domingo, 28 de julho de 2013

Que tal, também, valorizar a sabedoria?!

Dia desses estava no trabalho e uma das estagiárias de 19 anos disse, com orgulho, que não era nascida quando um tal fato aconteceu. Aí uma tonta de 36 anos vira e diz que se sente humilhada com a juventude da tal estagiária. Como assim ter nascido depois dos acontecimentos é mérito?!! Vamos dar valor ao que tem valor! Desde quando ter vivido, ter presenciado, ter bagagem de vida, é algo menor do que simplesmente não ter passado pela vida? Os valores estão  invertidos!

Não é incomum ver jovens dizer com orgulho que não viram tal coisa, que não presenciaram, que não conhecem isso ou aquilo  porque é anterior ao seu nascimento. Para mim isso só quer dizer uma coisa, alienação. O que aconteceu antes de termos nascido, explica o porquê de estarmos assim hoje. E algo que aconteceu no passado não é menor do que algo que acontece no presente. A valorização da juventude é algo tão absurdamente emburrecedor, que um jovem vazio de experiência está num patamar superior a um idoso que tem muito a contar sobre o que viu e viveu.

Não, não estou aqui para dar uma de hipócrita e dizer que desprezo o valor da juventude, que não quero me manter o mais jovem possível. Não é isso, acho que as duas coisas podem andar paralelamente. Cultivar hábitos saudáveis, ter sua vaidade, mas também valorizar a experiência de vida, coisa que só os mais velhos tem. Jovens por mais inteligentes que sejam, por mais que aprendam rápido, precisam dos anos para solidificar e amadurecer suas opiniões. Vivência é algo que não se adquire de uma hora para outra, não se compra, não se nasce com ela. Só o passar dos anos te traz isso. Então vamos admirar e não desprezar como se fosse um defeito.

E também não fiz esse texto para diminuir a importância dos mais jovens. Jamais! Inteligência, capacidade e talento é algo que independe de idade e qualquer um, em qualquer idade pode ser brilhante. Mas experiência e vivência, só os mais velhos tem. Alias é a única parte boa de envelhecer, é exatamente a parte que vejo todos desprezando, tanto do lado dos jovens, quanto das próprias pessoas com mais idade, que se acham menos porque viveram mais. Isso realmente, volto a repetir, é uma inversão total de valores!! Infelizmente vivemos numa sociedade fútil em essência.

Gosto bastante de ouvir o que os mais velhos tem a dizer e geralmente dizem muito. A experiência de vida traz um olhar diferenciado e amadurecido sobre o mundo, algo gostoso de ser ouvir e de se absorver. Definitivamente não tem nada de errado em ter vivido na época que não existia isso ou aquilo, ou que não acontecia isso ou aquilo. Essas pessoas viram tudo mudar desde o início. Esse é o lado super legal de se viver mais, que é realmente ter visto mais, ter experimentado mais.

30 comentários:

  1. Quanta ignorância da tal estagiária...
    Será que ela pensa que a juventude dela é pra sempre?
    Mal sabe ela que terão fatos que ela vivenciou e que a nova juventude não presenciou...
    Espero que com o tempo ela tenha maturidade...

    ResponderExcluir
  2. Sensacional esta sua reflexão Vivemos um tempo de total inversão de valores ... como assim não ter vivido algo por não ter nascido ainda é mérito [será q ela acha q nunca terá mais idade?] e, o pior, como pode uma pessoa que deveria se orgulhar por ter uma bagagem de vida tem vergonha disto?

    Do alto dos meus 62 anos sinto uma satisfação imensa em ter história para contar, em poder dizer q VIVI e não simplesmente passei pela vida e, o melhor, ainda vivo com toda a minha garra em plenitude e intensamente ...

    ResponderExcluir
  3. Assino em baixo, concordo amplamente com você Dama! Sem tirar nem por! O bom de viver é isso, acumular experiencias, ver como as coisas vão acontecendo, desvalorizar a experiencia é uma bobagem, uma alienação e das perigosas!

    ResponderExcluir
  4. " Gosto bastante de ouvir o que os mais velhos tem a dizer e geralmente dizem muito. "
    Meu último post exaltou justamente os Talentos da Maturidade. :D

    ResponderExcluir
  5. É por essa e outras que eu amo História. Como se pode desvalorizar o passado? Como se pode entender o presente sem olhar para os acontecimentos anteriores? As respostas estão justamente na reflexão que fazemos de algo que passou, pra que entendamos por que estamos aqui. Eu disse e ainda digo que nasci na época errada. Queria eu ter nascido em outras épocas. Há umas tão interessantes. Épocas em que aconteceram mudanças tão significativas. As mudanças que acontecem hoje se dão tão rápido, que, se não estivermos bem atentos, mal acompanhamos. Em outros tempos, as coisas eram mudadas com muito esforço e muita luta. Nada de mão beijada. Nada a disposição da mão. Enfim... sinto falta dessa exigência de lutar por dias melhores. Há muito o que melhorar no mundo, mas não é algo que precise ser mudado na estrutura de uma forma geral, como aconteceu anos atrás. A questão agora é que as pessoas precisam modificar certos conceitos e atos equivocados que elas cultivam e que fazem do mundo um lugar feio e inabitável.
    Vixe, viajei legal no comentário, mas é que fui mais longe do que você disse no texto. hahahaha
    Mas enfim... é isso aí, Dama, você sempre colocando em pauta assuntos que merecem ser lidos, refletidos, debatidos.
    Muito bem!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  6. Provavelmente quem "se orgulha" de não ter vivido determinada situação/época/acontecimento,também não deve saber escrever com tanta lucidez... Será isso também motivo de "orgulho" num futuro bem próximo?

    ResponderExcluir
  7. muito bom! vivo hj numa sociedade q valoriza mto a sabedoria e eu tb aprendi a ver o qto é importante o valor da sabedoria/experiência. isso é também inteligência, pois aprendemos sem precisar passar pela mesma experiência (que mtas vezes é ruim).

    achar que só a novidade, o "agora' é importante, pra mim, é alienação. bjs

    ResponderExcluir
  8. há um culto à juventude que acaba deixando de lado coisas mais importantes do que ser jovem...

    Eu tenho ORGULHO de ter ido às passeatas pelo impeachment do Collor e poder, hoje, compará-las aos movimentos que estão ocorrendo Brasil afora, à cobertura da mídia, à existência das redes sociais... Não teria a visão que tenho desses movimentos se não tivesse vivido todos eles. E muitas outras coisas se encaixam nisso.

    Acho alienante e perigoso não se dar a devida importância ao passado - é ele que moldou o presente e vai ajudar, quer queiramos ou não, a moldar o futuro. Ignorar isso é burrice.

    ResponderExcluir
  9. Oi Dama
    Infelizmente vivemos em uma sociedade que ser jovem e belo, é mais valorizado que ter experiência. Os idosos não são respeitados, nem pelas autoridades que lhes pagam míseras aposentadorias.
    Bjux

    ResponderExcluir
  10. Amei esse texto! Acho que atualmente o que mais me assusta é a inversão de valores. Ninguém é sábio aos 19 anos, só tem a ilusão e se ela não passar rápido vão sofrer.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  11. Tanto a aprender com a experiência de quem já vivenciou, esteve lá.
    essa inversão de valores empobrece o espírito. O respeito, a boa conviência entre os jovens e mais velhos só agregaria. A ambos!
    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Concordo com cada ponto e cada vírgula!! E é por isso acho que o Fassbender tem que comer muito feijão antes de ser McKellen! (Isto é uma "direta" ao nosso amigo Rafadouglas, rsrs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deram pano pra manga... um post pros "véios"... e Edu pira... kkkk

      Excluir
  13. Oi Dama..... Como sempre concordo contigo. Nada mais prazeroso e instrutivo que conversar com alguem mais maduro e sabio das coisas da vida.
    Se na juventude tivessemos a "sabedoria" da maturidade, seriamos imbativeis. Felizmente, tudo acontece na hora certa.....e junto à maturidade vem a ponderaçao e menos impetuosidade.
    Boa semana
    beijos

    ResponderExcluir
  14. Dama a verdade é que os jovens de hj estão cada segundo maus inconcequentes e imediatistas, desorezando o que realmente importa e ignorando tradições!
    Concordo com seu ponto de vista!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Esses moços
    Pobres moços
    Ah se eles soubessem...

    Quando nós éramos meninos, mais jovens do que somos hoje talvez até pensássemos da mesma forma que esta menina que você citou, a estagiária. Não tem como negar que os valores se invertem com o tempo. Numa época pensamos uma coisa, depois, por necessidade dos anos da experiência mudamos, se não radicalmente, talvez parcialmente nossa opinião.

    Essa menina citada por ti, amanhã chegará à repetir, conforme o trecho da musica acima...

    Esses moços
    Pobres moços,
    Ah se eles soubessem...

    Beijos na alma e muita paz, sempre!

    ResponderExcluir
  16. As pessoas que falam isso se esquecem de que quando elas estiverem mais velhas, os mais novos irão dizer a mesma coisa.... eu hein! Cada um vive no seu tempo, tendo suas experiências e que são válidas, mesmo que sejam ruins...

    ResponderExcluir
  17. Oi, Dama!
    Falta sabedoria à jovem de 19 anos, mas pior ainda, faltar sabedoria para uma mulher de 36 anos - que até não é "velha" para se sentir humilhada. Acho que os jovens são impetuosos e falam sem pensar, mas essa jovem senhora se sentir humilhada é o fim da picada! Aí sim está a inversão de valores, pois vejo mulheres de 60 anos aqui onde moro, se comportando como mulheres de 25... Falta sabedoria em todas as idades, assim como também sobra... essa tal sabedoria está mal distribuída!(rs*)
    Quanto à experiência e vivência no trabalho, nem sempre é proporcional a idade. Entende-se que uma pessoa mais velha possui características para melhor desempenhar um trabalho, mas nem sempre é assim. Algumas pessoas param no tempo e não atualizam. Acho super saudável pessoas de faixas etárias diferentes conviverem, no sentido da troca, avançando e retroagindo.
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  18. O mais bacana de tudo é a troca de vivências de ambas as gerações podem trocar entre si, isto em minha opinião é o mais rico de todo o processo do conhecimento.

    Maravilhoso seu post (pra variar..rs)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Olá querida Cris, tema ótimo para refletir, pois felizes os que envelhecerem, pois terão vivido e a juventude é etérea, fúlgaz e maravilhosa. Nossa cultura não valoriza a experência, nem o talento, mas sim 'um rostinho bonito e jovem'. Cris, dá gosto em ler teus posts, tão coerentes, assuntos relevantes, comentários geniais. A inversão de valores é o ponto. Eu prefiro ter vivido algo do que não ter existido quando a coisa rolava, vantagem ? só de quem já existia. Valeu Cris, muito bom estar aqui. Amei o comentário do Bratz.
    ps. Meu carinho meu respeito meu abraço.

    ResponderExcluir
  20. Oi Dama

    Essa estagiária de 19 anos representa mesmo a forma como a juventude encara a experiência, eles tem um orgulho em não saber. Pessoalmente eu sempre valorizei a experiência das pessoas, e procurei aprender com que está neste mundo há mais tempo que eu, pois inevitavelmente essas pessoas saberão um pouco mais. Mas é como aquela frase diz: cada geração se considera mais inteligente que a anterior e mais sábia que a próxima. Bjo.

    ResponderExcluir
  21. Nossa, 20 comentários, já? Cheguei atrasada kkk Mas não o bastante para deixar de comentar e elogiar o post. Simplesmente amo seus textos e seus comentários inteligentes em meu blog. Tiro o chapeu para você Dama, uma mulher com M maiúsculo de Mulher Maravilha. E quanto ao texto, mais uma vez vc está certa, os jovens de hoje estão muito alienados.

    ResponderExcluir
  22. Sabedoria é tudo de bom....
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  23. Tenho 47 anos,não vivi tudo,mas de tudo o que vivi,cheguei à mesma conclusão do sábio Sócrates, no fim da vida: "só sei que nada sei"...(tomara que essa estagiária saiba um pouco mais no fim da vida dela,rssss...)

    ResponderExcluir
  24. Adorei tua reflexão. A melhor canção que ouvi sobre isso é de Arnaldo Antunes: "A coisa mais moderna que existe nessa vida é envelhecer" (Trecho da canção "Envelhecer").

    Bjs!

    ResponderExcluir
  25. Orgulho bobo esse de juventude. Se achar melhor porque não nasceu quando determinado fato não ocorreu.
    Com isso muitos já perderam muitas coisas boas!
    Aliás, mal dessa geração é não saber nada e nem conhecer ninguém. Mas você tem razão, há pessoas que tem idade suficiente e poco inteligência e outras, têm pouca idade, mas demonstra grande inteligência. Eu valorizo a experiência de quem tem mais idade tem muitas coisas a acrescentar com elas.

    ResponderExcluir
  26. Concordo plenamente. Tb não nasci e não presenciei muitos acontecimentos, mesmo assim não os desconheço. E muita coisa aprendi fora da sala de aula. Ser jovem não é sinônimo de alienação, mas especificamente essa geração final dos anos 90 e 2000 abusa do direito de "não saber" com o sorriso estampado na cara. Porque letra de fubk sabe, beijar na boca tb sabe, usar roupas mini sabem, beber descompensadamente tb sabem, reivindicar que já são "adultos o suficiente" tb sabem. Mas na hora de mostrar que de fato cresceram, mostrar maturidade, mostrar conhecimento, mostrar nowhow, cadê? Vejo toda uma geração avoada com post idiotas e fotos de si mesmo, esperando 1.000.000 de curtidas mas mal sabe a sua própria história, que dirá do país, do mundo. E a culpa no fundo não é deles de serem tão sem cultura, tão cabeças vazias, a culpa é nossa e de todos que não cobram que sejam mais e melhores. Que acham lindo porque se é jovem poder falar M à vontade que depois que envelhecer, "melhora" como já ouvi muito por aí. Muita coisa a gente se aprende com o tempo, admito. Mas deixar de ser idiota porque se acha o pica das galáxias com um celular ou tablet de última geração e não sabe nem o nome do presidente do país - e olha que nos últimos tempos o que não faltam são meios para saber - isso não muda nunca. Porque quem é comodista com burrice, nasce, vive e morre assim. Essa geração que foi pras ruas berrar é raridade, um garimpo no meio de uma multidão alienada, cuja a atenção é voltada para coisas supérfluas e o importante, não tem importância. Conversar com uma pessoa mais velha e saber sua história é "na moral, ng merece", mas ficar até altas horas no facebook falando superficialidades é. Aff... Dai-me paciência que eu não tenho mais não!

    Bjokas

    ResponderExcluir
  27. Gente, socorro! Essa menina tem merda na cabeça, né?Tem sorte por estar trabalhando tendo um pensamento tão tosco assim. É esse tipo de jovem que me envergonha. Ao invés de procurarem e exercitarem a reflexão, só buscam a flexão (de braços e de outras superficialidades)... Quero ver se ela com essa idade e com essa prepotência vai chegar a algum lugar...

    É por essas e oturas que parei de crer numa "melhora" da sociedade. Tá melhorando nada! O que tem de jovem ignorante, não tá no gibi. Falo por observação própria! rs

    Beijo, Cris!

    ResponderExcluir
  28. Ih, Dama... o tempo passa tão rápido, mas tão rápido, que quando esses jovens perceberem que a juventude (como eles a imaginam) dura só uns segundos, já terá sido tarde demais.
    Tomara que percebam em tempo hábil, pois o tempo é inclemente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que essa valorização da juventude está piorando conforme o tempo passa.

      Beijocas

      Excluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html