segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Os animais da minha infância...


Adoro animais!! E conversando com a Fê Iasi, ela me deu a idéia de escrever um post contando dos animais que fizeram parte da minha infância.

Cresci num lugar meio roça, muito mato, rua de barro, casas de muro baixo e muitos animais fizeram parte da minha vida. Aí vai o historinha de 4 deles:

- O porco Chiquinho - Um dia acordei e tinha um porco dentro do que antes era um galinheiro. Até hoje não sei de onde meus pais o trouxeram. Era um filhote e me apeguei a ele imediatamente. No dia seguinte a sua chegada, já tinha destruído todo o galinheiro, fuçando o chão. Então meus pais resolveram criá-lo no quintal mesmo. A comida predileta dele era milho cru com água e sal. Minha relação com ele era muito próxima, dava comida, banho, e o bicho se apegou a mim também. Quando chegava do colégio na parte da tarde, ele vinha correndo e se jogava no chão com as perninha para o alto mostrando a barriga, e eu ficava ali cutucando a barriga dele um tempo. Para todo lugar que ia o porco me seguia, menos dentro de casa. Um dia cheguei do colégio e o porco estava dentro da panela, tinha virado uma grande feijoada. Fiquei uma semana sem falar com pessoal da minha casa. Até hoje tenho paixão por porco, meu animal preferido.

- A galinha Madalena - Um dia ganhamos um pinto, ele cresceu e virou uma galinha preta que chamei de Madalena. Novamente minha relação com os bichos era muito próxima e a galinha passou a me reconhecer. Então sempre que chegava perto dela, ela se abaixava, eu a pegava, a colocava embaixo de braço e ia para todo canto com ela ali quietinha. Um dia colocou um ovo e ficou choca. Fui na quitanda comprei uma dúzia de ovos e coloquei embaixo dela. Nem preciso dizer que só nasceu um pinto, do ovo que colocou. Era muito engraçado vê-la andando com aquele único pinto, que no futuro virou um galo bem bravo. Um dia mataram a galinha e mais uma vez fiquei dias triste.

- O coelho Teião - Teião era um coelho branco, também chegou filhote e cresceu até virar um coelho bem arisco. Eu o adorava, mas ele sempre fugia de mim. Na parte da tardinha pra noite, tinha que correr atrás dele para colocá-lo na gaiola. E sempre que o pegava tava gorducho de tanto mato que comia. Aí a gente foi passar uns dias fora e resolvemos deixá-lo solto para que pudesse se alimentar. Quando voltamos ele havia sumido. Fiquei dias sentada no portão de casa esperando o Teião voltar. Nunca voltou...

- O cachorro Bob - Esse foi o meu companheiro da infância, chegou quando tinha 6 anos e viveu até meus 15 anos. Ele estava presente na época do porco, da galinha e do coelho. Não se entedia muito bem com o porco, volta e meia se estranhavam, mas o Bob sempre levava a pior, porque o porco mordia a orelha dele. Bob era bem inteligente. Sempre que eu pegava a bicleta para ir à padaria comprar pão, ele ia ao meu lado. Chegando na padaria, ficava tomando conta da bicleta. Nunca ensinei isso. Fazia muitas coisas que nunca foram ensinadas, como só fazer xixi na rua, nem no quintal de casa ele fazia. Ainda lembro do dia que dei banho com sabão em pó e o pêlo dele caiu quase todo. Fiquei bastante assustada. De todos acho que foi o bicho que mais sofri quando morreu. Ele foi atropelado, dias depois teve hemorragia interna e se foi. Perdi a conta das noites que chorei com saudade do Bob. Um cachorro vira-lata, amarelo e muito esperto que me acompanhou em muitos momentos.

Tive diversos outros bichos, mesmo depois de adulta. Acho que animais sempre vão fazer parte da minha vida de alguma forma. Mas esses quatro me marcaram de uma maneira que nunca esqueço.

27 comentários:

  1. Dar banho em porco, Dama?! Isso devia ser uma tortura para ele.rs
    Vc já havia falado, no meu humble blog, que seu animal preferido é o porco. Gosto bem diferente. Há tempos que penso em fazer um post sobre animais... talvez o faça.
    A gente costuma mesmo a se apegar nos animais. Imagino bem o que vc sentiu com a ausência deles.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Que legal!!!! Eu fui criada em cidade e via os bichos quando ia no sitio que um tio administrava. Mas eu morria de medo de coelho, galinha e afins.
    Anos mais tarde um namorado começou a criar coelho para vender a carne. Eu odiava isso, nunca cheguei perto de nenhum dos bichinhos.
    Anos mais tarde fui visitar uma tia no meu ex marido e quando chego na casa eis que tinha um filhote de porco andando pra lá e pra cá. Achei ele uma graça e sempre perguntava dele. Até que me contaram que tinham matado o porco. Foi horrivel saber que aquele porquinho tinha virado feijoada tb para uma festa de familia. Ainda bem que esse dia eu não estava, pois eu iria vomitar com certeza na frente de todo mundo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre gostei de animais, de roça mesmo, quando vou pra fazenda dos meus avós, fico como diz aquele ditado "parecendo pinto no lixo" rs Mas a minha paixão mesmo, é por cavalos, sempre fui muito apegada a eles! Pronto, meu próximo post, será sobre minha relação com cavalos. Muitos sabem que gosto, mas não o quão sou apaixonada por eles! E eu adorei as historias dos animais da sua vida!Tenho uma imaginação mt fértil, vou lendo e desenhando na minha cabela a imagem de vc dando banho no porco, correndo atras do coelho,colocando os ovos pra "Madá" chocar e Bob parado ao lado da sua bicicleta te esperando! rs Muito legal mesmo esse post! hehe

    Beijos Cris.

    ResponderExcluir
  4. Ai Dama eu agora ri e quase chorei com sua hstória,muito bom guardarmos nossas saudades com carinho.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. que lindo. Você me fez lembrar dos meus bichinhos de infância também. Só que os meus foram todos gatos. Adoro gatos!

    ResponderExcluir
  6. Que delicia de posto! Eu consegui "te ver" nas situações...rsrsrsrs..Bjo!

    ResponderExcluir
  7. Eu tive um porco também vc sabe que também sumiu, mas eu era bem pequena, nem sei se comemos ele...
    Também gosto de bichos, mas os gatos são meus favoritos, se eu pudesse teria muitos, mas só tenho duas!
    Ter uma relação com os animais eu acho que é importante para qualquer criança, acho que deixa qualquer infância mais feliz!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Oi Dama!
    Adorei as estórias dos seus bichos!
    Na minha infância não tive bichos, pois sempre morei em apartamento. Mas lembro que quando íamos para o sítio em Iguape a nossa vizinha tinha de tudo: porco, galinha, pato, cachorro e nem lembro mais o que...rsrsrs só sei que eu adorava! Tomei muita corrida da porca por querer brincar com os porquinhos,rsrsrs.
    Quando eu tinha uns 9 ou 10 anos fui morar com minha tia e como ela morava em casa tive um cachorro, ou melhor uma cadela. Ela estava pela rua toda cheia de sarna e eu a alimentava escondido. Um dia minha tia viu e brigou comigo porque a cachorra nunca saia do nosso portão, mas teve dó e foi comprar remédio para curar a sarna da cadela. Chamei-a de Bolinha e depois do trato ela ficou linda! Ela sempre me acompanhava até a escola e depois voltava para casa. Sabia o meu horário de chegar e me esperava na esquina. Um dia ela ficou prenha e teve 6 filhotinhos. Eu os levava para passear num carrinho de feira todo forrado. Aí um dia eu cheguei da escola e minha tia tinha doado a Bolinha e os filhotes. Chorei por semanas e nunca a esqueci, só de falar já to chorando...
    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
  9. putz vc tinha um porco! que inveja, era meu sonho de criança rs! na fazenda do meu avô tinha e eu cheguei a levar um escondido pra casa, mas tive que devolver rs.

    em casa tinha galinha e uma madrinha minha (q eu detestava) fez galinhada da coitada. senti a mesma coisa q vc sentiu com seu porquinho.

    bjs boa semana

    ResponderExcluir
  10. Cris, tua história ficou tão sensível e tão parecida com as histórias que minha mãe contava quando eu era pequena.
    Não tive muitos animais na infância. Só um caozinho que morreu quando eu era pequena. Na fase adulta tive cães, mas nunca tive sorte. Eles morriam cedo de alguma. O último animal que tive foi um gato, o alemão, que acabou ficando muito doente e também morreu mês passado. Fiquei tão triste que nem quis falar no diário. Agora fico apenas admirando os animais dos outros. Eu não quero mais. A gente se apega tanto e eles se vão cedo.
    Beijos
    Iza

    ResponderExcluir
  11. E eu só tive dois peixinhos... sou uma negação para cuidar de outro ser vivo... =(

    ResponderExcluir
  12. Durante minha infância tive uma cachorra chamada Juma que viveu 11 anos, e morreu com um tumor, sofri muito, depois veio a Mel viveu 3 anos morreu com a doença do carrapato, depois veio a Shalon , morreu atropelada com seis meses, depois veio a Javah essa esta internada com epatite já tem 13 anos e acho que não vai sobreviver estava presente quando as outras depois da Juma apareceram, e recentemente perdi 3 cachorrinhas, leona que foi atropelada com dois meses fugiu e o carro pegou, perdi a Nick essa também fugiu e nunca mais tive noticias e a Sue-hellen que foi como uma filha pra mim acho que ela achava que era gente eu me comunicava com ela pelo olhar , foi envenenada, depois disso tudo não quero mais bichos embora eu sempre os amei...



    :::FER:::

    ResponderExcluir
  13. Nenhum gato ? eu tenho 20 fora alguns filhotes, se não fossem os bichos eu não saberia falar.
    Sábado perdi o Panda, um gato preto e branco que só faltava escrever, tive de tomar remédio pra dormir.
    Perdi um amigo e um filho, como dói.

    beijo

    ResponderExcluir
  14. Achei muito legal essa sua idéia de postar sobre seus bichos!!!
    Fiquei imaginando a cena de vc carregando a galinha Madalena pelos braços kkkkkkkkk.
    Eu só tive cachorros e pássaros, mas, foram grandes companheiros tb. Os animais é que sabem conviver!!!

    Beijos e até a próxima postagem...

    ResponderExcluir
  15. Nasci em uma chacara , e isso a 3 quadras sa matriz , costumo falar que a cidade creceu ao meu redor rsrs bichos aqui nao faltava tinha porco galinha vaca , mas eu tinha um pastor , o lobo. onde eu ia ele ia , um dia roubaram o cachorro e adoeci, a pessoa se sencibilizou com o resgate ... e devolveu meu cachorro, mas um dia o caminhão que levava boi pro matador atropelou meu cachorro e eu vi, por 6 meses mentiram para mim que o cao estava internado , ate que um dia falei quero ir visita lo, ai tiveram que contar , adopreci d enovo e ganhei um cachorro pequeinez a Laika do gerente de um banco rssr e asssim foi hoje tenho um vira latas o pingo que adoro rsrsr nao vivo bem sem eles rsrs
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Tão fofo! Eu sempre quis ter um porquinho. Tu já viu aquele filme A Menina e O Porquinho. Agora virou filme, mas na minha infância era so um desenho. Depois que eu vi esse desenho eu sempre tive vontade de ter um porquinho.

    Em 2010 a gente perdeu nosso cachorro que já estava conosco há 9 anos... foi muito triste. Ele era como uma membro da família. Ainda hoje a gente lembras das manias dele. Temos uma cachorra que é filha dele, então vez ou outra ela faz coisas de cachorro, mas a gente teima em achar que é porque ela puxou o pai. rs

    BeijoZzz

    ResponderExcluir
  17. Dama,
    Adorei seu post sobre bichinhos...
    Eu tive coelho, dois cachorros e até uma tartaruguinha,rs.
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Buenas!

    Eu adoro animais, principalmente cachorros...tenho dois... eles são ótimos e nos dão carinho de graça e isso é raro...muito legal o post...beijoo

    ResponderExcluir
  19. Animal é tudo de bom no mundo!
    Acho que toda criança deveria ter um para aprender certas regras de humanidade!
    Porco é estranho, mas todos dizem qu é legal ter um, agora galinha?! Meu Deus, nunca me imaginei tendo uma hahahahah

    Beijão!

    Depois volto pra ver o vídeo que aki no serviço não tem som!!!

    ResponderExcluir
  20. ahh que delícia!!! Mt engracado a galinha Madalena,kkk, que fofa,tu foi comprar os ovos na quitando ahahah, que fofa!!! Qt bicho menina, mt bom ne? A gente tbm teve um Bob, olha, que legal Dama. Nós duas tivemos um Bob,e o meu tbm era mt inteligente. Mas nosso Bob nao ficou tanto tempo com a gente, a corrocinha levou depois de uns 4 anos que ele estava la em casa :-( minha mae ficou toda tristinha,logo ela que dizia que nao gostava do nosso Bob.

    Adorei esse post, saber que a Dama teve uma infancia gostosa.

    ResponderExcluir
  21. Dama, me desculpe, mas gostaria de deixar registrado meu protesto: pô, incrível como no mundo virtual, o pessoal gosta de gato. Citaram tantos animais, e ninguém falou do mais encantador, o mais carinhoso e simpático-muito bonito também-o mais engraçado, o que tem o dom de falar, o papagaio.

    ResponderExcluir
  22. em tempos de maus tratos a animais é bom ver um post que relembra, com carinho, seus bichos de infância (ainda que uns tenham ido parar na panela).
    Abraço!

    ResponderExcluir
  23. Eu também tive uma infância cercada de animais, tive papagaio pra deixar o Tio Verden feliz, Menininho era um lindo, nosso amor era baseado na implicancia ele bicava minha cabeça todo dia e eu reclamava, mas ele não bicava forte e eu reclamava rindo!!!!

    Tive papagaio e jandaia, mas não quero ter mais passaros, acho que eles são mais bonitos livres!

    Cachorro, gatos então nem se fala!!!

    ResponderExcluir
  24. Lamentavelmente os adultos não respeitam os pequeninos, não questionaram se você sofreria com a morte dos animais. Não enxergam o vínculo estabelecido e reduzem todo aquele envolvimento a um prato do almoço. Tristes lembranças de uma menininha e seus amiguinhos,


    Danian.

    ResponderExcluir
  25. Que delícia de ler sobre tuas lembranças, Dama! Realmente, os bichinhos são amigos maravilhosos. Nos ensinam muito quando somos crianças, inclusive com sua morte, pois aprendemos a lidar com as perdas.
    Também tive uma infância com muitos bichos. Minha grande paixão sempre foram os gatos. Atualmente tenho três gatinhas e um cachorro que é meu mais querido amigo.
    Mas adorei a história do porquinho, porque minha mãe sempre contava que teve um porquinho quando era menina. Ela também dava banho, passava talco e colocava uma fita colorida em volta do pescoço e levava o porquinho para passear. Ele era tão gordinho que um dia, numa descida, ele começou a rolar e ela correu para socorrê-lo. Minha mãe me ensinou o amor e o respeito pelos animais e pela natureza em geral. Para não ver os animais sofrerem eu sou vegetariana há quase 5 anos.
    Beijocas!
    Dona Coisinha

    ResponderExcluir
  26. Olá, parabéns pelo blog. Eu amo animais. Sempre tenho um, uns, vários..rs..Tinha uma cachorra vira lata chamada Clementina, outra Diana, um cachorro Huck. Minha gatinha preta, branca e amarela, falava que ela fazia reflexo..rs..a Tiola, viveu comigo por 18 anos, morreu de velhice há 2 anos, sinto muita falta dela. Eu saia de casa e ela ia até a porta comigo e depois quando eu chegava, ela estava lá, na porta, me esperando, mesmo dormindo. De manhã eu acordava e ela estava no pé da cama, me olhava e miava, então eu dizia -Bom dia pra vc também..rs..Como chorei..snif..Tive um galo, chamado Rodrigo e um sapo, o Sílvio..Amo muito os animais, pego na rua e tudo, defendo mesmo... Eles tem uma amor por nós, mesmo quando não damos muita atenção a eles...

    ResponderExcluir
  27. Oi, Dama!! Finalmente vim aqui visitar um dos meus blogs favoritos :D

    Achei essa a sua postagem mais divertida! hahahah

    Os animais da minha infância foram dois peixes chamados Laranjinha e Acerola, que morreram em menos de seis meses desde a compra deles, mas que me fizeram muito feliz, e já começar a ter responsabilidade com o ato de ter hora pra alimentá-los. Eu tinha 6 anos, então pra mim, tudo era mágico naquela época e eu cheguei a adoecer com a morte deles, que aconteceu porque minha mãe achou que eles estavam muito magrinhos e colocou muita comida para eles ¬¬ rs

    A gente tinha um cachorro chamado Romeu, que também foi roubado no mesmo ano, em 2002, que só faltava falar. ele era muito inteligente e companheiro, foi inesquecível!

    E, dois anos atrás, a minha mãe me deu outro peixe, que batizei de Hórus. Nem preciso dizer o quanto ele durou, né... rs Não compro mais peixe nenhum!

    Abraçoo!

    ResponderExcluir

Eu sempre vou respeitar sua opinião, mesmo que não concorde com ela. Então, por favor, respeite a minha!

Comente com civilidade!

Se seu comentário foi recusado, certamente a explicação está aqui:

http://confissoes-femininas.blogspot.com/2011/07/comente-com-educacao.html