segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Não administro carência alheia!!


Fazia tempo que não destilava minha acidez, mas esse assunto merece. Não suporto gente que despeja sua carência para que o outro resolva, dê conta do que está errado ou faltando na vida dela. Simplesmente me dá total angústia, me sinto sufocada, aborrecida e sem paciência!

Isso quer dizer que não tenho meu lado carente?! Que minhas amizades mais chegadas não são carente? Não!! Claro que não. Tenho sim muitas carências, mas busco não atirá-las como pedras nos outros. Se estou carente, vou ver um filme, encher a cara de cerveja, vou chorar até as lágrimas secarem, mas não vou ficar sufocando os outros, nem me jogando em cima das pessoas como se fossem tábuas de salvação.

Sempre digo que se uma pessoa quer me prender, me deixe livre! Claro que esse "deixar livre" não é me ignorar... rs... mas não ficar indagando se fiz isso ou aquilo, porque estou agindo desse ou daquele jeito, nem ficar pedindo para que eu faça declaração de amor. Certamente se a pessoa não ficar me pressionando, cobrando atitudes e palavras, na hora certa eu vou dizer tudo. Darei satisfação naturalmente, direi o quanto gosto da pessoa naturalmente. Mas se me imprensar na parede, aí eu me fecho como uma ostra. Sim! eu nunca disse que era uma pessoa fácil! Mas sou parceira quando gosto de alguém!

Vamos as minhas analogias. Tem gente que anda com suas carências, frustrações e angústia, como quem anda com bolsas grandes e pesadas; assim que encontra alguém joga o peso nas mãos do outro sem nem perguntar se a pessoa pode ou tá a fim de segurar aquilo. Repouse suas bolsas no chão e quando alguém se oferecer para segurar, aí sim entregue.

Em relacionamento amoroso o tipo de homem que me atraí é o objetivo/prático e bem humorado. O tipo que raramente apareceu na minha vida. Homens românticos demais, melosos demais, melancólicos, pegajosos demais, ciumentos demais, quase sempre me levam à angústia, justamente porque no pacote quase sempre vem incluída uma grande carência. Não sei muito bem lidar com excessos sentimentais. Isso se deve ao fato de que precisei me tornar menos passional e mais prática/racional, para fazer minha vida funcionar do jeito que queria. Claro que sou sensível, tenho meu lado romântico, sim. Mas certamente não excedo nesse ponto. Peco até pela falta, mas dificilmente pelo excesso.

Não estou confessando que sou uma pessoa morna. Isso não sou! Sou enfática e bem intensa na forma de me expressar, como em momentos que me deixam alegre, ou com raiva! Mas certamente o que rege a minha vida na maior parte do tempo, é meu racional, é ele que me dá chão, segurança, firmeza.

Nos relacionamentos em geral, seja ele romântico ou de amizade, o meu lema é o velho: "Viva e deixe viver!". É pré-requisito para me ter ao lado. Caso contrário eu escorrego feito sabonete molhado... rs.

28 comentários:

  1. Pode soar machista, mas este tipo de comportamento se não cai bem na relação entre amigas, menos ainda entre amigos. Acho homens são mais tolerantes a mulheres assim, não digo totalmente. E zero tolerância quando este comportamento é de outro homem na relação amizade. É uma opnião.

    ResponderExcluir
  2. Oi Dama,

    O marido é ciumento demais e isso me irrita pq na maioria das vezes ele vê chifre na cabeça de cavalo.

    Mas tb odeio esses comportamentos...
    Fica parecendo que somos putas de carteirinha... (desculpe a expressão)!

    bjos

    ResponderExcluir
  3. Eu reclamo demais. Ultimamente, na minha vida pessoal, pode-se dizer que não tenho com quem me desabafar. O blog, além de ajudar no preenchimento do vazio da minha existência(rs), é uma forma de desabafo. Quando reclamamos muito, corremos mesmo o risco de afastar as pessoas à nossa volta. Quanto ao romantismo, quando amo, sou exagerado mesmo(rs), e, como sempre digo, meu ciume é proporcional à intensidade da minha paixão, e, às vezes, faço(e falo) bobagens.
    Acho que vc, Dama, não toleraria um namorado como eu; pensa bem, fiz umas setenta (ou mais) rimas para a minha última paixão.rs. E tenho ciume até da minha sombra.rs

    ResponderExcluir
  4. A chamada pessoa "durepox" é horrível, goma arábica, por onde passa é aquela churumela.
    Relações normais ou íntimas ter de aturar um "gumex" ou "laquê" é castigo, pra quem atirou pedra na cruz.
    Agora fiquei carente....
    beijo

    ResponderExcluir
  5. Dama,
    Respeito muito sua opinião, mas não concordo com essa especificamente. É claro que as carências alheias podem ser muito cansativas e demandar uma energia que, algumas vezes, não estamos dispostas a despender, mas não há como ser diferente, pelo menos em relação à amizade, na minha opinião. É claro que amigo não é apenas aquela pessoa que te diz que você é linda e cheia de qualidades; amigo mesmo é aquele que, além disso, também pode te apontar um defeito ou algo que mereça ser melhorado, porque ele quer o melhor para você. Mas eu já estive dos dois lados em relação às demandas pessoais e digo que, quando "administrava" as carências do outro, tentava fazer o melhor para que meu amigo se sentisse bem, porque não se pode abandonar os amigos e porque isso é uma fase. Do mesmo modo, quando eu estava no polo carente da situação, pude, além de constatar quem realmente é meu amigo, contar com um apoio para recomeçar a andar com as minhas próprias pernas. Como diz a oração de São Francisco, é dando que se recebe e é perdoando que se é perdoado... Agora, em relação às pessoas naturalmente "sugadoras" de energia, concordo plenamente com você. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda sonho com o príncipe encantando, no caso princesa, então... acho que você está certa, aliás como sempre está. Sempre fui o melhor amigo e minha função neste mundo é ouvir e aconselhar os outros. Quem sabe um dia...

    Saudades suas...

    ResponderExcluir
  7. Oi, Dama!

    Vc disse tudo!

    Pior que eu só atraio esse tipo de gente carente e desesperada. Odeio isso! ¬¬ To cansada de bancar a "psicológa" de marmanjo e tentar "consertar".

    Não quero mais isso pra minha vida, por isso, to passando loooonge de gente assim. Assim que começa as cobranças, os ataques de pelanca e as pressões eu caio fora lindamente.

    Ng merece!

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Tenho verdadeiro pavor a pessoas mimizentas que ficam cobrando o tempo todo... seja em que tipo de relacionamento for: amizade, amoroso, familiar. Não suporto. Quer um orelhão pra aturar mimimi? Procure um terapeuta, que é pago pra isso.

    Não cobro das pessoas, por isso não suporto quem cobra de mim. Devemos estar presentes por vontade própria. Cada um tem sua vida, seus problemas. Estar ao lado de alguém não significa absorver os problemas alheios, sim dar apoio à pessoa, mas por nossa livre e espontânea vontade. O que me estressa é que tem gente que acha que devemos absorver os problemas alheios compulsoriamente e esquecer dos nossos... e na maioria das vezes são pessoas egocêntricas que, quando precisamos de apoio, são incapazes de parar de olhar pro próprio umbigo.

    ResponderExcluir
  9. Não me incomodo de dar atenção, escutar longamente alguém. Me incomoda a exigência de quando não puder fazer isso ser cobrado. Gosto de circular livre entre todos sem a sensação de estar sendo negligente com alguém. Mesmo que alguém suma por longo tempo, é suficiente saber que tenho meu espaço e não precisa ser largo. E sempre dá para apertar para caber mais um.

    ResponderExcluir
  10. Meu problema em vir aqui é que meus comentários são sempre curtos. Não consigo não dizer simplesmente "Assino embaixo", não tenho mais o que dizer, tu diz tudo.
    Por mais que eu tente, não vou fugir à tradição: Ótimo texto, concordo plenamente, assino embaixo. Não coloco uma vírgula a mais.

    ResponderExcluir
  11. Belo texto !!
    Mas acho que pior que o carente só aquele que se faz de vitima... Jesus ninguem merece !
    O ciumes em excesso se torna cobrança e não tolero mesmo. Bom acho que já estou meio passada para aturar certos ''tipos'' que andam por ai, carente tenho meus dias , mas procuro resolver sozinha , sem importunar quem esta do meu lado .

    Bjssssssssssss

    ResponderExcluir
  12. Com relação a namorado, Dama, minha amiga (posso dizer que somos amigas néh, depois de mais de ano de virtualidade... comentários, postagens lidas uma da outra?!?!) eu nem sei mais o que gosto tanto tempo faz que não namoro... Já perdi a conta dos anos... Mas em relação a amizade eu sinto que minhas amigas e amigos geralmente são pessoas independentes, verdadeiras e que gostam de colocar o lado negro da força pra fora muito mais que o lado meigo! Pessoas mais constantes que melosas, que compartilham angustias, mas não sobrecarregam...

    Enfim... Também gosto desse lema: "Viva e deixe viver!"

    ResponderExcluir
  13. Em poucas situações da minha vida eu fiquei tão fragilizada quanto nos últimos meses. Eu faço terapia, tomo antidepressivo, tento superar minhas dificuldades, mas confesso que fico magoada pq neste momento tão difícil são pouquíssimas as pessoas que me dão colo. Não posso contar com minha família, e se não tiver amigos que façam um "chamego" qdo estou no fundo do poço, não vejo sentido na amizade. Claro que não fico cobrando, jamais reclamo a falta de atenção, mas fico magoada, sim, qdo alguns amigos, sabendo do momento dificil q estou vivendo, não se mostram presentes. Eu sou muito companheira e dedicada às pessoas que eu gosto e percebi que há momentos em que você tem que contar consigo mesma, ou no máximo com uma pessoa muito próxima. O desejo de colo e paparico, tão necessário a nossa alma naquele momento, fica engasgado no peito.
    As pessoas estão ficando cada vez mais individualistas, é uma pena...

    ResponderExcluir
  14. Uma vez eu ouvi me dizerem que eu não posso depositar no outras as expectativas da minha felicidade! Eu tenho que estar feliz, e desse modo fazer o outro feliz.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  15. Oi, Dama!

    Eu sempre fui meio estranha. Tanto que marido até hoje me cobra por não ser tão romântica quanto ele. Não costumo cobrar nada. Sou gentil e meiga mas não muto carinhosa.

    Tenho uma irmã que é a carência em pessoa. Ela chega abraçando e beijando a gente até a exaustão. Eu já vou falando que não gosto de muito beijo e abraço mas não adianta.

    Sei lá, me sinto mais ou menos como você. Tento resolver meus problemas sozinha, me armo de uma força muito grande, mas no fundo quando quero ajuda dificilmente peço.

    Hoje meu irmão me ligou perguntando se estava tudo bem já que minha mãe tinha retornado a cidade dela e eu disse que estava tudo bem, mas na verdade tinha acabado de resolver mais um problema com uma pessoa da minha família que está muito frágil emocionalmente e se apóia em mim.

    Além de eu ter que resolver meus problemas com o tratamento e tal ainda tenho que resolver a carência afetiva dessa outra pessoa.

    Não é fácil darmos colo para os outros quando somos nós que precisamos de colo, mas é só notarem que a gente está forte e já montam em cima para serem carregados.

    Ops, desabafei neste post o que estou vivendo aqui em casa.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olha, Cris, nesse ponto somos bem parecidas!!!
    Quer me afastar? É so me cobrar...rs!! Deteeesto cobrança emocional, seja marido, filhos, amigos...
    Homem auto confiante sem arrogância é a coisa mais sexy do mundo...e bem humorado...rs!!!
    O teu ainda esta por ai perdido te procurando Cris!!!!
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  17. Vc está certa... mas acho que a carencia é algo da atualidade e está cada dia piorando mais.
    As pessoas perderam o contato umas com as outras e assim nao confiam mais...
    É horrivel ter alguem assim...

    ResponderExcluir
  18. Ah, sei lá, eu sou carente! hahahaha. Não que ache certo ficar despejando minha carência por aí e acho que nem faço, não costumo nem procurar os amigos pra chorar as mágoas! Mas, como diria Renato Russo: "sempre precisei/ de um pouco de atenção..." rs.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Eu mal administro as minhas, que dirá a dos outros...rsrsrs
    Bjo!

    ResponderExcluir
  20. Muito bom, Dama!

    Quando alguém vem me jogar dessas bolsas tipo malas e maletas dá vontade de tacar o peso todo na cara no indivíduo e mandar pro inferno que o carregue. Visualizei direitinho essa caricatura que vem me visitar às vezes. Ainda bem que alguém explica exatamente a figura! Vontade de distribuir seu texto aos quatro cantos pra ver essas antas carentes se tocam.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  21. Taí, gostei do texto!
    Sendo sincera, já fui desse tipo carente chata, mas depois que parei, analisei e vi o quanto isso sufoca e afasta as pessoas, abandonei esses modos tão detestáveis. Sim, hoje vejo o quanto ser carente e meloso ao extremo, exigir carinho e declarações de amor dos outros a todo momento é irritante.
    Ah, como é bom evoluir! hahahaha

    Cheguei aqui através de uma indicação da Ana Seerig.
    Gostei do blog!

    Hasta!

    ResponderExcluir
  22. Xiii tomei um susto quando vi o link da postagem!!

    Eu sempre fui boa ouvinte e "boa" conselheira, bom ombro amigo para as carências dos meus amigos, e sempre quis o bem deles, e quando entrei no meu lado da minha deprê pude perceber que nem todos estão dispostos a dar a mesma ajuda... E olha que eu sou muito fechada. A maioria dos meus amigos verdadeiros, eu estou sempre disposta se precisarem mas não sou aquela pessoa sempre presente na vida deles, preciso do meu espaço...
    Agora têm pessoas que não aturam as carências dos amigos mas adoram ser babás de seus homens, e qd precisam de um ombro??

    Bjks

    ResponderExcluir
  23. A analogia da bolsa é muito boa. Tem também os que carregam malas (sem alça e rodinhas) ou baús e querem que você carregue...
    Beijo,

    ResponderExcluir
  24. Damas, tu leu meu pensamento!
    Tive sérios desentendimentos com minha melhor amiga a poucos dias justamente por que me cansei do papel de vítima que ela se coloca.
    Outro dia me ligou aos prantos, por que depois de ver toda história do Lula, ficou com medo de também adquirir um cancer. E nisso me ligou 3 vezes no mesmo dia. Fiquei puta, falei pra ela que era muito mimada, que tava chata e que nem meu marido me ligava tanto assim. Que era pra crescer. Parar de inventar problemas que não tinha.
    Eu antes bancava a psicóloga, só ouvia, emitia minhas opniões com maximo de cuidado pra não magoar. Mas agora surtei. Dei um basta.E sabe o que ouvi? Que estou ficando velha e amarga!kkkkk.
    Você está certíssima! Tolerância zero aos carentes excessivos.kkk.

    Beijos,
    Fá!

    ResponderExcluir
  25. Dama,
    sou parecida com você.
    Meu lema é meio também " Viva e deixe viver."
    Verdade. Tem gente que adora jogar as carências em cima do outro.
    Principalmente amigos.
    Tenho uma amiga que quando está bem, nem aí, quando fica mal vem me procurar.
    Da última vez , perdi a paciência e não dei atenção a carência.
    Ficou chateada.
    Fazer o quê ?

    Também gosto de homens com senso de humor.
    O problema é que conheço o cara , acredito que é espirituoso, e depois de um tempo percebo que é chato e repetitivo.
    Ai ! Vai ver o problema sou eu.

    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Quem dera eu ter o meu lado racional completamente ativo...

    Sou emocional demais. Percebi neste meu último relacionamento. E, parece que as coisas são como você falou: sufocar, estraga!

    Tento me equilibrar, buscar a compreensão dessa minha angústia e carência desenfreada, mas eu ainda não consegui... Até passo por momentos de tranquilidade, porém eu sei que ela está ali, pronta para mostrar as caras.

    Quando eu sentir que meu racional está ativo, te aviso. Infelizmente, por enquanto, vou vivendo com o emocional guiando meus passos.

    'Complicadérrimo'!

    Beijos

    ResponderExcluir
  27. Concordo com você Dama de Cinzas. Cada um com sua carência! Espere alguém estender a mão para aí sim agarrar-se na ajuda.
    Enfiim...
    Adoreii seu blog! Parabéns... ;)

    ResponderExcluir
  28. Essa mulher existe mesmo ?! 👏👏👏👏 Perfeita sua colocação!

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html