domingo, 21 de outubro de 2012

Solidão em época de internet...


Tenho pensando muito no tanto de gente que se sente sozinha e usa a internet como forma de aliviar essa solidão. De uma certa forma me incluo no rol dos que vivem grande parte do tempo sozinhos, apesar de não ter medo de solidão, pelo contrário, acho até que busco um tanto ela. Mas a verdade é que o ser humano, por instinto, é um ser social, não nascemos para viver isolados. Então, como todo mundo, tenho meus dias e período em que a solidão me incomoda. A pergunta que me faço constantemente é: - A internet ajuda a você a se sentir menos só, ou ela de uma certa forma acaba te isolando do contato humano, por facilitar demais contatos virtuais?

Sinceramente até hoje não cheguei a uma conclusão. Não sei se nos isolamos mais porque a internet te traz a ilusão da companhia através das redes sociais e todos os sites em que podemos manter um contato com outras pessoas, ou se isso nada tem a ver e as pessoas solitárias são assim porque escolheram, ou porque as circunstâncias as colocaram nessa posição. Talvez a resposta seja: um pouco dos dois.

Sou de uma geração que viveu muitos anos sem internet. Então ou a gente saía para conhecer gente, ou simplesmente não se trocava idéias com ninguém. Vendo por esse ângulo, acho que a vida antes da internet provocava naturalmente o encontro real, o olho no olho entre as pessoas. E eu gostava disso, gosto até hoje.  Não entendo essa geração em que o casal de namorados deixa de conversar um com o outro, para cada um ficar interagindo pelo celular com outras pessoas. Um dia desses fui a uma peça de teatro e, antes do espetáculo,  tinham varias pessoas em grupos, todas no celular, sem conversar umas com as outras. Sinceramente desse mal  não sofro, se saio de casa, esqueço que existe internet. Mas isso tem a ver com a minha história de vida, acho que o pessoal que cresceu já com a existência da internet, tem uma relação diferente com essa coisa do virtual. É como se o virtual e o real se misturasse o tempo todo.

Em muitos momentos da minha "vida virtual"  tenho vontade de cometer um belo suicídio, do tipo apagar todos meus perfis, cortar todas as possibilidades de contato pela internet e ver o que aconteceria dali por diante. E te digo que isso não é algo totalmente improvável de acontecer, mas também não estou dizendo que vou fazer. Não encarem isso como : "Ela tá fazendo drama porque quer chamar a atenção!". Não, só estou dizendo o que passa pela minha mente.

De todas as formas de interação na internet, a que menos me incomoda são os blogs. Acho que o que rola por aqui é de alguma forma mais sádio, talvez porque o ritmo das postagens não é algo acelerado e viciante como acontece nas redes sociais. Redes sociais de todos os tipos me parecem com droga, tem gente que usa e se diverte e tem gente que usa e se vicia. Se eu estiver em casa, volta e meia dou uma olhada no Facebook, mas não fico ali em frente ao PC vendo tudo que é postado e nem postando cada pensamento/passo da minha vida. E me policio porque acho que se um dia chegar a esse ponto, daí o suicídio virtual será inevitável, porque já chega eu ter sido viciada em drogas e já basta o tanto que uso a internet para outros fins que não o de interagir com outras pessoas.

Seja como for,  acho que as pessoas estão se isolando mais  em seus mundos imaginários e acho que a internet tem culpa nisso, não sei quantificar o tanto que ela influenciou, mas certamente tem a sua parcela de colaboração para criação de uma legião de pessoas que acha que tem muitos amigos, mas só está isolada em frente a uma tela, uns conscientes disso, como eu, mas no meu caso a minha solidão tem uma série de fatores que conheço bem, inclusive escolha de ficar só. Acho que o problema reside quando você acha que todos aqueles 300 seguidores e 500 amigos existem de verdade, daí para um isolamento inconsciente é um pulo.

32 comentários:

  1. O problema da internet é a dependencia emocional sobre as relacoes que podem ser profundamente frageis.

    ResponderExcluir
  2. Acho que vou eleger vc como minha porta voz.... concordo com quase tudo. Minha solidão também é por um lado optativa. Gosto dela, mas sinto falta de pessoas.
    O suicídio virtual(também), já passou sim, pela minha cabeça e como vc, não o descarto.
    Ando meio cansada.

    ABraços querida.... bom domingo

    ResponderExcluir
  3. Bem, é um tema que dá pano pra mangas xD
    É assim, eu não sou da geração que nasceu com internet, sou dos que viu a internet crescendo e cresceu com ela, daí não sei se me insiro nalgum dos grupos que vc descreveu xD.
    Anyway, acho que a internet não é tanto um contributo pro isolamento como uma desculpa. a pessoa que quer se isolar vai se desculpar dizendo "ah sempre tenho o pessoal do facebook e do blog e etc", como se tivesse se explicando pra si proprio.
    É bem mais fácil emular conversas, e relações pela internet, talvez por isso tanta gente se refugie lá. Não é preciso ser totalmente honesto, o que ajuda em muito várias pessoas com imaginação mais... ativa.
    Já acreditei mais na amizade online.
    Acredito ser possível, e tenho algumas bem bacanas, mas há muita gente que só se envolve porque está aborrecida, quer se distrair, daí arruma amigo virtual, pra se distrair. quando acaba enjoando deixa pra lá a tal amizade e vai pra sua vida.
    Como não lida diretamente com a pessoa, acaba se esquecendo que há efetivamente alguém atrás da telinha.
    Já me aconteceu uma ou duas vezes.
    Se a internet tem alguma coisa que ver com as nossas caracteristicas sociais? acho que não, a gente é do jeito que é. o que muda é a forma como usamos a internet.
    Acho que temos que encará-la como uma arma, quer dizer, tal como uma pistola, quem faz a merda é o humano que está por trás, não a dita internet, ou as redes sociais.

    ResponderExcluir
  4. Onde eu assino? Suicídio virtual? É... Um caso a se pensar... Bjo!

    ResponderExcluir
  5. Para mim a net é apenas mais uma forma de comunicação contemporânea ... só vejo nela o lado positivo ... é fato q muitos não se apercebem disto e se entregam de forma descontrolada e viciante ... muitos dos meus amigos virtuais, q normalmente estão em outras cidades, são amigos tanto qto [às vezes até mais] que aqueles q estão bem próximos ... curto relacionar e muito com pessoas, não importa o qto estão próximas ou longe ... o q importa é relacionar e a net me amplia esta possibilidade ... suicídio virtual? NEVER!!!

    Mais uma reflexão interessantíssima e oportuna da Dama ...

    bjão

    ResponderExcluir
  6. Oi Damaaa!!!

    Lembrei de um amigo virtual que eu tenho, na verdade colega de trabalho, mas só podemos conevsrar mais a vontade pelo msn, passamos o dia conversando pelo hotmail e quando entramos num assunto mto legal, eu continuo pelo cel, e uma dessas sextas de happy hour, eu me peguei sentada numa mesa de bar, várias mulheres rindo e eu conversando com ele pelo cel... tudo bem que ao mesmo tempo eu prestava atenção nas 2 situações, mas putz!
    Fora essa situação de ocnversar com meu amiguinho o dia inteiro pelo hotmail, enquanto faço meu trab e ele o dele, tento tb não ser tão viciada em net. No Face há períodod em que eu posto muito, há como jogar umas indiretinhas e isso acalma qd agente não pode explodir pessoalmente, e há periodos em que não escrevo nada... Não me convém postar cada passo meu... "partiu academia", "partiu sair do trab", "partiu chegar no trab", "partiu almoço", !partiu fazer xixi", etc... rs
    E, voltando ao tema principal, rs. Concordo que há um grande isolamento das pessoas, hoje é tudo muito virtual, contato humano para quê?! Mas não acho que seja culpa da internet, e sim das pessoas que não sabem administrar a relação do virtual com o real!

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Menina, que coincidência. Hoje eu fui almoçar no restaurante com minha mãe, e deixei meu celular em casa, de propósito. Acho que sou muito "colado" nele, mesmo que às vezes eu dê uma sumida de blog, twitter ou facebook (face eu sumo raramente, porque essa coisa é viciante mesmo). E lá no restaurante, eu senti vontade de pegar meu celular pra fuçar as redes sociais, ler alguma notícia, ou sei lá o quê, e comecei a refletir sobre isso. Ainda peguei uma época que internet já existia, mas era quase inacessível. E, não faz nem três anos que comecei a gostar de internet. Antes de ter meu computador, nem sentia falta. só passei a gostar mais, depois que fiz e conheci blogs e twitter.

    Penso como você: por um lado, o facebook nos traz novas e boas amizades. A sua, a da Iza, e a de mais alguns poucos me são muito valiosas, e não saberia como agir se um dia, algum de vocês sumisse pra sempre.

    Por outro lado, a gente perde muito tempo em frente ao computador. Tempo esse que poderíamos usar pra conhecer gente nova. Eu nem me ligo a isso, porque aqui na minha cidade, não tem gente legal. Nem me interesso pro ninguém daqui. Nem amigos aqui eu tenho mais. E acho que aprendo tanto com os blogs, que acho muito mais útill e agradável ficar por aqui.

    E pelo menos pro aqui nós não somos assaltados, né? ahahah

    Beijão, Cris!

    ResponderExcluir
  8. Olá Dama, concordo com vc.
    A internet pode trazer benefícios se bem utilizada, pode facilitar o convívio sim, ou pode ser uma armadilha que nos afaste do mundo e das pessoas reais, do contato olho-no-olho...
    Estou sempre me policiando pra que isso não aconteça, pois só tem a perder quem não se dá conta do risco e não consegue administrar.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  9. Quando se nasce passa a se ser só, no corte do cordão umbilical a solidão nos é passada genéticamente.
    A internet veio apenas ajudar no isolamento humano, carne com carne é insubstituível, às vezes tenho vontade de apagar meus passos virtuais.
    Estou enfarado, hoje vejo a internet como uma máquina de lavar roupa ou um congelado para levar ao forno e comer.
    Não perco tempo no computador, prefiro ler, acho uma perda inútil de tempo.
    Há 3 anos vivo só no mato, se saio uma vez por mês é muito.

    beijo

    ResponderExcluir
  10. Sopram ventos de melancolia
    Transparente é o cinza que a tua alma encerra

    A minha pobreza é a falta de um par de asas
    Encontrei um lugar de reinvenção das sombras
    Pensei virar as costas ao tempo e ao deslumbramento
    E aí houve estranhamente o amanhecer das minhas palavras

    E passei para te deixar


    Um mágico beijo

    ResponderExcluir
  11. Dama, seu post me lembrou essa reportagem da revista Super Interessante:

    http://super.abril.com.br/tecnologia/mensagens-texto-deixam-voce-solitario-697364.shtml

    Acho que a internet só é vilã se deixarmos. Podemos usá-la para conhecer amigos e conhecer novos lugares, ao estreitar um contato. Varia muito de pessoa pra pessoa. bjs

    ResponderExcluir
  12. É engraçada essa vontade de cometer um suicídio virtual, eu já senti isso várias vezes. Inclusive meu perfil no facebook, com meu nome verdadeiro etc, já deletei mais de uma vez. Acho que é devido à superficialidade das relações, o que não é de todo ruim, não estou conseguindo explicar..rs...
    Bom, percebo uma coisa que creio ser bem brasileira, uma necessidade de demonstrar felicidade, mais que isso, uma ditadura da felicidade...bastante comum nas redes sociais. Isso é bem chato, rs.
    Redes sociais, blogs,etc aproximam as pessoas mas preservam uma distância de segurança.
    Tb prefiro os blogs.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Acredito que o mundo real está tão desapontador que as pessoas criam falsas esperanças sobre os outros em suas redes sociais e vivem vidas "solitárias-acompanhadas" com seus avatares mágicos e milagrosos...rs vai entender, né?rs

    Beijo e linda semana.

    ResponderExcluir
  14. Sempre penso na faca de dois gumes ..., vejo a internet como uma ferramenta que mtas vezes pode até nos tirar da solidão, mas esta nos tirando com quem: Quem de fato esta do outro lado da tela? Vive também anos sem net , época que para conhecer tinha que sair , hoje as coisas mudaram, conhecemos dentro de casa e as vezes em momentos até delicados de nossas vidas e acaboms nos sbrindo ao um mundo onde não sabemos com quem estamos falando... Mas mesmo assim é sempre bom saber que temos ''amigos'' para falar , para encontrar , basta se policiar , bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá Srta! Amei seu blog...acho que o isolamento tem como causa também a intolerância cada vez mais acirrada. Os costumes estão e culturas estão se misturando, mas...! abraços

    ResponderExcluir
  16. Não há nada mais solitário do que rede social, infelizmente.

    ResponderExcluir
  17. Cresci numa época sem internet, sem celular... também esqueço ambos quando viajo ou quando saio de casa.
    E me dá urticária gente que senta em mesa de bar com outras pessoas e fica só no celular, mexendo na internet...
    Não sei, acho que o ser humano está mais acomodado e mais só atualmente.

    ResponderExcluir
  18. Pois é. Vivo pensando também na possibilidade de um suicídio virtual. Quando penso nisso, chego à conclusão de nos tornamos escravos dos personagens que fizemos de nós mesmos nessas redes sociais.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  19. Dama,

    Sempre digo, tudo é uma questão de equilibro!

    Há situações, que eu prefiro ficar em casa navegando pela net, lendo noticias, blogs, assistindo algum filme, enfim.. Sabe aquele dia que nem seu melhor amigo você quer ver na frente!? Pois é! Ha dias que estamos nesta vibe!

    Já em outros instantes, nos sentimos tão vazios, que necessitamos ir para o mundo real conversar, mesmo que for besteiras, com alguém de carne e osso. Mas, nem sempre todos estão disponíveis. Quase sempre digamos.

    Lamentável. Curto a net sim. Aliás, adoro-a! Porém, detesto exageros! E acho que é algo bastante preocupante hoje, visto que há uma grande maioria que já está completamente viciada nas redes sociais!

    Uma pena...

    Beijos!



    ResponderExcluir
  20. Eu já pensei várias vezes em deletar meu perfil do Facebook, sinto essa dicotomia: por um lado é legal, mas por outro deixa-se de cultivar amizades reais.
    E sinto falta de conversar "ao vivo", o msn, com webcam e tudo, me cansa. Bons tempos de Orkut, quando eu participava de uma comunidade enormeeee que se reunia todo mês para "Orkontros" na Paulista. Era uma maneira saudável de unir esses 2 mundos...

    ResponderExcluir
  21. Dama,
    adorei você voltar a escrever, tenho lido, mas pouco tempo para comentar. Confesso que tive medo que ficar com a interação da internet me isolasse, hoje uso a meu favor. Tenho conhecido várias blogueiras pessoalmente e participado de várias desvirtualizações. Como viajo bastante,a trabalho, procuro sempre encontrar pessoalmente com quem interajo, não sei os outros, eu sai ganhando.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  22. Quando leio teus textos dá uma vontade enorme de seguir falando como é para mim a coisa. Acho que tu nasceu para psicóloga pois consegue arrancar o que está no fundo da gente

    Dama, em 2006, quando eu nem conhecia a Internet e nem tinha celular o contato físico com as pessoas já me bastava.
    Um amigo da época da faculdade foi o que sugeriu (pois eu sempre gostei de ideias novas) que eu lesse blogs e que através deles eu poderia colher o pensamento das mais variadas pessoas.

    O ruim daquela época foi que amigos (vendo que eu recém tinha adquirido computador ) me arrastaram para fazer Orkut, MSN e derivados... Coisas que nunca me acostumei, pois não conseguia/acho que nunca consegui interagir com pessoas que estavam logo ali em outra sala. Pessoas as quais eu poderia ter um contato presencial. E toda a minha luta foi no sentido de não estar online com pessoas que conheço pessoalmente e sim conhecer o pensamento daquelas que ainda não conhecia.

    Não sou uma pessoa (no cotidiano) de muitos amigos. Penso ser individualista demais, mas dentro de mim sempre tive vontade de conhecer algumas pessoas que não conheço pessoalmente. Tipo assim: Poder mostrar aos que convivem comigo e não acreditam, que sim; existe amizade neste mundo virtual.

    Eu penso que agora estou conseguindo o que quero que é não estar online com nenhuma pessoa que conheço pessoalmente. Usar, como era meu objetivo inicial, a Internet apenas para me comunicar com os que não conheço. Não quero que meu mundo aqui seja a extensão do meu cotidiano, porque algumas pessoas do meu cotidiano adicionam somente por adicionar e outras estão ali somente por estar e outras ainda são muito conservadoras e estar na Internet junto delas é uma tortura pois sempre ficam dizendo como devo me comportar e colocando areia em tudo o que faço.

    Com a Internet (e blogs) eu posso primeiro conhecer o íntimo de alguém assim como mostro o meu e quem sabe um dia, numa esquina da vida eu possa encontrar as pessoas queridas que tanto bem fizeram ao meu coração. Certo está que são poucas, mas valem por uma centena que já encontrei no cotidiano. É por isso que eu não desisto nunca.

    Eu sou a campeã de suicídio virtual ( para fugir das pessoas do meu cotidiano), mas sempre ressuscitei em outro lugar e procurava levar comigo as pessoas que mais me fizeram bem
    No facebook eu tinha colocado (como restrito) e cancelado a assinatura do Feed de notícias de um monte de gente conhecida (incluindo parentes) que ficavam mandando indiretas para todo mundo e brigando (até prometendo tunda de laço) por causa de política. Alguns me ligavam perguntando por que determinada pessoa via minhas atualizações e eles não, também perguntavam por que não tinha comentado a última foto deles e se tinha visto e tal. Não deu. Foi naquele momento que decidi que não teria mais meus conhecidos online e não estaria junto deles.

    A Conclusão é que sobraram poucas pessoas para visitar, poucos amigos (do cotidiano) mais são parentes e irmãos e hoje só ligo o computador para, basicamente, ver os amigos de blog e ou pesquisar uma coisa e outra.
    Não dá para me sentir cansada mais. Eu só tenho o computador de mesa e ainda não aprendi a interagir pelo celular.

    E esse horário de verão é um porre, pois cheguei da escola e vim para a Internet achando que teria mais tempo e já tenho que acelerar para fazer as coisas para o outro dia. A sensação de hora perdida fica sempre.

    Beijos e desculpa a carta...rs Vou “urgente” procurar um curso de síntese do pensamento...rs

    ResponderExcluir
  23. hey querida!

    é, esse é uma tema chato mesmo, tbm me incomoda ver o quao a garotada (e nao tao garotada tbm) anda viciada nessas redes sociais ou ainda, pra mim, pior, de cara grudada em celulares. Acho que isso afasta mt o contato natural, de olho no olho, como vc fala, e o que ainda pode ser mais agravante, parece que as pessoas se afastam de si mesmas, de si próprias. Nao se vê hj em dia, mais ninguem, só em silencio consigo mesmo, tem que estar sempre com um fone de ouvido,com um celular nas maos, sei la, mt doido tudo isso...

    Beijao Dama!

    ResponderExcluir
  24. Respondendo a sua pergunta: se é criação ou comodismo, tanto as pessoas com a ajuda da internet ou sem tem se isolado cada vez mais em seus mundinhos, mesmo. Tb sou de uma geração onde a tecnologia não era tão avançada assim e o contato pelo virtual não era tão constante e necessário. Tb acho que por mais fácil e interessante que seja, nada do virtual se compara ao real. E eu não troco o meu real por nada!

    Agora, depois de ver a reportagem de ontem do Profissão Repórter de internautas viciados, é um alerta para ficar atento. Todo e qualquer tipo de vicio e escravidão faz mal. Se está usando a internet para se esconder do mundo ou apenas como passatempo ok, sem problemas. Mas se não for assim, algo está errado. Sei que não é o seu caso, mas com certeza é o de muita gente!

    Beijoka e excelente reflexão!

    ResponderExcluir
  25. Excelente post.
    Também penso muito nisso e sinto como você. As vezes acho que toda essa modernidade, essa era virtual, ainda vai nos cobrar uma fatura muito alta.
    Como você disse, o problema não somos nós que estamos conscientes e mantemos o equilibrio (ou tentamos) ( ou achamos que ... ) o problema maior são os mais jovens que vivem literalmente da e para a internet. Isso me preocupa, me incomoda.
    Boa reflexão.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  26. Olá Dama, ótimo o seu post. Eu por mim tenho dado um tempo no blog para estar mais presente na vida presencial. Este equilíbrio é necessário, e acredito que cada um deva buscar um meio termo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Eu ODEIO a mania do meu namorado de ficar toda hora no facebook pelo celular ou dar check in em todos os lugares que vai; ele deixa de viver os momentos da vida real, me deixa no vácuo às vezes, e o pior, fica naquele ritmo de uma construção de imagem para os outros.
    Também prefiro os blogs, acabam sendo como as saudosas cartas dos tempos antigos...
    Adorei seu blog!
    Beijos

    ResponderExcluir
  28. é curioso mesmo as pessoas na rua ligadas ao mundo virtual, divulgando cada passo e ato. São os sinais do nosso tempo.

    ResponderExcluir
  29. Penso que o problema está na dificuldade que algumas pessoas sentem em discernir o que é real e o que e apenas virtual...

    ResponderExcluir
  30. Ótimo essa postagem, aqui em casa tenho um exemplo que como os jovens usam a internet para tudo até para brigar com o namorado...a Gabi outro dia discutiu com ele por msn, não acreditei.

    Também acho que os blogs (pelo menos os que leio) são mais autenticos com a realidade de cada um, isso é o diferencial.

    Segundo a Gabi no facebook tudo é maravilhoso a vida é um conto de fadas.

    Bom domingo.
    *.*

    ResponderExcluir
  31. Tb tenho esse tipo de dúvida dentro de mim: se a Internet veio para unir ou para separar...

    ResponderExcluir
  32. Um ótimo post. Acho que a internet ferrou com a minha vida, mas ela não é a culpada. O culpado sou eu. E eu já cometi muitos suicidios virtuais, e depois mudei de ideia e voltei a viver.

    Mas o meu blog eu acho que nunca vou apagar. Até porque como vc disse ele nao vicia. Acho que é o mais saio tb...

    Eu sou isolado, sei disso, gosto disso, mas sei que me faz mal. Este ano passei a tentar mudar isso. Nem de casa eu saia muito. Próximo passo: relacionamentos!

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html