminino. Muito animada com a idéia, amadureci, coloquei como meta e em maio de 2010, paguei um valor alto pela cirurgia que ocorreu em outro estado, Rio Grande do Sul. 

Só que por algum motivo de um carma que me persegue. A tal técnica não sutiu efeito. O médico abre a garganta com você acordada e manda falar com o tom grave para ver se o procedimento tornou aguda a voz, só que não tornou. Então o médico mandou me anestesiar, dormi e quando acordei o inferno estava instalado. 

Ele me disse que como a técnica não tinha surtido resultado, teve que fazer uma decorticação na corda vocal, sem minha autorização, que no português claro, é tirar a pele da corda vocal para que ela se torne mais fina. Só que isso causou um dano irreversível na corda vocal. Hoje estou processando o médico e blá blá blá, não vou me estender.

Das duas vozes que tinha, restou uma péssima. Hoje em dia minha voz não é audível em ambientes barulhentos, com ruídos, as vezes basta uma música ligada para abafar a minha voz. Enfim, não é uma voz que funcione na grande maioria dos ambientes que a vida nos faz frequentar. E isso me trouxe um prejuízo social grande.

Vamos lá para as frase que ouço quase que diariamente e que me irritam profuuundamente:

- Você está rouca? É gripe?
- Nossa, como você está rouca! 
- Gritou muito? Você tá rouca demais.
- Ahhh, não sua voz não é tão ruim assim quanto você pensa. (quando estou num lugar sem nenhum barulho)

Na internet:

- Ahhh você tá vendo coisa, sua voz não é tão ruim, eu ouvi no vídeo que fez e não acho que é tudo isso! (No vídeo eu estou de cara com o microfone dentro de um quarto fechado sem nenhum ruído)

Quanto as frase que minimizam a questão faço a seguinte pergunta: - Alguém que passou por tudo que passei, inventaria um problema só para fingir que a vida tá pior?  Sinceramente não preciso disso!

Poucas coisas na vida me arrependi de ter feito. Nesse caso sinto uma  imensa e quase insuportável culpa de ter escolhido fazer esse procedimento. Se tivesse ficado quieta no meu canto nada disso estaria acontecendo e estaria com meu falsete que funcionava.

P.S: Há alguns anos atrás, escrevi um livro que conto a história da minha vida. Amigos pessoais e pessoas que se interessaram, leram o livro e todos disseram gostar bastante. Na verdade é a minha história até o momento da transformação. O livro é tipo romance, conta a minha infância, juventude e todo processo autodestrutivo. O personagem principal é masculino e se chama Jeremias. Pretendo escrever a continuação, que seria a fase da transformação do corpo e tudo que isso acarretou, logicamente a personagem seria feminina nesse novo livro. Quem se interessar em ler o livro está publicado em um blog, só clicar no nome abaixo:
UNILATERAL 

29 comentários:

  1. Querida é muito bom qdo nos despimos assim para com a gente mesmo ... os amigos são nosso espelho ... eu não me reprimo em ser transparente ... gosto disto ... tudo esclarecido quero reafirmar q eu fui um dos q comentou com vc sobre a sua voz não estar tão ruim assim ... não tive a intensão de dizer q vc fazia nenhum drama ... com todos os detalhes q vc colocou tudo ficou mais claro ... desculpe se não fiz entender a contento qdo comentei ...

    Estou lhe enviando o e-mail para ter acesso ao seu livro ... me interessa e muito ...

    beijão

    ResponderExcluir
  2. Dama, falar em culpa é tão complexo. Mas penso que por todas as transformações que você foi passando, teria sim que "mexer" na voz. Infelizmente não saiu como o esperado.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. " Quanto as frase que minimizam a questão faço a seguinte pergunta: - Alguém que passou por tudo que passei, inventaria um problema só para fingir que a vida tá pior? Sinceramente não preciso disso! "

    Isso esclarece tudo. :D

    ResponderExcluir
  4. É engraçado Dama, para mim chegar da escola dominical e ler seu blog ou ler seu blog e ir a escola dominical depois me faz sentir que tudo está no lugar... ou no minimo entrado no lugar.

    A parte esse momento nada haver do comentário: Putz!!! Ficar sem uma voz potente deve ser barra, eu preciso de minha voz para trabalhar então fico mensurando o tamanho do seu problema, da até para deprimir se a pessoa não tiver tenacidade. Que médico filho da mãe e irresponsável, ninguém tem o direito de brincar de Deus com o corpo do outro. #MeConfraternizo

    ResponderExcluir
  5. Pois é, eu mesmo já fui um desses que disse que sua voz não é tão ruim assim, mas depois tu me explicou que era porque o vídeo foi gravado num quarto. Eu acho que tudo que vem pra gente não é mal de todo, e serve pra aprendizado. Tu certamente deve ter aprendido algo com isso, mas acho que apesar de ser um erro irreversível e injustificável, algo pior poderia ter acontecido, como a perda total da voz.

    Eu já li a primeira parte desse grande livro, e estou aqui, ansiosíssimo pra ler a continuação! Por favor, Cris! Comece logo a segunda parte! hahaha

    Beijão!

    ResponderExcluir
  6. Olá Cris
    Pena que as coisas não tenham acontecido como você planejou.
    Tenho maior interesse em ler o livro, escreverei para email supra.
    Bjux

    ResponderExcluir
  7. Estou me sentindo uma LOIRA que te lia sempre e não sabia da transexualidade... O que isso muda? Só admirar mais ainda você Cris.

    E quero ler sim - já mando email pedindo ;)

    ResponderExcluir
  8. Dama,

    Você até tinha contado uma vez sobre a sua voz, porém não sabia que tinha chegado ao ponto de processar o médico e não poder ter o som dela de volta.

    (...)

    Quanto ao seu blog fechado, confesso que devorei-o em horas. É extremamente esclarecedor, objetivo e inteiramente claro. Fácil de entender e, consequentemente, deixa-nos ansiosos para ler o capítulo seguinte.

    Gostaria muitíssimo que continuasse a escrevê-lo. De verdade.

    Beijos


    ResponderExcluir
  9. Ahh eu vou ler com certeza, mas vc deveria publicá _lo! Com certeza outras pessoas devem estar precisando ler isso! Vou pra lá, já! Bjs

    ResponderExcluir
  10. E realmente não tem mais volta?

    Sobre o livro vo la dar umas lidas... :P

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Quanto tempo!

    Te vi lá no Lost in Japan e nào resisti, estou mais ou menos de volta a vida virtual também.

    E nossa, você está dizendo tudo muito mais claro mesmo!
    Pra mim que venhopouco, imagina o que senti... GOSTEI!
    Olha... eu podia te dizer tudo daquelas coisas lindas que se deve dizer sempre ( acredito ) Você será feliz, Tudo vai dar certo! Um dia passa, mas eu sei o quanto isto irrita quem tá em uma batalaha destas! Sei de sentir na pele!
    Então vou dizer que gosto de te ler!

    Bejuh


    ResponderExcluir
  12. Dama, a minha voz é naturalmente baixa. Quando vou em lugares em que a música é alta e tento falar alto, minha voz some e começo a tossir. Depois, nem baixo consigo falar, pois a minha voz fica muito rouca e fico tossindo com qualquer esforço. O engraçado é quando fico brava, não consigo xingar ninguém! Vivo poupando a minha voz e por isso, falo o estritamente necessário. Já fiz uma cirurgia para corrigir o problema, mas também não surtiu efeito. Atualmente faço exercícios que a fono passou e como pelo menos uma maçã por dia.
    Acho natural as pessoas minimizarem os problemas alheias como forma de consolo.
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  13. Cris, já li um pedaço bem grande do seu livro... e por enquanto, o que posso dizer é: deveria publicá-lo, deixar aqui aberto para quem quiser ler. Tem muita gente que pode estar passando pelo mesmo e se beneficiaria com a leitura.

    ResponderExcluir
  14. Dama;

    Que sacanagem desse médico ! Aff !!!
    Confesso que fiquei curiosa pra ver o tal vídeo com a sua voz. Onde encontro? Beijos

    ResponderExcluir
  15. A cada relato uma confissão... rsrsrs! Parabéns Dama, vc é admiravel mesmo! Abraço...

    ResponderExcluir
  16. Dama,
    eu ia falar sobre o post da voz, mas ontem passei um bom tempo absorvida pela leitura de Unilateral. Inclusive atrapalhou a estudar o Regimento Interno (vc sabe como é chato) de um órgão para o qual estou estudando. rsrs...
    Achei que sua história é uma história de amor. Quando terminei de ler, apenas isso me vinha à cabeça. O que vc buscou o tempo todo foi amar, ser amada... pelas pessoas em geral, pela família...
    Permita-me tocar num ponto um pouco delicado, mas é justamente o ponto com o qual me identifico, a relação com seu pai. Minha visão é somente baseada pela leitura do texto, então posso estar enganada. Pareceu-me que com toda a limitação cultural dele, com todas as dificuldades de relacionamento que vcs tiveram, numa mistura de amor, dor e decepção ele te ama muito. Olha, eu sou uma moça que nunca causou qualquer especie de "frustração" ao meu pai, e mesmo assim ele não exitou em abandonar a família e nos submeter às mais diversas espécies de humilhação.
    Achei bonito o livro, achei bonita sua história.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  17. Cris:

    Você é uma guerreira, queria apenas dizer isto.

    Beijo e linda semana.

    ResponderExcluir
  18. Oi Chris, boa noite!

    Só tive tempo de escrever e ler agora.

    Uma pena que nem tudo tenha saído conforme planejado. Sinto muito. Sinto muito mesmo.

    Mas, uma pergunta: já procurou algum outro médico ou médica sobre isso, ou o que ele fêz é irreversível?

    Espero honestamente que você consiga mudar e passar por cima de mais esta situação, que não deve ser nada agradável.

    Beijos na alma e muita paz, sempre!

    Ah, só lembrando...

    Minha esposa te manda um beijão e diz que adora tuas confissões.

    ResponderExcluir
  19. Sabe,Dama,cada vez eu gosto mais de ti, e nem te conheço!Só por teres essa coragem,essa sinceridade em expor tua vida,problemas,alegrias e tristezas,pq tudo faz parte,né?
    Quero ler esse livro,todas as partes!
    E volto a repetir o que te escrevi no primeiro comment que fiz no teu blog:o teu nickname realmente é muito especial e tem tudo a ver contigo,diz muito...

    ResponderExcluir
  20. Eu li tudo que você escreveu no Unilateral, chorei muito.
    Obrigada por me fazer enxergar por um outro lado, obrigada mesmo.
    Me fez um bem que você não faz ideia, eu tenho dois amigos gays que eu amo de paixão,mas nunca tinha visto sob a ótica deles. Obrigada mais uma vez.

    ResponderExcluir
  21. Dama,

    Quando fazemos algo até por teimosia é dificil, porque as pessoas ficam dando indiretas...issó é um saco.

    Bom! o jeito é aprender a conviver com a sua atual voz, de forma harmoniosa e pedir muita paciência a Deus porque se ele te dar força não vai prestar. rsrs

    bjs *.*

    ResponderExcluir
  22. Cris, não opinarei sobre esse problema ser grande ou pequeno, pois vc sabe muito bem o que te incomoda. Mas que foi uma sacanagem do médico isso foi. Sabe, já te disse uma vez o quanto gosto de vc pelo que escreve, pelos posts polêmicos e tal e mesmo sem te conhcer muito bem. E quero dizer que adorei saber de vc como vc verdadeidamente é, acho que essa transparência é que faz toda diferença. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  23. Dama, li uma materia e lembrei de vc...
    Tem um lutador no MMA que é transexual era homem e virou mulher.

    Tudo bem? Tudo Ótimo... Mas a polemica se deu quando um lutador sabendo que ele iria lutar na liga feminina o chamou de pervertido, pois disse que ele era somente um homem que queria bater em mulher.

    Tirando a declaração racista, me peguei a pensar e fiquei com uma duvida:
    _ Sabemos que a estrutura muscular dele é masculina os hormônios que se toma diminui a massa muscular fazendo com que ele não tenha uma vantagem sobre as lutadoras?

    _

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, Cristiano, já me perguntei sobre isso também. Acho que é algo que tem que ser visto caso por caso. O que faz o homem ter mais força que a mulher é a testosterona, se você tira a testorona de um homem ele perde grande parte da força muscular dele. Por outro lado, a pessoa quando é exposta a testosterona, como é o caso de nós transexuais, os ossos e musculatura tomam uma proporção masculina, tanto que meus ossos pesam tanto quanto o de qualquer homem da minha altura, no entanto a minha musculatura tem uma formação feminina hoje em dia, então é possível que num caso desse leve alguma vantagem sim sobre outra mulher, mas não é algo assim muito significativo, porque na luta tem as técnicas também que fazem a diferença. Acho que nesse caso o preconceito fala mais alto como sempre.

      Beijocas

      Excluir

  24. A esperança vive em mim,
    amanhece comigo,
    percorre o dia todo
    e, quando anoitece, ela está ainda mais fortalecida
    Desejo a você
    que também tenha sempre a esperança,
    que ela permaneça sempre em seus pensamentos.
    Que as estrelas iluminem e guiem seus passos.
    Que Deus abençoe seu final de semana.
    Beijos no coração carinhos na Alma.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  25. Quanto a tua voz e me colocando no teu lugar, mas me referindo a outra doença que tive sei bem o que é ter que ouvir palavras sem noção de quem nunca viveu ou passa pela mesma situação. É angustiante. Parece que estamos num mundo e a pessoa em outro.

    Ainda na questão da voz, tive uma aluna que falava muito, mas muito baixo. Para escutá-la eu tinha que aproximar o ouvido. Hoje está uma mocinha e com namorado, mas a voz ( acho que de nascença ) sempre baixa. Talvez para ela seja um pouco mais fácil pois já nasceu nessa condição.

    Não sabia que Luma também tinha a voz baixa.

    E o médico ( logo daqui )! Por isso acho que médico bom é apenas aquele que acerta com a gente. Processo nesse. para que aprenda a não fazer coisas sem o consentimento das pessoas.

    Quando ao livro \O/ eu li e adorei. Isso que na época que li estava passando por um problema aqui em casa e mesmo assim não conseguia desgrudar do livro. Tu tens que registrá-lo.

    Agora vê se te empenha em escrever a segunda parte.... :) Quero ler como foi a transformação física da mulher que eu sempre enxerguei conforme ia lendo capítulo por capítulo.

    Beijos!



    ResponderExcluir
  26. Olá, boa noite!
    Esta é a minha 1ª visita.
    Achei variado e interessante, o seu blog.
    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  27. Po Dama, que situacao chatissima mesmo. Tipo assim, vc tinha dois passarinhos na mao, e agora, so tem metade de um ou algo. Tá certa em processar o medico, que fez algo sem tua autorizacao, mas tbm é certo vc ter tentado. A verdade é: como vc estava, vc estava infeliz. Tentou algo que nao deu tao certo qt deveria. E ponto. Nao tem que ficar se culpando nao menina... quem sabe no fundo nao é isso mesmo? carma. ué, e se for ne? tem que encarar Dama, igual tudo o que vc ja encarou ate agora.

    Po, será que um dia essa situacao vai inverter? tem como melhorar com o tempo? ou uma nova cirurgia?
    xiii nao entendo nada desse tema, mas posso imaginar tua angústia :-(

    ResponderExcluir
  28. Que drama, Dama!! Parece que nada pra vc vem fácil, neh?! Mas mesmo assim, não desista nunca.
    Li o seu livro e me emocionei muito. É uma grande lição de vida e muitas coisas para refletir. Preconceito e discriminação só trazem coisas ruins. É um ótimo livro para repensarmos as nossas atitudes perante pessoas que são "diferentes" de nós.
    Um grande abraço!!

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html