domingo, 6 de janeiro de 2013

Das coisas que nos faltam...


Existe uma onda geral de felicidade em que todos tem que está inseridos. Coitado de quem abrir a boca para reclamar de algo!! Vem logo alguém mostrar o lado bom da vida, nos dizer para ter força e tal. Mas a verdade é que o que nos falta fica lá como uma ferida aberta, exposta, doendo. E a gente faz de tudo para disfarçar essa dor, essa falta. Porque é feio dizer que sentimos falta de algo, é quase que um palavrão. O certo é colocar imagens engraçadas no Facebook e desejar um lindo dia para todos. Mas a verdade é que nessa de "enganar" a todos que estamos bem, que não nos sentimos vazios do que nos faz falta, acabamos por enganar a nós mesmos.

São solitários que dizem estar muito bem com a sua solidão. Gordos, magros, altos e baixos que dizem estar feliz com o Deus lhe deu. Gente dura que diz para si mesma que vida não é feita só de dinheiro. Gente infeliz com sua vida profissional dizendo que é uma fase. Pessoas mal casadas que dizem que todos tem problemas no relacionamento. E assim todos nós, todos vamos empurrando nossas mazelas, escondendo de nós mesmos o que nos chateia, o que nos deprime, porque é feio reclamar da vida.

Acho que o problema reside quando toda essa necessidade de se mostrar feliz, faz com que a gente não atente, não pare para se incomodar com o que está errado em nós. E seguimos fazendo piada de tudo, rindo, fingindo para nós mesmos que está tudo bem, que o que temos é o suficiente para sermos felizes. Mas quando deitamos a cabeça no travesseiro, ou sentamos sozinhos naquele sofá da nossa sala, ali é que ficamos frente a frente com o que nos falta e por um minuto a tristeza toma conta, a gente sente vontade de chutar tudo para o alto, mas logo em seguida lembramos que precisamos estar bem. Afinal todos se mostram muito bem, todos estão dizendo que conseguem ser felizes com o que tem. Por que nós não conseguimos? 

Essa é a pergunta que fica. Por que só nós não conseguimos? Será mesmo que só nós é que sentamos naquele sofá velho (ou novo) e nos sentimos a última das criaturas? Será mesmo que só nós temos vontade de desistir de tudo, de não precisar ser forte? Será que todas as outras pessoas são autossuficientes e só nós nos sentimos perdidos? Não creio nisso. Da pessoa que se diz mais feliz, até o que se declara infeliz, todos nós sentimos falta de algo. É quase parte de ser humano essa sensação, momentânea ou não, de vazio. 

Volto a frisar que o problema não reside em seguir em frente tentando superar o que nos faz falta. O problema reside em se deixar levar pela onda da felicidade e se negar a perceber que algo está errado em sua vida. Porque só podemos resolver uma questão, se a gente detectar que aquilo existe e está nos incomodando, caso contrário é empurrar a vida com a barriga para ver onde vai dá.

36 comentários:

  1. mas...e a coragem pra assumir o próprio fracasso ou infelicidade da vida? é complicado, poucos tem.

    e será que essa onda exagerada (eu sinto que é) de felicidade é algo culturamente nosso, brasileiro? pq eu vejo aqui entre os japas: um comenta que tá triste, o amigo pergunta porque... ouve e diz algo do tipo "tomara q vc consiga a solução pra isso... "tomara que tudo de certo no final" mas não fica empurrando papo de "sorria pra lagartixa".

    é preciso encarar o que não tá legal na nossa vida. senão, como mudar, transformar, tentar arrumar?

    bjs e bom domingo pra vc, Dama!

    ResponderExcluir
  2. Dama , incrível!!! Me sinto num vazio enorme, num mundo imperfeitos querendo parecer perfeitos.A gente não pode mais falar de nossas tristezas e quando tentamos superar elas com um sorriso somos tachados de falsos depressivos... Seus texto e muito bom e tudo que estou sentindo neste momento, constaria de compartilhar no meu blog, posso? Bjs querida, cada dia gosto mais do seu blog...

    ResponderExcluir
  3. Existe sim uma ditadura da felicidade todos tem que ser engraçados, todos tem que ser felizes e bem sucedidos.

    Mas como diria barao vermelho a felicidade é um estado imaginario. Logo a felicidade nao existe o que existe sao momento felizes e nós temos que ir em busca destes momentos. Ah nao ser que ficar triste lhe deixe feliz. Fiz um conto sobre isso ta no link aqui, se quiser ler: http://nadademais1.blogspot.com.br/2012/08/em-um-consultorio.html

    ResponderExcluir
  4. Talvez estejamos vivendo numa era de faz conta e quem mais artista for mas "felicidade" aparenta ter. Custa caro ser verdadeiros, autenticos, ter opinião formada, corremos o risco de ser excluidos por não ser compreendidos. Eu sei o preço alto que pago por viver minhas verdades (que certamente não são as suas e de outros)... e isso assusta muita gente, aprendi a conviver com todos mas carrego comigo os que também vivem verdadeiramente as suas verdades, mesmo que a verdade dele ou a minha não seja a de mais ninguém, não gosto dos que se preocupam tanto com os padrões estabelecidos pela sociedade...gosto de gente que ri, chora, se emociona, grita, pede ajuda e ajuda...Gosto de você por que pelo tempo que te acompanho sinto que você é assim verdadeira e também paga um preço por isso. Mas acredito valer a pena.
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Vou repetir aqui exatamente o que postei no FB:
    Desconfio muito de pessoas sempre felizes ou sempre tristes, desconfio muito... Limitar a vida nos opostos é medo de expor a verdade de cada dia, é medo de perder a admiração dos outros por se mostrar normal, passível de erros e acertos, vitórias e insucessos. Gente "linear" me decepciona...

    Bjo!

    ResponderExcluir
  6. Não gosto muito de falar sobre esse assunto porque já escutei algumas pessoas dizerem que eu estou sendo falsa porque me "incomodo" com a felicidade alheia.
    Mas o problema não é esse... eu não me incomodo com a felicidade alheia... eu me incomodo com a falsa felicidade alheia! Quando eu vejo que é de verdade, eu também fico feliz... o problema é quando a gente está vendo que aquilo tudo é mentira... é só para "inglês ver".... isso sim me deixa irritada!
    Estou contigo! Beijos.

    ResponderExcluir
  7. oois dama...... ja disseram por aí que o meu blog é bém infeliz, e eu leio vários que tem o mesmo espírito com o qual eu continuo escrevendo. ele não é infeliz, ele é um blog que fala tudo o que eu estou sentindo, e se eu estou triste, eu não vou escrever um post feliz, serto? não consigo desfarsar nada. eu tenho depreção mesmo, tenho que me medicar e tentar melhorar, mais é como você disse, acabamos nos deparando com aquilo que nos faz falta, mais tem que empurrar sempre. principalmente no ambiente de trabalho, e na vida pessoal. porquê chefe detesta funcionário que só reclama, e família se afasta quando a gente está vivendo alguns momentos de vasio. eu ja vivi isso também, e eles ainda dizem: " mais você tem tudo pra ser feliz, tem gente passando fome, tem gente doente em cima de uma cama e etc."
    Okei, eu sei disso.
    Mais não é porquê eu não estou inserida nas situações escritas acima, que eu também não sofra!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde de domingo Dama (Chris) beijos na alma!

    Bom antes de seguir com minhas linhas, deixa eu sentar aqui no divâ para espreguiçar minhas palavras e dizer mais ou menos o que eu penso quanto a isso.

    Como faço todas as semanas que leio tuas postagens, acabei de ler em voz alta para minha esposa ouvir também.

    Mas Dama, esse é um caso de duas pontas extremamente afiadas de espadas. De um lado temo a questão de como a pessoa é consigo mesma. Aquela questão de encontrar e se achar pessoalmente. Sim, porque tem pessoas que são felizes em serem gordinhas, outras em serem baixinhas, outras por serem magras e esguias e por aí vai. Uns se contentam com pouco, outros em irem todos os domingos para suas missas ou cultos, e já outros em passarem um final de semana apenas em companhia dos amigos, amigas, familiares, ou até mesmo adoram, simplesmente adoram ficar sozinhas num domingo qualquer.

    Veja que isso é muito pessoal. E tão pessoal que se a gente for comparar a nossa felicidade com a de quaisquer outrem, ficamos pensando se vale a pena certos privilégios ou costumes.

    A felicidade, na minha opnião tem níveis particulares que depende apenas de quem está passando por suas fazes pessoais é quem pode dizer ou não.

    Os pontos de vista são totalmente contraditórios e nem sempre temos a receita final para apontar ou apostar em quem está ou não feliz.

    O que acontece na maioria dos casos é comparar nossa felicidade e tentar impor nosso conceito de felicidade para outros, sem se preocupar se a pessoa em questão se conformaria ou não.

    Muito complicado. Muito complicado mesmo.

    Mas, claro que não estou aqui apontando dedos nem nada, apenas dizendo que a minha forma de pensar pode não ser igual à tua ou a dos demais outros que estão lendo esta mensagem tua de hoje.

    Beijos na alma e muita paz, sempre!

    ResponderExcluir
  9. acho que falta coragem às pessoas para assumirem que algo as incomoda e, principalmente, demonstrar isso frente aos outros.

    ninguém é 100% feliz, ninguém é feliz o tempo todo. Mas muitos gostam de fingir que são e vestir essa máscara.

    ResponderExcluir
  10. Dama, sabe aquele viver no "ôba, ôba"?
    É o que vejo ao redor de mim.
    Por fora "bela viola" por dentro .....
    Duvido que exista alguém que não sinta falta de alguma coisa (pode até não saber o que é).
    Hoje em dia as pessoas querem viver, viver, viver ......o tempo está passando! Mas é muita correria sem levar à nada, nem a lugar nenhum.
    Pobres de nós que queremos às vezes um ombro amigo, que alguém enxugue nossas lágrimas, mas .............. é um vazio total.
    Tem horas que me sinto um peixe fora d'água!
    Paz e luz querida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Dama, da mesma maneira que estamos deixando de comer arroz com feijão, acho que estamos deixando de lado uma emoção, um sentimento essencial: a tristeza.
    Não temos mais tristeza, não mais a sentimos. Ou caimos na síndrome de Pollyana, no jogo do feliz, nas belas imagens e mensagens ou descambamos para o outro lado, o da depressão, bipolaridade e por aí vai.
    Sentar lado a lado com a tristeza, deixar que ela fale, mostre, lave o que é preciso, parece que ficou ultrapassado.
    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Bom... dificil acrescentar algo, já que vc falou quase tudo. É complicado nadar contra a maré e contra as tendências comportamentais. Quem tenta, tem grande chance de ficar sozinho... como conversamos. Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Realmente Dama,
    Se você tentar desabafar com algum amigo lá vem a lenga-lenga que "olha quanta coisa pior acontece a sua volta" e assim você se sente uma pessoa egoísta porque "sua vida é linda e por que você tá reclamando"....
    Todo mundo tem problemas de todo tipo, mas ninguém quer admitir isso...
    É como você disse, a gente que tem que parar e analisar o que está nos incomodando para tentar mudar e esquecer do resto do mundo.

    ResponderExcluir
  14. Entendo isso.

    E volta e meia vejo diversos casos no facebook. Lá é uma gôndola de pessoas infelizes que precisam mostrar que estão bem para todos.

    Quando estou de mal humor, quando estou de saco cheio, quando estou feliz, quando quero compartilhar algo, enfim escrevo por lá! Não sou adepta de escrever a minha vida naquele local. Tenho equilíbrio para isso. Até vejo que não sou tão participativa quanto certas pessoas. Posto uma coisa ou outra por dia e olhe lá! NÃO consigo ficar bancando a felicidade em pessoa. Acho que todos já perceberam que tenho uma casca azeda até pelo que escrevo.

    Minha ex diz que eu escrevo muito difícil. E ainda retruca: "não sei para quê!".. Enfim, sempre escrevi dessa forma e não vou mudar porque você não entende o que eu penso. Ave,tenho que lidar com isso...

    Eu não estou lá para angariar o máximo de curtidas que puder. Escrevo o que tenho vontade e quem pensa parecido, curte. Muito bem. E outra: vejo que muitos postam coisas engraçadas e quando vejo no bus ou em outro lugar, o mesmo está com uma cara de bosta sofrida, que dá até desânimo de olhar para o mesmo. E não é uma vez ou outra, são várias. Ai me pergunto: cade aquele cara dito como feliz no Face? Tá aonde?? Helloooooo....

    Enfim, felicidade é subjetiva, porém para quê mentir tanto??? É fácil pegar esses engana trouxas por lá!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Dama:

    Recentemente li "Tempo de Esperas" do Pe.Fabio de Melo ele diz algo mais ou menos assim: "abra as portas para a dor, encare a tristeza nos olhos, a enfrente, não fuja, ela como qq visita um determinado momento vai embora". Os ocidentais mascaram suas dores e mazelas com shopping, compras, bebida, festas, sexo desenfreado etc etc.. já os orientais entendem que o melhor a fazer é encarar o sofrimento e encontrar nele respostas para um aprendizado e melhora.

    Beijos e linda semana.

    ResponderExcluir
  16. Amiga.
    Eu sei tem algum tempo que não venho no seu blog
    espero poder conseguir resolver minhas pendengas .
    Quanto tem faz que não leio uma postagem tão verdadeira
    pior muitas vezes deixo de dizer as coisas que realmente se passa comigo para não me tornar uma chata .
    Eu vejo isso no tal fece se tem dor tem que dizer estou as mil maravilhas.
    Eu ñ curto fece tenho sim ,mais fujo de lá tem momento que da vontade de sumir até do blog .
    Feliz Ano Novo Amiga beijos,Evanr..

    ResponderExcluir
  17. Ultimamente, está difícil disfarçar que tudo está bem. No final de dezembro fiquei internada no hospital, com um quadro sério de infecção renal que veio do nada e em 3 dias, sem mais nem menos, minha vida corria sério risco. Felizmente me recuperei, e quando saí do hospital, minha mãe me contou que minha cachorrinha havia morrido. Essas duas situações foram tão intensas, que eu ainda estou meio que fora de órbita. Momentos assim tiram nosso chão, ficamos tão fragilizados que é impossível não encarar o que anda erradona nossa vida. Acho que até pra disfarçar precisa de força... e qd ela se esgota, somos obrigados a encarar o que está errado dentro de nós.

    ResponderExcluir
  18. Essa história de parecer feliz e na verdade não está é enganar a nós mesmos. O certo é se estou feliz estou, senão vamos logo dizendo que não estamos. E enganar a nós mesmo. Obrigado querida pela participação.

    Bj

    ResponderExcluir
  19. Concordo.
    Isso é um dos motivos que mais me irrita no face. Você conhece pessoas que deve até as calças e está lá postando foto de baladas e etc como se estivesse tudo bem. Tem pelo menos duas amigas que estão sendo traídas, sabem disso e continuam postando fotos com os namorados como se fossem os casais mais felizes.
    Enfim... esse falsa felicidade, na minha opinião só atrapalha quem tenta mascarar os problemas. É claro que tem aqueles chatos que vivem se lamentando por tudo, mas todos sentem falta de alguma coisa. Eu vivo bem sozinha, vivo! Não deixei de viver por estar solteira, mas sinceramente sinto uma falta imensa de um relacionamento.
    Bejo

    ResponderExcluir
  20. Onde é que assina embaixo? A-M-E-I!
    Acho um saco gente que reclama de gente que reclama. Gente que paga de feliz O TEMPO TODO. Todo mundo se sente triste uma vez ou outra, deprimido, perdido e não vejo mal nenhum em expressar isso, em reclamar, em chorar, em espernear. Não se pode viver reclamando, obviamente. Deve-se identificar o problema, o que é que nos faz infelizes, e solucioná-lo. É uma sacanagem conosco empurrar a vida com a barriga, fingir que tá tudo bem quando não tá. Só há um tipo de gente que não sente nenhum tipo de emoção: os psicopatas. Os outros, sem exceção, têm seus momentos difíceis. Eu, quando tô na fase ruim, abro a boca mesmo, reclamo, xingo, pinto o sete. Não suporto engolir sapos, fingir que tá tudo massa quando a coisa toda tá uma merda. Eu simplesmente não sei dissimular. Quem consegue, beleza, continue sendo um babacão mentiroso e empurre sua vida pra lama, imbecil. hahaha Pronto, esculhambei agora com aquele tipo de gente que finge pra caramba a todo tempo uma coisa que não é.
    Enfim, esse comentário ficou gigantesco e bem revoltado, né? Mas é que o tema realmente mexeu comigo e eu precisava soltar algumas farpas. hehehe

    Um abraço, Dama.
    Adoro seus posts.

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  21. Essa felicidade obrigatória é um porre! Aliás não há maior tristeza do que ver esse povo posando de feliz. Cruz credo!

    Bom 2013 pra você!

    ResponderExcluir
  22. Concordo com tudo o que disse! Eu passei os 365 dias do ano passado somente reclamando. Reclamei com pressão, botei pra fora e expus na internet para o mundo ver todos os problemas pelos qual estava passando.
    Se não fizesse isso, enlouquecia. falar não resolve, mas desabafar ajuda a não alimentar um câncer. kkkkk
    Algumas coisas foram se resolvendo. A vida financeira melhorou um pouco, conversei com meu marido para resolver nossas diferenças, me afastei de pessoas que me faziam mal, e tomei a atitude de levar o meu emagrecimento a sério, uma coisa que não muda o mundo, mas que eu preciso fazer por mim.
    E assim, resolvendo uma coisinha e outra, o fato é que eu me sinto feliz hoje. De verdade. E estou tomando o cuidado de não semear problemas. Tomo cuidado com o que falo,com o que como, com o que gasto, estou vigilante como Jesus nos ensina a ser. E olha...faz diferença viu...realmente faz. rs
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  23. Boa tarde de terça feira!

    Outro dia eu fiz um comentário aqui, e talvez não tenha sido bem entendido. Seja como for, espero acredito que existem dois lados da felicidade e nem sempre compreendemos o que vem à ser isso, quando não nos colocamos no lugar de quem está ou não feliz!

    ResponderExcluir
  24. Dama acho que a cobrança aparece porque nós estamos constantemente buscando essa tal felicidade. Sei que vivemos MOMENTOS felizes, mas isso faz a nossa vida.
    Quando escrevo algum desabafo no meu blog, tb recebo palavras de incentivo, acho natural!
    Agora a legião do arco-iris da alegria do Facebook irrita qualquer pessoa!
    Devemos sim perseguir a felicidade mas nos dar um tempo e nos permitir sentir tristezas as vezes tb é valido!

    ResponderExcluir
  25. Oi Cris...
    Difícil acrescentar algo ao que vc já disse. A obrigação de ser feliz, muitas vezes impera na sociedade e nos coloca em situações em que é difícil dizer...NÃO, não estou feliz!!! É ai, nesse momento que nos assentamos naquele sofá...e choramos!
    Ser forte, ser feliz..e no escuro, chorar!
    abraços Cris

    ResponderExcluir
  26. Adoro tudo que você escreve!! Parabéns e continue sempre assim, escrevendo com o coração e a razão!! bjos

    ResponderExcluir
  27. É que no mundo das aparências, o sorriso vende mais! Pessoas aparentemente felizes atraem mais pessoas para si do que aquelas que vivem de lamurias. A publicidade que o diga! Nesse mundo de faz de conta, vale tudo para "lucrar" mais. Bem, como apareço vez ou outra no facebook, não tenho visto muitas pessoas felizes. Como também não gosto de piadas prontas, não tenho visto muita gente com riso forçado. Pessoas normais tem problemas. Beijus,

    ResponderExcluir
  28. Oi Dama!
    Poxa, só posso dizer que concordo com tudo. Não entendo essa necessidade das pessoas de mostrar felicidade forçada / mascarada. Eu falo mesmo.. reclamo, me indigno.. Não sei qual o problema das pessoas em ser pessoas normais, com altos e baixos, parece que cada um quer mostrar a sua suprema felicidade ao outro pra parecer superior.. sei lá. Acho isso no mínimo tosco.
    Bjus!!!

    ResponderExcluir
  29. Nossa, que texto lúcido! O problema no facebook é que ninguém quer a realidade, não quer a dor do outro.O problema na vida real é que ninguém quer ouvir sobre o sucesso do outro.Não é estranho isso?

    Eu vou com vc, essa coisa que as pessoas têm de "the show must go on" tem um único nome pra mim: negação. E ela não ajuda em nada.Ninguém pode curar uma dor fingindo que ela não existe.É impossível.

    Eu vejo isso todos os dias por aqui.É uma verdadeira feira das vaidades.Um culto à vida de aparência que é fora de sério, mas ninguém quer tocar na dor de ninguém e chegar junto pq "todo mundo já têm seus problemas".Felizes são aqueles que dizem "tá doendo" e tem amigos com os quais pode verdadeiramente contar.

    Bjos e grata pela transparência no post.

    ResponderExcluir
  30. De que adiante toda essa resistência em aceitar que os momentos ruins também fazem parte da vida real, assim como os bons momentos. qual o sentido de negar a existência das fases desagradáveis se elas são inevitáveis?
    Coisa de gente louca pra construir uma aparência, uma vida que não exixte. Sei lá...

    ResponderExcluir
  31. parece que 'ser feliz' é a regra, ai de você se virar exceção...
    bom dia.
    :-)

    ResponderExcluir
  32. Muito bem escrito, e até me deu um certo alivio não ter um perfil no facebook..hehehe...Estou fazendo um curso sobre o Nietzsche esta semana toda e sabe que o teu texto tem tudo a ver com o que estou estudando? "Humano,demasiado humano"...É confortável estar "na média", ser a exceção realmente cutuca,incomoda,mas nos faz questionar,ao invés de só seguir a maré,junto com os outros e sua alegria a qualquer custo..vc está certíssima,adorei!

    ResponderExcluir
  33. Exceptional texto e extremamente sincero!
    Hoje em dia as pessoas acham que mostrando as suas fragilidades, serao ignoradas e prefem viver num mundo de faz de conta, demonstrado uma falsa feliciade, porque na verdade o 'ser Feliz' faz parte da moda.
    Adorei let-te.

    ResponderExcluir
  34. Realmente demostrar algo que não se passa é superficial ao máximo. E existe o tipo de pessoa que vive dessa maneira desde sempre e talvez, fugir dessa postura (se é que posso chamar assim) pode ser desafiador ou até impossível. Se a estátua for feita somente de pó, não podemos limpa-la. Mascaras podem ser libertadoras. Mas a verdade é que nada é pleno e aquele que se mostra contente por obrigação, pode ter certeza que vive seu "Dia de antônimo", como eu costumo dizer.

    O importante é nunca deixar o "antônimo" virar o sinônimo. Se banhe daquilo que te faz bem. E logo atingira a verdadeira felicidade. :)

    ResponderExcluir
  35. Cris, nem todos estão preparados para ouvir nossas dores. Lembro de quando eu estava deprimida, minha mãe me mandava sair para a esquina que passava, amigos diziam que eu tomasse umas caipirinhas que passava, marido nem queria mais me escutar. Então fiquei um bom tempo calada porque era muito feio dizer que sentia uma dor de viver profunda.

    Poucos estão preparados para ouvir nossas dores e até mesmo aqueles que nos amam. Tem sim a regra geral de que devemos estar sempre bem.

    mas eu vou ser sincera e dizer que quando tu me conheceu eu tinha um dor psicopatológica muito grande e que só passava dormindo.

    Hoje em dia as coisas já não doem tanto assim. Já é uma dor normal que dá de vez em quando. Graças a Deus hoje eu já tenho a tristeza normal que as pessoas tem, mas com isso e o meu retornoa normalidade eu percebi ( as pessoas me disseram ) que ninguém suportava a minha infelicidade ( mas também não queriam fazer nada para amenizar ) e hoje só dizem assim ( sou muito sorridente ): Agora sim, tu estás feliz! Agora melhorou. E quando me veem triste ( parece que não tenho mais esse direito ) já falam: Que, vai começar de novo a ficar triste?

    Beijos, Damita.

    ResponderExcluir
  36. Eu também tenho percebido isso. Por isso mantenho o meu blog, posso não ter muitos leitores mas isso não me importa, o que eu quero é um lugar para desabafar e uma pessoa do outro lado, que não viva o meu dia a dia para compartilhar das minhas idéias, e eu perceber (ou não) que não sou a única no mundo a pensar de tal maneira!

    Confesso, que muitas vezes olhos os álbuns de fotos da galera do meu face, pq tem gente que "cada mergulho é um flash" literalmente, e me pergunto se apenas "eu" tenho problemas, dias dificies, dias pensantivos. Nem sempre é a tristeza mas há dias que queremos um silêncio, calmaria... claro que há certas pessoas que não entendem isso, pois estão sorrindo o tempo todo, arrumadas 24hs/dia.
    É estranho essas atitudes alheis, até quando eu preciso melhorar algo na minha vida, eu tenho que parar e pensar como vou fazer, o que fazer, como fazer...

    Eu tenho um grupo de amigos do meu antigo trabalho, que quando nós nos aproximamos, estavamos todos numa época muito "feliz" da nossa vida, todo mundo estava ganhando bem, tinhamos 2hs de almoço as sextas e no fim do expediente quase sempre rolava uma happy hour,todos eram muito legais e engraçados, eu principalmente; Nos dias em que eu estava mais calada ou reservada, era taxativo as pessoas perguntando o que estava acontecendo ou dizendo que eu estava chata, alguns claro eram mais discretos e/ou respeitavam mais o meu silêncio, outros não. Isso me incomodava muito. Eu tinha que estar todas as sextasfeiras arrumada, alegre, com bom humor e ir almoçar com eles...
    É, concordo com seus leitores, ser normal é anormal.

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html